Sinais de vida no mercado imobiliário americano

Alan Rappeport
Em Nova York (EUA)

Um aumento mensal nos preços dos imóveis residenciais americanos aumentou as esperanças de que o abatido mercado imobiliário possa estar começando a se estabilizar após três anos de queda em parafuso.

A Agência Federal de Financiamento Imobiliário (Fhfa, na sigla em inglês) disse na quarta-feira que os preços dos imóveis residenciais aumentaram 0,9% de abril para maio, o maior aumento neste ano. Em comparação com o ano passado, os preços dos imóveis residenciais americanos tinha caído 5,6%, o menor declínio anual em 10 meses.

A Fhfa monitora os imóveis com hipotecas vendidas pela Fannie Mac e Freddie Mac, duas grandes empresas de financiamento imobiliário apoiadas pelo governo americano. Os preços dos imóveis residenciais valorizaram mais no Oeste e no Sul, oferecendo um alívio bem vindo para áreas que foram as mais duramente atingidas pelo estouro da bolha imobiliária.

"É surpreendente ver a firmeza desses números", disse Mike Englund, um economista da Action Economics. "Nós estamos presumindo que os preços assentarão neste ano ou no começo do ano que vem."

Os sinais de vida no mercado imobiliário provocaram alta das ações de construtoras como Lennar, DR Horton e KB Home em até 6% na quarta-feira. Uma aceleração saudável na construção de imóveis melhorou o sentimento do construtor de imóveis, sinalizando que a demanda permanece apesar da abundância de oferta de imóveis residenciais.

Nos primeiros cinco meses deste ano, os preços dos imóveis residenciais por todos os Estados Unidos subiram a uma taxa anual de 0,7%.

Na terça-feira, Ben Bernanke, o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), disse que "o declínio na atividade imobiliária parece ter moderado" e os pedidos de financiamento hipotecário aumentaram por três semanas consecutivas.

Mas os economistas alertaram que o mercado imobiliário continua frágil e alertaram contra nutrir esperança demais devido ao aumento mensal.

Segundo o índice de preços de imóveis residenciais S&P/Case-Shiller, os preços caíram em um terço desde o pico em 2006, e os números mais recentes da RealtyTrac mostram que as taxas de execuções hipotecárias atingiram altas recordes neste ano.

"Revisões e volatilidade do índice mensal dificultam tirar quaisquer conclusões", disse James Lockhart, o diretor da Fhfa.

Michelle Meyer, uma economista da Barclays Capital, notou que a maioria das outras medições dos preços dos imóveis residenciais americanos mostrou declínios ano a ano de quase 20% e que a Fhfa não registrou os imóveis com hipotecas subprime (de risco).

"O que estamos vendo é uma desaceleração no ritmo da queda dos preços dos imóveis", disse Meyer.

"Eu não acho que estamos vendo um ganho claro em uma base nacional."

Tradução: George El Khouri Andolfato

UOL Cursos Online

Todos os cursos