Bispo argentino é flagrado em vídeo com rapaz

Santiago Palacios
Em Buenos Aires

Uma vingança política sobre a qual ainda não há provas provocou a repentina renúncia do bispo de Santiago del Estero, uma província pobre no norte da Argentina, a 1.100 quilômetros a nordeste de Buenos Aires, monsenhor Juan Carlos Maccarone.

Tudo se resolveu em questão de horas e em meio a um enorme hermetismo. O bispo apresentou sua renúncia na última quinta-feira e na sexta esta foi aceita pelo papa Bento 16. Alegaram-se "razões de enfermidade ou outra causa grave", segundo um artigo do código de direito canônico.

Mas Maccarone está muito bem de saúde. Esse prelado de 64 anos, de reconhecida capacidade e predicamento, apresentou sua renúncia depois que um anônimo fez chegar às autoridades da Igreja um vídeo que o mostra em uma relação íntima com um jovem de 23 anos.

A fita pode ter sido gravada em Santiago del Estero, ao que parece com a cumplicidade do jovem, cuja identidade se desconhece e que trabalharia como motorista de táxi. Mal ocorreu o episódio, Maccarone deu um passo à frente e admitiu sua responsabilidade. Reuniu seus sacerdotes, pediu perdão "pelos danos que possa ter causado à Igreja" e virtualmente desapareceu.

O surgimento do vídeo e sua entrega sub-reptícia às autoridades eclesiásticas fazem pensar que muito provavelmente se trata de uma vingança contra o bispo Maccarone, que era muito respeitado na Igreja e fora dela e encarnava um discurso e um trabalho a favor dos pobres e contra todo ato de corrupção. Representava a chamada linha progressista dentro de uma Igreja que, assim como a Argentina, é liderada pelos setores mais conservadores.

Fontes próximas a Maccarone indicaram que este, durante seus anos de episcopado, "havia colecionado poucos mas poderosos inimigos no mundo político e econômico de sua cidade".

O bispo mantinha uma péssima relação com o caudilho regional Carlos Juárez, cuja esposa, Nina Aragones, foi destituída há dois anos do governo por uma intervenção federal com o apoio do bispo. Maccarone também foi um severo crítico do menemismo nos anos 90. Juárez e Menem atuaram naquela época como parceiros políticos.

Maccarone havia denunciado estar submetido a um permanente "controle e seguimento" pela polícia de Santiago del Estero, devido ao processo judicial em que políticos, religiosos e jornalistas acusaram Juárez e sua mulher de espionagem ilegal.

O vice-governador de Santiago, Emilio Rached, disse que a renúncia de Maccarone "não prejudica só a Igreja, mas toda a sociedade". O estupor invadiu a Igreja de todo o país, que manteve um estrito silêncio, enquanto na opinião pública e nos meios de comunicação se reacendeu o debate sobre o celibato dos padres. O caso é visto como uma retaliação contra religioso progressista Luiz Roberto Mendes Gonçalves

UOL Cursos Online

Todos os cursos