Primeiro dromedário clonado dá esperança para animais mais rápidos da raça

Robin Wigglesworth e James Drummond Em Abu Dhabi

A primeira clonagem de sucesso de um dromedário em Dubai neste mês vai dar impulso à produção de animais mais rápidos para as corridas lucrativas no rico Golfo Árabe.

Uma fêmea filhote chamada Injaz, ou "conquista", pelos cientistas, nasceu no dia 8 de abril e é o clone de um dromedário abatido em 2005, usando o DNA extraído dos ovários do animal. Injaz é o resultado de seis anos de trabalho dos pesquisadores do Centro de Reprodução de Dromedários no Laboratório Central de Pesquisa Veterinária em Dubai.

"Estamos todos muito excitados com o nascimento de Injaz, pois é o resultado de grande capacidade e trabalho de equipe de todos no Centro de Reprodução de Dromedários", disse o diretor científico Lulu Skidmore em uma declaração à mídia local.

"É um avanço significativo... dá meios para a preservação de genes valiosos de nossos dromedários de elite em corridas e na produção de leite."

Diz-se que o leite de dromedário é mais saudável que o leite de vaca e freqüentemente é usado em iogurtes e chocolates no Oriente Médio, mas o principal propósito do projeto de clonagem é criar dromedários de corrida.

O projeto foi iniciado pelo governante de Dubai, xeque Mohammed Bin Rashid Al Maktoum -ávido por competições de cavalos e proprietário de dromedários. Dubai, um dos Emirados Árabes Unidos, é sede do mais rico torneio de turfe do mundo, e a corrida de dromedários também é um passatempo popular para moradores e visitantes.

Por milhares de anos os beduínos árabes criaram dromedários selecionando velocidade e resistência, mas a corrida de dromedário tornou-se um esporte profissional nos Emirados apenas após a descoberta de petróleo. Desde então, tornou-se uma indústria lucrativa. Os dromedários mais velozes -em geral de propriedade dos xeques- podem ganhar milhões de dólares em prêmios. Os dromedários podem correr até 65 km por hora.

Cuidados na criação, avanços veterinários e atenção na alimentação aumentaram a velocidade dos dromedários nos últimos anos, mas a clonagem da ungulada de uma corcova Injaz trará mais avanços, de acordo com Nisar Ahmad Wani, biólogo especialista em reprodução do Centro de Reprodução de Dromedários.

"Fazer um processo pela primeira vez é como padronizar uma técnica", disse Wani. "O próximo com certeza será um dromedário de corrida."

No passado, os Emirados Árabes Unidos e outros países do Golfo usaram jóqueis infantis na disputa de dromedários, o que provocou contestações na justiça e ampla condenação de grupos de direitos humanos.

A prática agora é proibida e os dromedários são estimulados por pequenos robôs jóqueis. Os proprietários acompanham ao lado da pista em veículos com tração nas quatro rodas, direcionando os robôs por controle remoto.

Tradução: Deborah Weinberg

UOL Cursos Online

Todos os cursos