Telefónica terá mais 60 milhões de clientes na América Latina

Mar Díaz-Varela
Em Madri

O presidente da Telefónica, César Alierta, afirmou diante de seus acionistas que a América Latina será o motor do crescimento do grupo nos próximos anos. Alierta informou na terça-feira (22/04) que terá 60 milhões de clientes a mais até 2010, o que representa 170 milhões de linhas. Na Europa a base de clientes aumentará 40%, para 270 milhões. Hoje o grupo Telefónica e a Telecom Italia representam 19% do mercado europeu.

Essas projeções de crescimento permitirão um aumento médio anual de receitas entre 5% e 8% e um aumento do resultado operacional de 7% a 11% até 2010.

Com essas perspectivas, a prioridade do presidente da Telefónica é fortalecer a ação, "cuja cotação não reflete o potencial da companhia". O presidente salientou o valor da proteção das telecomunicações em um momento de turbulência financeira.

Para consegui-lo, implementou três ações. A primeira, um novo programa de recompensa de ações que prevê a aquisição de 100 milhões de ações até junho de 2009.

A isto se deve somar o aumento dos dividendos. No dia 13 abonará 0,40 euro por ação, correspondentes ao dividendo de 2007, e completará uma retribuição total de 0,75 euro, que já foi 25% superior à do ano anterior. A assembléia de acionistas aprovou um aumento dos dividendos relativos a 2008 para até 1 euro por ação.

Em terceiro lugar a assembléia aprovou a amortização de 68,5 milhões de ações próprias e a redução do capital social em 68,5 milhões de ações, até 4,704 bilhões de títulos. A assembléia de acionistas, que contou com uma representação de 57%, foi perturbada, como é habitual, pelos protestos dos trabalhadores da antiga Sintel, que abandonaram sua concentração na hora do almoço. O presidente da empresa, César Alierta, afirmou diante dos acionistas que a região será o motor do crescimento do grupo nos próximos anos Luiz Roberto Mendes Gonçalves

UOL Cursos Online

Todos os cursos