"Pedófilo na Internet é de classe média-alta"

Nèria Escur

Tenho 54 anos e moro em Nova Jersey. Sou advogada especializada em questões de privacidade e segurança na Internet. Sou casada e tenho dois filhos de 13 anos. Sou cristã protestante. Interessa-me qualquer político que ajude minha fundação. Nossos filhos já são cidadãos da internet; nós, ainda imigrantes.

Parry Aftab - Naquele dia mudei de vida. Eu era uma advogada milionária, famosa na televisão, e alguém me pediu que procurasse uma página da web e prendesse seus autores.

La Vanguardia - O que a senhora viu?

Aftab -
Um catálogo com nomes de meninas e números. Quando vi a fotografia de uma menina de 3 anos e meio violentada, tive de parar.

LV - Mais uma rede de pedófilos...

Aftab -
Passei duas horas vomitando e metade da noite chorando. Não podia entrar na minha cabeça algo tão repugnante. Assim, no dia seguinte vendi minha casa, minhas propriedades, fechei meu escritório, tirei dinheiro do banco e decidi que a partir daí só trabalharia nessa luta.

LV - Isso afetou suas relações?
Aftab -
Depois de ver aquela foto, não consegui ter relações sexuais durante muito tempo. Quando meu parceiro tentava me beijar, só passava pela minha mente aquela fotografia! Não suportava nem o romance. Fiquei bloqueada.

LV - Pegaram esses indivíduos?
Aftab -
Sim. Já fazia dez anos que estavam atuando! Não há um dia em que eu não pense naquela menina. Hoje deve ter uns 8 anos, e gostaria de encontrá-la. Ainda estará viva?

LV - Qual é o maior perigo da Internet?
Aftab -
Os meninos que não têm acesso a ela.

LV - Não entendi.
Aftab -
Hoje, um menino que é proibido de acessar a Internet é um menino marcado, ferido. A primeira coisa que fará é buscá-la fora de casa, e aí não há forma possível de controle.

LV - Como se controla um adulto?
Aftab -
O melhor filtro é seu próprio cérebro. Se seu cérebro não funciona, você procura aberrações.

LV - Como funcionam suas armadilhas?
Aftab -
Um lindo jovem de 13 anos contata alguém que diz ter a mesma idade. Como não vê o indivíduo, acredita em tudo o que ele diz. No final é sempre um homem adulto que finge! Veste roupas caras e tem uma casa com piscina, para a qual quer convidá-lo, é claro...

LV - O retrato instantâneo do pedófilo na Internet
Aftab -
99,99% são homens com uma patologia que pode derivar em pedofilia.

LV - Mas alguns atuam com o consentimento de suas parceiras femininas. Aftab - Não deveriam permitir, deveriam denunciá-lo! O pedófilo da Internet é um homem entre 25 e 50 anos, de classe social média-alta. Profissionais liberais, universitários, gente educada...

LV - E alguns encontros acabam em seqüestro.
Aftab -
Eles procuram vítimas na puberdade, sem experiência, sem doenças sexuais...

LV - Que alarmes servem para detectá-lo?
Aftab -
Durante meses, a possível vítima fala de sexo. Comporta-se como se tivesse um segredo. Quando quer tocar seu próprio corpo, esconde-se obsessivamente. Muda de grupos de amigos. Não quer falar. Fecha a porta e pendura um aviso "Não Entre".

LV - Todos os adolescentes fazem isso...
Aftab -
Acrescente dois sinais distintivos. Uma pessoa adulta lhes telefona e eles se conectam ao computador à meia-noite.

LV - Como cuidar sem que eles se sintam espionados?
Aftab -
É um ato de fé.

LV - Sim.
Aftab -
Nossos filhos sabem muito mais de tecnologia que nós, mas nós sabemos muito mais da vida. É preciso fazê-los compreender isso.

LV - O que são os três "C"?
Aftab -
O que os pais devem vigiar: conteúdos, contatos e comércios arriscados. Se fizerem isso, não se preocupem com o resto. A Internet é uma ferramenta básica para a educação, não se deve temê-la.

LV - Fale-me das dependências.
Aftab -
Se um adolescente não tem amigos reais, está sempre grudado à tela, se você percebe que tem distúrbios alimentares e está preocupado, desconfie! Ele deve usar o computador na escola. Em casa, no máximo uma hora por dia. E o conselho da avó.

LV - Qual é?
Aftab -
Quando sair da escola, imediatamente para casa!

LV - Não há indícios externos?
Aftab -
Não. Uma vez me reuni com meninos usuários da Internet. A metade punha os pés sobre a mesa e falava atropeladamente. Só um se vestia impecavelmente, estava penteado e levantava a mão para pedir a vez.

LV - Uma jóia de menino.
Aftab -
Não é? Pois quando o deixei falar soltou alegremente: "Eu envio ameaças de morte pela internet". Ninguém teria pensado! Já tinha aterrorizado metade da cidade.

LV - E a ciber-prepotência?
Aftab -
Na vida real, a prepotência é exercida pelo mais forte. Na internet pode ser qualquer um: um jovem frágil, uma doce menina ou o último da classe. Dá na mesma, porque ninguém o vê! E posso lhe garantir que dói mais quando alguém lhe escreve "gorda" do que quando lhe dizem na rua.

LV - A rede é um espião.
Aftab -
Recomendo: identifique-se sempre com uma palavra secreta que só seu círculo mais íntimo conhece. Nunca algo que dê a entender qual é seu sexo ou sua profissão.

LV - A senhora já colaborou com o FBI?
Aftab -
Em casos complexos. Tenho o grupo mais extenso sobre segurança na Internet, com 11 mil voluntários em 76 países. Em um ano, só na Inglaterra conseguimos enviar 60 homens para a prisão.

LV - Quais são as penas?
Aftab -
Nos EUA são ridículas! De dois a seis anos. O jurado sempre cai na armadilha: "Parece um homem tão profissional, tão educado..." O pedófilo utiliza a desculpa jurídica que chamamos de defesa da fantasia: "Eu só estava brincando, só queria conversar com um jovem".

LV - A senhora recebe ameaças de morte?
Aftab -
Por telefone e por escrito. Nunca posso dar o telefone de minha casa. Mas não vão me assustar: mudei de vida e tenho força.

ALERTA
Você pode tomar muitas precauções, pode exercer o controle parental e a vigilância sobre o uso da Internet por menores. Pode fazer inventários, instalar antivírus e limitar com quem seu filho adolescente entra nos bate-papos. Mas sem informação prévia isso de pouco adianta. Podem suplantar sua própria identidade, transformá-lo em vítima de fraude, planejar suicídios coletivos e seqüestros cujo objetivo seja o abuso sexual. Parry Aftab, especialista mundial nesses perigos, recomenda com seu amuleto de jade no pescoço: se lhe comunicarem por e-mail que há um problema com sua conta bancária, não acredite! Não preencha formulários, não ofereça dados. O livro de Aftab pode ser obtido através da Fundació Catalana de l'Esplai. E qualquer suspeita de pedofilia pode ser denunciada em www.parrywiredsafety.org. El Vanguardia entrevista Parry Aftab, referência mundial sobre os perigos na Internet Luiz Roberto Mendes Gonçalves

UOL Cursos Online

Todos os cursos