Com o motor nos pés

Margarita Puig
Em Barcelona

A comodidade se impôs em um mundo com pressa e também chegou ao escritório. O executivo de hoje decidiu romper com os estereótipos da elegância começando pelos pés. E se nos últimos dois anos a City de Londres se encheu de tênis brancos e caríssimos combinando com terno e gravata, em alguns setores de Turim e Milão esse calçado também arrasou, apesar de os italianos serem mais ousados e preferirem modelos em prata e ouro. Pouco a pouco a tendência vai se impondo em todas as cidades européias - em Barcelona e Madri os mais jovens já se atrevem a combinar o terno com tênis Prada ou Gucci, conta Gonzalo Comella - e as marcas tomaram nota. O curioso é que o mercado é tão amplo que não só as empresas habituais do setor quiseram tirar partido, mas também se apresentaram companhias relacionadas ao mundo dos automóveis.

A Pirelli foi das primeiras a ensaiar esse caminho quando lançou em 2002 a coleção de tênis PZero, com a qual a marca de pneus surpreendeu pelo uso das últimas tecnologias, muito design e materiais especiais. Agora, em um ano em que a Pirelli decidiu fazer um parêntese para reestruturar esse negócio (dizem que voltará no verão de 2008), surgiu uma forte concorrência. Para começar, a Porsche estabeleceu uma aliança com a Adidas para lançar uma série de modelos de luxo que acrescenta ao catálogo da Porsche Design, no qual há bicicletas, óculos escuros, relógios, roupas, bagagens, brinquedos e até berços e carrinhos para bebês. "As peças, inspiradas em tênis para dirigir, serão fáceis de fechar e com cordões", contam na Porsche Design. E a Lamborghini já tem pronta sua coleção outono-inverno de calçados, assinada por Tonino Lamborghini, filho do mítico fundador da marca de automóveis de luxo identificada por um touro sobre fundo amarelo.

O herdeiro dessa saga intimamente relacionada ao exclusivo explicou que uma das razões pelas quais decidiu diversificar seu negócio é que "quando em 1972 meu pai vendeu parte de sua empresa, estando no topo, para se retirar para uma fazenda na Umbria para fabricar vinho, tive ocasião de começar a dedicar-me ao que gosto, que é a moda". Foi assim que nasceu Tonino Lamborghini Accessori, Moda e Design, que estreou com a criação de carros de golfe, miniautomóveis urbanos e até um carro especial para o papa João Paulo 2º, e que abrange cada vez mais campos. Agora a Lamborghini se concentrou nos acessórios e afirma que quer estabelecer uma linha de calçados, artigos de couro e relógios na Espanha.

Firmas como Prada e Gucci, estilistas como Dolce & Gabbana, D*Squared ou o belga Dirk Bikkembergs e ex-jogadores de futebol como Johan Cruyff também surgiram no mundo do calçado esportivo, e por isso as marcas do setor reagiram. Diante de concorrência tão variada, fizeram diversas contratações para agregar valor ao seu produto. É o caso da Puma, que triunfa com desenhos de Philippe Starck, Neil Barret e Alexander McQueen (custam entre 280 e 340 euros), ou Mizuno e All Star, que confiaram na fama de Armani e John Varvatos, respectivamente.

A Nike, por sua vez, também trabalha em novas maneiras de surpreender. Assim, enquanto por um lado tem a comemoração dos 25 anos do Air Force One, com reedições dos originais e interpretações feitas pelos novos ases da NBA, por outro começou colaborações insólitas para garantir que esteja sempre na primeira linha. É o caso da que fez com a Apple. Graças a essa aliança explosiva entre as duas empresas, o iPod se transforma no treinador pessoal e companheiro de treinamento de quem adquirir o pacote esportivo Nike + iPod. Os calçados esportivos de firmas como Porsche ou Lamborghini tentam conquistar o gosto dos executivos. Enquanto isso, empresas como Puma e All Star experimentam altas contratações para defender o negócio Luiz Roberto Mendes Gonçalves

UOL Cursos Online

Todos os cursos