UOL Mídia GlobalUOL Mídia Global
UOL BUSCA

RECEBA O BOLETIM
UOL MÍDIA GLOBAL


05/07/2005
Lobby acirra disputa para sediar Olimpíadas 2012

Frédéric Potet
Enviado especial a Cingapura


Para fazer lobby --ou seja, exercer pressão política por meio de convencimento ou sedução-- é preciso poder contar com "lobbies" --salas reservadas, vestíbulos ou corredores. O Centro de congressos Raffles City de Cingapura está repleto de lugares desse tipo --saguões, salões, bares, átrio, ideais para se conversar tranquilamente, tentar convencer alguém da pertinência de um dossiê ou discutir enquanto se toma um cafezinho.

Protegido por policiais armados com pistolas ou fuzis automáticos (alguns dos quais possuem também punhais), este monumental edifício, que abriga ainda dois hotéis de luxo e uma infindável galeria comercial, é o centro nevrálgico da 117ª sessão do Comitê Olímpico Internacional (COI) que deverá decidir, nesta quarta-feira (6/7), qual será a cidade-sede dos Jogos Olímpicos de verão de 2012.

É aqui que tudo vai ser decidido. E é lá que tudo já está sendo decidido. Enquanto nem todos os 114 membros do COI esperados haviam desembarcado ainda em Cingapura nesta segunda-feira (4), as discussões já corriam soltas com os primeiros a terem chegado.

Não há um minuto a perder. É um pouco o princípio da corrida de fundo: a última linha reta é mais importante do que todas as voltas de pista que já foram percorridas até então.

Por esta razão, Paris não quer perder a vantagem que ela adquiriu no decorrer dos últimos meses, e que faz dela a cidade favorita. Os responsáveis pela candidatura francesa foram os primeiros a ocupar o terreno de maneira visível, em Cingapura.

A sua estratégia não é diferente daquelas das outras cidades candidatas (Londres, Madri, Moscou e Nova York): conversar com o maior número possível de membros do COI dentro do menor espaço de tempo possível.

Embora seja impossível encontrar-se com todos esses membros daqui até quarta-feira, um bom número dentre eles, em contrapartida, foram "alvejados" de antemão: alguns são supostamente indecisos, enquanto outros são "formadores de opinião" dos quais se sabe que eles são ouvidos pelos seus pares.

Este trabalho de contato vem sendo efetuado, durante este dois dias, pelas diferentes personalidades que representam a candidatura parisiense: o prefeito da capital, Bertrand Delanoë, o ministro dos Esportes, Jean-François Lamour, os membros franceses do COI, Jean-Claude Killy (ex-campeão de esqui) e Henri Sérandour (presidente do Comitê Olímpico Francês - CNSOF) - o terceiro, Guy Drut, ficou na França - e Alain Danet (membro de honra do COI)...

Cada um deles tem uma lista de pessoas com as quais ele deve fazer contato. Eles são auxiliados por "funâmbulos", ou seja, técnicos especializados na difícil arte de estar presente no momento certo nos "lugares estratégicos" e que são encarregados de atuar como "rebatedores" e facilitar os encontros desses responsáveis com os membros do COI.

No entanto, Paris adotou uma linha "suave" de ação. "O objetivo não é de perseguir os membros do COI, e sim de convencê-los", explica um membro da delegação francesa. "Os primeiros contatos foram bastante positivos", confia um outro.

"Os abraços são francos e as discussões mais sinceras do que eram quatro anos atrás [durante a sessão de Moscou para a atribuição dos Jogos de 2008]".

Ao longo de dois dias, as outras cidades candidatas vão, elas também, tentar "vender" seu dossiê. Assim, os responsáveis pela candidatura de Londres-2012 já entraram em ação na manhã desta segunda-feira, após terem passado quatro dias na ilha vizinha de Sentosa para um derradeiro seminário secreto.

A capital inglesa vai poder contar com um relações públicas de peso na pessoa de Tony Blair, que chegou na noite de domingo em Cingapura.

