O segredo do perfume

Judith Martínez
Em Barcelona

Aladin Abdel Naby/Reuters -15.nov.2002 

Por trás de um perfume existem histórias e lendas tão sugestivas como uma viagem a um país estrangeiro durante a floração de uma planta exótica, uma etapa da vida, o primeiro amor, o pedido de casamento de Catarina de Médici no século XVI, o presente que Salomão deu à rainha de Sabá para conquistá-la e o segredo das mulheres tuaregue para conquistar seus maridos na cama.

O poder dos perfumes vai além do aroma que desprendem suas notas; eles evocam momentos e pessoas, seduzem, ajudam a potencializar a personalidade e comunicam. "Há mulheres muito femininas que, devido ao seu trabalho, estão acostumadas a conviver com homens, assim é importante compensar suas personalidades com um aroma mais agressivo e masculino", aconselha a responsável pela seleta perfumaria The Ritzy, María de Bagration. Também existem perfumes marcadamente femininos que são muito procurados pelos homens para suavizar seu caráter; e uma outra opção são os perfumes unissex. De acordo com a família olfativa à qual pertencem, os perfumes podem ser classificados em frutados - que podem ser tanto doces, quanto exóticos ou atrevidos-, amadeirados - que podem ser quentes ou então profundos e sensuais -, florais - que são protagonistas indiscutíveis de muitas fragrâncias - , cítricos - muito refrescantes, ideais para pessoas de vida ativa e esportistas-, especiados - somente recomendados para pessoas seguras de si-, atalcados - com um toque terno de talco que faz lembrar a infância - espirituais e sintéticos - aromas de vanguarda, para os consumidores mais urbanos.

"O importante é escolher um perfume desenvolvido por um bom perfumista. Um dos meus preferidos é Hemèssanse de Hermès, de Jean-Claude Ellena", diz Inés Berton, que tem um dos melhores olfatos do mundo e usa seu talento trabalhando como especialista em chás, ou tea blender. O chá também é uma fragrância natural utilizada em perfumaria, assim como a doce e exótica baunilha, muito na moda e especialmente recomendada para peles claras.

Durante a escolha, deve-se levar em conta o pH da pele, por causa de sua influência no desenvolvimento aromático de um perfume. A Profvmo, de Silvana Casoli, oferece uma seleção de fragrâncias naturais pensadas para combinarem entre si, sugerindo mesclas que, aliadas ao próprio cheiro de cada pessoa, permitem criar um perfume personalizado e único. "Com duas ou três essências, além do odor da própria pele, podem-se criar combinações para os diferentes momentos do dia; à tangerina da manhã pode-se acrescentar âmbar à tarde e um toque de patchouli para sair à noite", recomenda María de Bagration.

Outras recomendações incluem usar aromas frescos, discretos e limpos durante o dia, além de não se perfumar demais quando sair para jantar, já que isso pode anular os aromas do prato a ser degustado. A memória olfativa bloqueia o odor natural de cada pessoa, o que deve ser lembrado uma vez que não é de bom tom incomodar os outros usando perfume tanto atrás das orelhas quanto nos pulsos, lugares onde a temperatura do corpo é mais alta e ajuda a evaporar o aroma", explica o perfumista Jimmy Boyd. "O perfume é um luxo, um prazer que nos leva a recordar momentos especiais", diz Inés Berton. Saber escolhê-lo, em vez de simplesmente seguir a moda, é importante porque pode fazer com que a pessoa sinta-se bem, até mesmo especial. "Se você se sente sensual, automaticamente essa imagem vai se refletir para as outras pessoas", diz María de Bagration.

O momento de perfumar-se pode ser pensado como um pequeno ritual no qual a pessoa imagina "onde gostaria que lhe beijassem", como dizem os franceses. "Na realidade, deve-se perfumar os pontos onde a irrigação sanguínea está mais próxima da pele. Por exemplo, atrás dos lóbulos da orelha.

Além dos laboratórios que fabricam perfumes para as grandes marcas, o sonho de muitos perfumistas é elaborar sua própria fragrância. Os chamados perfumes de autor são aqueles elaborados de forma artesanal, com conta-gostas, um processo no qual o computador tem uma importância secundária. Esses autores realizam pequenas produções, desconhecidas do público em geral, que só chegam aos clientes mais exclusivos; são as chamadas marcas-nicho.

As colônias frescas assinadas pelo perfumista Jimmy Boyd são as únicas que maceram folhas, pétalas e ramas frescas em seus frascos; Hierbas de Ibiza é uma água de colônia unissex que leva a essência dessa ilha mediterrânea aos pontos de venda mais exclusivos da Europa.

O êxito levou alguns perfumistas à popularidade, como aconteceu com Annick Goutal, cujas criações inspiradas em emoções já são famosas. Também cabe destacar aromas que atravessam a barreira do tempo, como Santa Maria Novella, cuja essência transporta a diferentes épocas da história florentina. Por sua vez, o mítico Chanel Nº 5, que não deixa ninguém indiferente, assim como o Joy, de Jean Patou. Em todo caso, os franceses continuam sendo os mais reconhecidos no ramo por sua vasta tradição, seguidos dos italianos, com seu toque místico. Todo um mundo desconhecido que, com paciência, criatividade e sentimento pode ajudar uma pessoa a ser quem ela é ou quem gostaria de ser.

Os diferentes tipos de fragrâncias
Cada perfume tem sua pirâmide olfativa, que é composta pelas notas de saída - as primeiras que se sentem e as que mais se percebem - e pelas notas de base ou de fundo. Além dos óleos essenciais, o perfume é composto por solventes e fixadores, que determinam a duração de seu aroma. A quantidade desses últimos é o aspecto fundamental que diferencia um extrato de perfume, que contém até 40% de óleos essenciais, de um perfume propriamente dito, que têm entre 10% e 30%, uma água-de-toilete, com até 20%, e uma deo-colônia, entre 2 e 5%.

A palavra perfume vem do latim "per fumum", que significa literalmente "através da fumaça". A arte de fazer perfumes nasceu na antiga Mesopotâmia e no Egito - Cleópatra foi uma ardente consumidora de perfumes -, e foi aperfeiçoada pelos persas e romanos. A deo-colônia é uma invenção bem mais recente, criada em Colônia pelo italiano Giovanni Maria Farina, no início do século XVIII. Em comparação aos carregados aromas da época, o de Farina transmitia frescor. Curiosamente, a solução em etanol de Farina não era uma colônia, mas sim uma água-de-toilete, já que continha mais de 5% de compostos aromáticos. A escolha de um perfume que se encaixe com a personalidade e que a potencialize permite fazer uma viagem através dos aromas que não só desperta sensações olfativas como também lembranças Eloise De Vylder

UOL Cursos Online

Todos os cursos