UOL Notícias Internacional
 

15/02/2005

Nokia e Microsoft unem-se por celulares musicais

International Herald Tribune
Victoria Shannon
Em Cannes, França
Após um passado por vezes marcado por discórdias, a Nokia e a Microsoft atualmente cantam no mesmo tom no que se refere ao futuro da música móvel.

A Nokia, a maior fabricante de telefones celulares e há muito tempo uma rival da Microsoft na área de softwares para a telefonia móvel, anunciou na segunda-feira (14/02) que concordou em utilizar os formatos musicais da Microsoft nos seus aparelhos.

Em um outro avanço para a música móvel, a Sony Ericsson Mobile Communications disse que fabricará telefones da marca Sony Walkman que tocarão as coleções de música digital dos consumidores, além de se conectarem com serviços de transferência de arquivos de computador.

As duas companhias, que anunciaram as novidades aqui, no Congresso Mundial 3GSM, prevêem um grande aumento no número de pessoas que usam telefones celulares para ouvirem músicas, especialmente agora, que redes móveis mais rápidas ficam disponíveis.

No momento, a música digital é veiculada em grande parte por meio de reprodutores portáteis projetados somente para tocarem música, como é o caso do iPod, fabricado pela Apple Computer. Mas as companhias de hardware, software, música e telefones concordam que há um mercado de massa - especialmente entre os jovens - para a música de acordo com a demanda.

"A capacidade de transmissão de informações do 3G fará com que a música móvel atenda às necessidades do consumidor", garante Miles Flint, diretor-executivo da Sony Ericsson.

O Windows Media Player, que a Nokia está licenciando para os seus fones, já é um dos principais softwares para a audição de música em computadores pessoais.

Até o momento a Nokia utilizava um programa desenvolvido pela própria empresa ou o software musical da RealNetworks. "Essa é uma grande mudança por parte da Nokia", disse Ben Wood, analista de telecomunicações da Gartner Incorporation. "A Nokia está admitindo que não é capaz de fazer tudo".

A Nokia e a Microsoft utilizam softwares rivais para os sistemas operacionais usados em telefones celulares, e as duas empresas têm estado em campos opostos em outras áreas, especialmente no processo antitruste movido pela União Européia contra a Microsoft.

"Este é um fato histórico", admite Amir Majidimehr, vice-presidente da Windows Digital Media, que disse em uma entrevista que as duas companhias deram início a discussões sobre o acordo há cerca de quatro meses. Mas a Nokia faz questão de dizer que a cooperação ocorreu após um trabalho de longo prazo de ambas as companhias em fóruns industriais para a expansão do uso de padrões abertos.

Anssi Vanjoki, vice-presidente de multimídia da Nokia, disse ainda que o acordo quanto ao software de música poderá possibilitar futuras parcerias.

A Nokia também concordou em licenciar o sistema da Microsoft de sincronização de e-mails, o ActiveSync, para possibilitar que os seus clientes executivos continuem a usar seus softwares para e-mail do Windows nos seus celulares. "Nós estabelecemos um começo", disse Vanjoki. "Mas não estamos criando qualquer objetivo com isso".

As duas companhias disseram que os termos financeiros dos acordos, que não foram revelados, não se constituíram no fator que motivou a cooperação. A Microsoft anunciou separadamente na segunda-feira que a Flextronics fabricará telefones celulares baratos com o sistema Windows Mobile, um software que concorre com o sistema operacional Series 60 da Nokia, feito pela Symbian.

"Essa é uma projeção lógica para a Sony", disse ele. A joint venture com sede em Londres, que é líder na Europa, mas retardatária na América do Norte, espera apresentar os seus primeiros aparelhos da marca Walkman em março. Segundo Flint, diretor-executivo da Sony Ericsson, eles serão projetados para funcionar com o serviço de download Sony Connect, além de outros.

"Esse é um verdadeiro exemplo de estímulo à sinergia entre empresas irmãs", disse Flint em uma entrevista.

A Nokia, a Microsoft e a Sony Ericsson estão entre as empresas que procuram seguir o exemplo de sucesso da Apple com o iPod. Embora enxerguem uma grande demanda pela música móvel, elas percebem também espaço para o computador.

"Não creio que o computador pessoal algum dia seja deixado de fora da equação", disse Vanjoki, apontando para o teclado, o mouse e a grande capacidade de armazenamento do computador como vantagens deste sobre o telefone celular.

"Creio que isso mostra como ainda haverá uma Internet, mas vários dispositivos diferentes para utilizá-la de diferentes maneiras", afirmou. Fabricante vai utilizar o Windows Media Player nos seus aparelhos Danilo Fonseca

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h35

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host