Vibrações ruins na catedral em Barcelona

De Victoria Burnett

Ela sobreviveu à morte de seu arquiteto, uma escassez de recursos e a destruição de suas maquetes durante a guerra civil espanhola.

Ana Carolina Fernandes/ Folha Imagem - 01.11.2001
Patrimônio da humanidade, a catedral inacabada de Gaudi se vê ameaçada
Agora, a Catedral da Sagrada Família, a obra inacabada, surreal, de Antonio Gaudí, enfrenta uma nova ameaça: planos para a construção de um túnel para trem de alta velocidade a metros de suas fundações.

"O que levaria alguém a construir um túnel como este ao lado do edifício mais pesado de Barcelona, o monumento mais visitado na Espanha?", disse Jordi Bonet, que lidera uma equipe de 20 arquitetos que trabalha para concluir a basílica de 125 anos.

Em uma oficina abaixo do prédio, ele fez uma pausa ao lado de um modelo de gesso da fachada não construída e esticou uma fita métrica amarela para mostrar como o túnel passaria a apenas 1,5 metro das fundações da catedral.

Um enérgico homem de 81 anos que é responsável pela construção da Sagrada Família nos últimos 22 anos, Bonet disse temer que o túnel poderá causar danos irreversíveis.

"Nós estamos falando sobre um grande ataque contra a Sagrada Família", ele disse. Bonet acredita que a escavação do túnel, a cerca de 40 metros de profundidade, possa fazer com que terra movida pela água ceda sob o peso do vasto prédio, cuja fachada incluirá quatro torres pesando 22.500 toneladas.

A sedimentação poderia causar rachaduras no exterior ondulado ou nos pilares esguios de 65 metros que suportam a nave.

"O subsolo aqui é composto de camadas de argila e areia", disse Bonet. "Nosso principal geólogo nos disse que é como um sanduíche cheio de manteiga: as camadas podem deslizar assim." Ele fez um gesto com as palmas de sua mão imitando placas de terra em deslocamento.

Ele acredita que o plano para a colocação de um muro protetor entre as fundações da catedral e o túnel poderá agravar o problema. Assim que o trem começar a percorrer o trajeto, disse Bonet, as vibrações poderão causar o desprendimento dos ladrilhos coloridos incrustados no teto ou fragmentos do brilhante vidro veneziano que decora as esculpidas torres de sino. Em um andaime a 65 metros acima da nave, Bonet apontou para o mosaico no teto.

"A menor rachadura pode provocar a queda de pedras, e de 65 metros, com pessoas abaixo, seria perigoso", ele disse.

Desde que sua construção intermitente começou em 1883, a Sagrada Família tem sido gradualmente assediada pela urbanização de Barcelona. O local atualmente é flanqueado por dois túneis do metrô (que Bonet disse que, por não serem profundos, causam perturbação mínima) e planos para uma grande esplanada conduzindo à catedral foram descartados nos anos 70, quando prédios de apartamentos foram construídos em frente à entrada principal.

A catedral, um Patrimônio Cultural da Humanidade da Unesco, sofre com falta de recursos e sua construção ficou parada por 16 anos, após uma turba anticlerical ter incendiado a oficina de Gaudí em 1936, destruindo plantas e quebrando centenas de modelos em gesso. O pai de Bonet, Lluis, ajudou a recuperar os modelos de gesso após o incêndio e assumiu como um dos sucessores de Gaudí no projeto.

O túnel servirá para um trem de alta velocidade que reduzirá pela metade a jornada de cinco horas entre Barcelona e Madri. Magdalena Álvarez, a ministra do desenvolvimento, disse em uma entrevista na televisão na segunda-feira que ela ficaria "muito surpresa" se o projeto - que poderá ser iniciado já no próximo ano - for suspenso. Jordi Prat, a autoridade do governo encarregada das ferrovias catalãs, disse que outras rotas sob a cidade foram rejeitadas porque envolviam escavações diretamente sob dezenas de prédios. Ele disse que os engenheiros testariam o impacto do projeto continuamente.

Bonet rejeita tais garantias e acusa o governo de não realizar levantamentos adequados e ignorar rotas alternativas, como a que levaria o trem pela costa de Barcelona. "Este é um projeto mal feito", ele disse. "Eles dizem: 'Nós consertaremos as coisas ao longo do caminho'. Não dá para fazer isso. É altamente imprudente."

Centenas de moradores locais também fazem campanha contra o túnel, que eles temem que danificará suas casas e causar o caos - como ocorreu no colapso de um túnel do metrô em Barcelona, em 2005 - e acadêmicos do exterior se juntaram ao coro de protesto.

"Colocar conscientemente em risco um Patrimônio da Humanidade é um ato de vandalismo impensado", escreveu J. Mark Schuster, professor de política cultural urbana do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, em uma carta para Bonet.

Apesar dos riscos apresentados pelo túnel, Bonet permanece filosófico sobre o futuro da Sagrada Família. "Gaudí disse que tudo é providencial", ele deu de ombros. "Este é o Templo Expiatório da Sagrada Família, e por expiatório queremos dizer que tudo é obtido por sacrifício e tribulação."

Quanto à conclusão da catedral, a única coisa que Bonet tem certeza é que ele não estará presente para vê-la. Os computadores tornaram o trabalho muito mais rápido e Bonet disse que a tecnologia está mudando tão rapidamente que, pelo que sabe, eles usarão helicópteros em vez de guindastes quando forem construir a cruz central, de 170 metros. Os recursos aumentaram e os gastos atualmente são de cerca de 1 milhão de euros por mês.

"Qual o sentido em se preocupar se lavará mais 20 ou 30 anos para acabar?" ele disse enquanto entrava na sombra de uma das escadarias em espiral da catedral. "Gaudí não a viu concluída. Por que eu deveria?" George El Khouri Andolfato

UOL Cursos Online

Todos os cursos