Schwarzenegger é acusado de "racista e fascista" por apoiar os caça-imigrantes

Joaquim Ibarz
Na Cidade do México

"Fascista", "mente fechada", "racista", "extremista" e "ignorante da fronteira e da relação com o México" são algumas das desqualificações pronunciadas contra o governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, por apoiar as patrulhas de paramilitares que se dedicam a caçar imigrantes sem papéis.

No México e nas numerosas comunidades hispânicas do sul dos Estados Unidos, as declarações de Schwarzenegger causaram indignação.

O governador, que na semana passada enfureceu grupos de ativistas ao pedir o fechamento da fronteira com o México, foi mais longe ao elogiar o projeto Minuteman, que envolve centenas de voluntários civis, alguns deles armados, que desde 1º de abril patrulham a fronteira entre o México e o Arizona para denunciar a travessia de pessoas sem documentos.

Schwarzenegger abriu um precedente ao se transformar no primeiro governador de um Estado fronteiriço a apoiar esses paramilitares. Existem planos para implantar na Califórnia dentro de um mês as patrulhas caça-imigrantes.

Segundo o governador, "é injusto toda essa gente ilegal atravessando e que a fronteira continue aberta como está". E pediu: "Vamos fechar as fronteiras da Califórnia e em todo o México e os Estados Unidos".

Schwarzenegger acusou o governo Bush de fracassar no controle da fronteira, fomentar a travessia de ilegais e dar-lhes acesso à água potável em sua travessia.

Organizações de direitos humanos salientam que, ao qualificar o projeto Minuteman de grupo de patrulha comunitária, Schwarzenegger demonstra grande falta de conhecimento sobre o histórico desses grupos e suas ligações com organizações supremacistas brancas e neonazistas.

Os críticos acusam Schwarzenegger de, com sua postura antiimigração, tentar conter a queda de sua popularidade. Em janeiro, 60% apoiavam o governador e hoje são apenas 45%; 47% estimam que sua atuação à frente do Estado mais rico e populoso dos Estados Unidos é ruim.

Diante de sua crescente impopularidade, o ambicioso programa de reformas que os californianos deverão votar em referendo no outono poderia descarrilar.

O presidente da Assembléia Legislativa da Califórnia, Fabián Nuñez, advertiu Schwarzenegger de que sua "mente fechada" condena as relações "com nosso maior parceiro comercial", o México. Nuñez disse que as palavras do governador refletem "extremismo político, e não raciocínio".

Nativo V. López, presidente da Associação Política Mexicano-Americana, disse que eram "simples racismo". O governo do México rejeitou com energia as declarações de Schwarzenegger.

"Não é através de pronunciamentos infelizes que se conseguirá um melhor entendimento entre nosso país e a Califórnia. Essas manifestações prejudicam os históricos vínculos econômicos, sociais e culturais existentes. São inaceitáveis as ações de grupos particulares que realizam detenções de imigrantes mexicanos", salienta um comunicado.

José Luis Soberanes, Defensor Público do México, disse que apoiar o projeto Minuteman é uma expressão de "intolerância, barbárie e selvageria". Milícias da fronteira com o México teriam vínculos com neonazistas Luiz Roberto Mendes Gonçalves

UOL Cursos Online

Todos os cursos