Freakonomics.com: Capitão Steve responde mais perguntas sobre companhias aéreas

Stephen J. Dubner e Steven D. Levitt

Recentemente estivemos fazendo perguntas no Freakonomics.com ao Capitão Steve, piloto de uma grande companhia aérea americana. O capitão, que responde periodicamente as perguntas de leitores, estreou no website do "Freakonomics" com uma coluna que traz sua visão sobre uma série de assuntos relacionados à indústria aérea e aspectos operacionais da atividade. Aqui, ele volta para responder a uma nova rodada de perguntas; tanto as perguntas quanto as respostas foram editadas e resumidas. Nossos agradecimentos a todos que participaram.

Ouvi dizer que para poupar combustível, as tripulações agora devem reduzir a descarga de ar da cabine de forma que menos ar secundário seja encaminhado dos motores para a ventilação da cabine. Claro, isso significa que agora os passageiros devem respirar as exalações uns dos outros - e ficar doentes. Isso é verdade?

Boa pergunta. É verdade que a sangria de ar dos motores, como esse ar secundário é chamado, é usado nos sistemas de ambientação da aeronave. Ele é usado para pressão de água, funções dos sanitários e em resfriamento/aquecimento. Além disso, a sangria de ar pressuriza a cabine até um nível adequado. Em uma altitude típica de viagem, digamos, 35 mil pés, o ar é muito rarefeito, seco e tem uma temperatura por volta de 48 graus Celsius negativos. Há uma degradação de propulsão quando a sangria de ar é puxada para ser usada em outras funções que não sejam propulsão.

Mas, até onde sei, não existe esse problema que você menciona. Podemos desligar ventiladores se quisermos mudar padrões de circulação. Mas geralmente esses procedimentos são projetados para ventilar a cabine em casos de fumaça ou fogo. Operamos os sistemas de pressurização da cabine e outros da mesma forma que sempre fizemos. A qualidade do ar melhorou muito desde a época em que se fumava nos aviões, quando utilizaríamos alguns ventiladores de circulação para tirar fumaça da cabine, caso isso se tornasse um problema. As naves de hoje são muito bem projetadas, por isso raramente precisamos fazer ajustes a padrões de temperatura ou de circulação.

Existe alguma forma de obter informações sobre o piloto da minha companhia aérea antes de eu voar, como seu tempo de experiência, o local onde ele estudou, e as funções para as quais ele é ou não treinado?

Existe um ótimo jeito de obter esse tipo de informação: pergunte aos próprios pilotos. Todos nós adoramos nos gabar sobre nosso histórico e treinamento. Acho que você ficará impressionado com a variedade e nível de experiências que a maior parte dos pilotos de grandes companhias aéreas têm.

Que regulamentações específicas você acha que a indústria aérea deveria dispensar?

Gostaria que houvesse paridade entre todas as companhias aéreas, novas e velhas. Gostaria de ver um "teste de stress" muito mais rigoroso para todos que estão entrando no mercado. Também gostaria que pudéssemos competir em mercados internacionais irrestritos. Como muitas transportadoras estrangeiras são subsidiadas por seus governos, isso afeta a natureza da verdadeira competição.

Também acho que transportadoras regionais e pequenas empresas de voos domésticos têm padrões baixos de contratação para pilotos que o levam de casa para seu destino. A atenção ao nível de experiência e à supervisão nessas pequenas transportadoras foi deixada de lado por causa dos lucros. Ainda que esses pilotos sejam bons, muitos deles precisam de muito mais experiência para estar em um nível que você esperaria.

Existem áreas problemáticas da indústria aérea que precisam de mais regulamentação? Ou talvez de diferentes abordagens, de multas mais rigorosas, etc.?

Sinceramente, acho que precisa haver menos regulamentação, de certa forma. Certamente precisa haver menos supervisão corporativa. Nosso atual sistema estava e está funcionando, mas ele pode melhorar se for modernizado.

Siga minha lógica: todos os dias, certifico-me de completar meticulosamente pequenas tarefas regulatórias, por casa das repercussões burocráticas que teria caso esquecesse. Isso significa que tenho menos tempo para traçar um plano seguro para transportar você e minha aeronave de um aeroporto para outro.

Lembre-se de que muitos de nós fazemos isso há quase 30 anos. Já perdi a conta dos erros e contratempos que resultaram na perda de amigos. Penso nisso todos os dias, quando tomo decisões. A lei é clara. "O capitão é a autoridade final". Isso significa que, não importam as razões, é culpa minha se algo der errado. Então sou como todos os pilotos que conheço: muito cuidadoso. Tento não me apressar ou me distrair.

Muitos anos atrás recebi um ótimo conselho de um capitão veterano com quem voei com frequência, Dave K. Quando lhe perguntei como ele sempre mantinha a calma e lidava com tudo com tanta tranquilidade, ele virou para mim e disse: "eu nunca discuto porque nunca fico bravo; não preciso ficar bravo porque sou o capitão, e eu sempre ganho a discussão!"

Uso esse conselho quase diariamente - seja ajudando o agente de passagens, seja resolvendo problemas com a tripulação ou auxiliando os passageiros.

Sempre viajo entre o aeroporto de La Guardia, ou LGA, e um aeroporto no sul dos Estados Unidos. Em LGA, uma vez que chego ao terminal de embarque, geralmente vejo nas atualizações da internet ou nas telas de embarque que todos os voos estão no horário. Mas depois de passar pela segurança, acabo esperando de seis a oito horas, ou porque o avião não está lá ou porque o controle de tráfego aéreo em LGA não nos deixa partir. Ouvi dizer que poderia rastrear o paradeiro de meu avião se tivesse seu número de registro. Como posso fazer isso para avaliar a extensão do congestionamento em LGA?

Existem muitos recursos para ajudá-lo a rastrear voos, tantos que é difícil de escolher. O iPhone tem alguns recursos ótimos, ainda que muitos sejam para Macs e PCs também. Procure um que possa ajudá-lo a tornar prática essa informação. Se um voo está atrasado no caminho para um aeroporto, então provavelmente todos os voos de chegada também serão afetados de forma parecida. Então se você estiver indo a LGA, verifique o status das aeronaves que pousam em LGA. Veja qual é o consenso entre os monitores de voos.

O website da Continental é um dos mais fáceis de usar no rastreamento de seus próprios voos, uma vez que mostra o voo que você está pesquisando, e o status da aeronave que está chegando. Eu viajo entre o centro-oeste e os aeroportos de Nova York semanalmente, e viajei entre casa e trabalho por 23 anos. Sei do que você está falando. Acredito que os recursos da internet parecem mais precisos. Alguns dos mais populares são o Flightwise, o FlightAware e o Flight Update Pro. Todos esses são bem feitos. A Administração Federal de Aviação também relata os atrasos conhecidos em seu website.

Tradução: Lana Lim

Stephen J. Dubner e Steven D. Levitt

Stephen J. Dubner e Steven D. Levitt são os autores de 'Freakonomics' e 'Superfreakonomics'. O livro mais recente deles é 'When to Rob a Bank... and 131 More Warped Suggestions and Well-Intended Rants'.

UOL Cursos Online

Todos os cursos