Barça pede ação cautelar para ter Ronaldinho

Juan Bautista Martinez
Em Barcelona

A primeira bofetada foi do árbitro Rodriguez Santiago, ao expulsá-lo. A segunda foi do Comitê de Competição. E a terceira, nesta sexta-feira (10/02), veio da Apelação, que também não retirou o cartão vermelho.

Ronaldinho continua sem poder jogar em Mestalla e não será escalado, a menos que dê certo o último recurso do Barcelona. O clube se apressou na noite de sexta a anunciar que recorrerá ao Comitê Espanhol de Disciplina Desportiva (CEDD) para que retire a sanção ou para que, caso não tenham tempo de decidir, lhe concedam a suspensão cautelar do castigo.

Nesse último extremo, o brasileiro estaria em Valência e depois perderia a partida de sábado (18) contra o Betis, caso não suspendam definitivamente o cartão. Não estaria no último encontro antes de viajar para Londres.

Está prevista para a tarde de sábado (11) uma reunião da CEDD na qual se poderá tratar do assunto. Mas fontes do Barça disseram que não é seguro que tomem uma decisão, nem que estudem o caso de Ronaldinho. Daí o pedido de suspensão cautelar da sanção.

O departamento jurídico do clube estava muito esperançoso de que daria certo seu recurso à Apelação. Além de considerar que a ação de Ronaldinho sobre Cani não merecia expulsão, a defesa se fundamentou em uma série de precedentes nos quais a Apelação admitiu as alegações e suspendeu os cartões.

Isso ocorreu com a entrada em que Luís Figo lesionou Carles Puyol em um clássico da temporada 2003-2004. Mas não, o comitê surpreendeu o Barça, não foi condescendente com Ronaldinho e manteve o critério da Competição.

Além da importância de uma partida que define o segundo classificado e do papel fundamental que desempenha no Barça, Rijkaard precisa do brasileiro para esse encontro, diante das baixas que enfrenta. Sem Messi, Motta e Xavi, o que menos beneficia o Barcelona é ter de prescindir de outro talento.

Caso não se conceda a Ronaldinho a suspensão da punição e Deco não se recupere de seus problemas físicos, o técnico quase não teria outro remédio senão concordar que Larsson e Eto'o formassem o ataque junto de Giuly. Por outro lado, se o português estiver no ponto, Iniesta e Larsson poderiam concorrer por um posição acima.

Enquanto o vestiário azul-grená insistiu que seria bom para o futebol que Ronaldinho não perdesse o duelo de Mestalla, David Villa não se afastou do discurso de Quique Sanchez Flores.

O técnico do Valência afirmou na quarta-feira que seria ótimo para sua equipe se o brasileiro ficasse em casa. O atacante concordou totalmente. "Não devemos ser hipócritas, é o melhor jogador do mundo e pode mostrar isso, apesar de ter companheiros de qualidade. Se é o melhor, é por algum motivo, e se não jogar o Barça vai notar. Cada um tem suas preferências, mas ele foi eleito Bola de Ouro", explicou Villa, que esta semana sofreu problemas estomacais e musculares.

A medida cautelar é a última tentativa do Barça. Como no filme de Steven Spielberg em que tentavam salvar um soldado chamado Ryan, o clube tenta resgatar Ronaldinho. A diferença é que o craque não é um soldado. É um comandante.

Deco, dúvida do Valência ao sofrer uma contusão

Foi ao dar um chute durante o treino. Deco notou um puxão na perna esquerda e em seguida seu rosto mudou. Visivelmente contrariado, o português abandonou o treino em companhia dos médicos, depois de chutar com violência e raiva uma bola que foi bater num carro. Deco temia o pior. Temia-se que não jogasse nem contra o Valência nem contra o Chelsea. Afinal, tudo ficou em uma contração dos músculos ísquio-tibiais que o transforma numa séria dúvida para o encontro de Mestalla.

Felizmente não há nenhuma ruptura, mas hoje serão feitos novos exames que determinarão se tem ou não esperanças de jogar em Valência. Se for o caso de arriscar, o jogador terá a última palavra, embora os médicos do Barça sejam em princípio mais favoráveis a ser prudentes, levando em conta que a eliminatória da Liga de Campeões está próxima.

O caso de Deco não foi o único susto de uma sessão agitada. O terceiro goleiro, Ruben, viu quando Ronaldinho lhe acertou a chuteira na sobrancelha, causando uma ferida. Teve que ser costurado. Depois dessa ação, Frank Rijkaard deu por terminado o treino.

Em troca, a boa notícia para o técnico veio do brasileiro Juliano Belletti, que recebeu alta médica depois de superar sua peritendinite. Quem ainda tem um longo caminho a percorrer é Xavi Hernandez. Ontem recebeu a visita do preparador físico da seleção, Jesus Paredes, que salientou a boa evolução da lesão do jogador de Terrassa. "Está animado e contente.

O importante é que não se precipite e que pense que ainda tem de saltar algumas barreiras para ir à Copa", afirmou Paredes. David Villa, atacante do Valencia, acredita que o time sentirá falta do craque e não esconde que ficará feliz se ele não puder jogar Luiz Roberto Mendes Gonçalves

UOL Cursos Online

Todos os cursos