Segundo confirmou a sua assessoria em Downing Street (sede do governo em Londres), o primeiro-ministro britânico e a sua mulher, Cherie, escreveram pessoalmente para vários membros do COI, para anunciar-lhes a sua vinda e solicitar encontros personalizados. Eles esperam conseguir se reunir com "20 a 30" delegados olímpicos, a razão de 30 minutos por entrevista.

Jacques Chirac não poderá se encontrar com tantos membros, em todo caso individualmente: ele só chegará na terça-feira, no final da tarde, para a cerimônia de abertura da sessão. Em contrapartida, ele estará presente para o "grande exame oral" de quarta-feira, diferentemente de Tony Blair, que terá então viajado na véspera para a Escócia, para a reunião do G8.

Este duelo travado a distancia entre Tony Blair e Jacques Chirac deverá sem dúvida ser um dos pontos quentes desta sessão. Além deles, participarão desta briga outros responsáveis políticos tais como o primeiro-ministro espanhol José Luis Zapatero, o seu homólogo russo Mikhail Fradkov, e a mulher do antigo presidente dos Estados Unidos, Hillary Clinton, senadora do Estado de Nova York.

Estes contarão com o auxílio de batalhões de campeões: Mohammed Ali, Bob Beamon, Nadia Comaneci para Nova York, David Beckham, Bobby Charlton e Daley Thompson para Londres, Tony Parker, David Douillet, Marie-José Pérec para Paris, Raul, Miguel Indurain, Pau Gasol para Madri, Evgueni Kafelnikov, Alexandre Popov para Moscou...

Neste grande jogo de sedução e de convencimento, todos os golpes são permitidos. Paris já recebeu informações que comprovam deste fato. A contagem de um diário de Cingapura, na manha deste domingo, atribui 45 votos para Londres no primeiro turno, 18 para Madri, 14 para Nova York e 11 para Paris.

Durante a coletiva de imprensa que foi organizada na manhã desta segunda-feira numa igreja de Cingapura pelo comitê de candidatura parisiense, os meios de comunicação britânicos se mostraram particularmente rabugentos.

Eles não deixaram passar nenhum detalhe. Segundo eles, o Stade de France (o principal estádio parisiense, onde ocorreu a final entre França e Brasil na Copa do Mundo de 1998) deverá estar ultrapassado na sua concepção em 2012.

Resposta do ministro dos Esportes Jean-François Lamour: "Errado. É um estádio que foi concebido com vinte anos de antecedência". Resposta do prefeito Bertrand Delanoë: "O Stade de France, ao menos, tem o mérito de existir". Subentendido, o Grande Estádio londrino ainda não passa de um projeto virtual.

Mais tarde, durante a coletiva de imprensa organizada pelo comitê Londres 2012, dois consultores londrinos criticaram abertamente o Stade de France, que, segundo eles, teria o inconveniente de não ter sido projetado para o atletismo.

Frente a esta ofensiva, os delegados parisienses decidiram não apresentar nenhum recurso, após terem lido a transcrição desta coletiva de imprensa.

Da mesma forma, os jornalistas britânicos ficaram perguntando o tempo todo se os parisienses consideravam a campanha de Londres "fair play".

"Nós não fazemos comentários sobre as candidaturas dos nossos concorrentes, uma vez que esta é uma regra determinada pelo COI", respondeu o prefeito de Paris, que acrescentou: "Não se pode dizer o mesmo de todo mundo".

Pesquisa aponta Paris favorita para sediar Jogos

Uma maioria de pessoas consultadas na França, na Grã-Bretanha e na Espanha pensa que Paris será escolhida nesta quarta-feira para organizar os Jogos Olímpicos de 2012, segundo divulgou o instituto de pesquisas Ipsos, num estudo encomendado pelo jornal "L'Equipe".

Segundo esta pesquisa, que foi publicada nesta segunda-feira, 67% dos franceses, 50% dos espanhóis e 42% dos britânicos responderam "Paris" à pergunta: "Independentemente do seu desejo pessoal, qual cidade, segundo você, será designada para organizar os Jogos Olímpicos de 2012?".

Tradução: Jean-Yves de Neufville

ÍNDICE DE NOTÍCIAS  IMPRIMIR  ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA