UOL Mídia GlobalUOL Mídia Global
UOL BUSCA

RECEBA O BOLETIM
UOL MÍDIA GLOBAL


29/03/2007
Na Venezuela, o partido criado por Hugo Chávez perturba os seus aliados

Marie Delcas
Enviada especial a Caracas


O presidente Hugo Chávez os batizou de "propulsores". Eles são os primeiros militantes do novo Partido Socialista Unificado da Venezuela (Psuv), uma agremiação unitária da esquerda encarregada de construir o "socialismo do século 21". Reunidos, portanto, num dos anfiteatros do centro de Caracas, 2.398 "propulsores e propulsoras" trajando camiseta vermelha prestaram oficialmente juramento, em 24 de março. "A pátria, o socialismo ou a morte", lembrava a palavra de ordem impressa na gigantesca faixa à cubana que estava afixada atrás do chefe do Estado.

No dia que se seguiu à sua reeleição, em 3 de dezembro de 2006, o presidente Chávez havia anunciado a sua vontade de reunir as agremiações da maioria. "Aqueles que não quiserem se juntar ao novo partido, eu os deixo livres para prosseguirem o seu caminho, mas eles deverão deixar o governo", dissera. O seu Movimento da Quinta República (MVR) foi dissolvido de um dia para o outro. "O verdadeiro problema de Chávez não é tanto de acabar com os pequenos partidos, e sim de conseguir disciplinar as suas próprias forças e construir um verdadeiro partido", comenta um alto-funcionário. "O MVR nunca passou de uma máquina eleitoral. Ele vem sendo paralisado pelas ambições pessoais e as rivalidades burocráticas".

O novo partido não será nem staliniano, nem marxista-leninista, precisou Hugo Chávez. O chefe do Estado fez uma advertência contra os "revisionistas que têm medo de uma verdadeira revolução" e contra os "dogmáticos que não se deram conta de que o mundo mudou". Segundo ele, todos eles acabam de uma forma ou de outra "nas fileiras da contra-revolução".

O presidente venezuelano tinha como alvos os dirigentes do Partido Popular dos Trabalhadores (PPT), da organização "Podemos" e do Partido comunista venezuelano (PCV). Esses três partidos de esquerda juntos forneceram um quarto dos votos obtidos por Hugo Chávez em dezembro. Agora, eles tentam de uma forma ou de outra manter a sua independência ou, ao menos, negociar as condições da sua integração no Psuv.

"O porta-aviões"

Ismael Garcia, o secretário-geral da organização "Podemos", pronunciou-se num primeiro momento contra o "pensamento único" e o "socialismo de Estado". As tensões e as tergiversações que dominaram a cena política em seguida levaram a acreditar que estava ocorrendo uma divisão do "chavismo". "Eu não quero aliados como estes", disparou o presidente em 18 de março, fustigando na televisão os três partidos que, segundo ele, "se bandearam praticamente para a oposição".

Apenas o PCV, o partido o mais antigo do país, parece capaz de manter a sua unidade e a sua independência. O PPT, "que nunca contestou as virtudes da unidade revolucionária", segundo o deputado Mario Isea, realizará em breve uma assembléia para, muito provavelmente, formalizar a sua integração no Psuv, mas uma cisão não está excluída. A organização "Podemos", por sua vez, tenta evitar a debandada, uma vez que vários eleitos já manifestaram a sua intenção de se juntar ao novo partido.

A constituição do Psuv confirma a força de atração do presidente Chávez. Um ex-militante do MVR lembra que "muitos eleitos sabem que eles lhe devem a sua eleição". Aliás, os venezuelanos apelidaram o seu carismático presidente de "o porta-aviões": é demonstrando-lhe a sua submissão que os políticos têm uma chance de voar rumo ao poder.

Tradução: Jean-Yves de Neufville

ÍNDICE DE NOTÍCIAS  IMPRIMIR  ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA





Shopping UOL

Gravadores Externosde DVD a partir
de R$ 255,00
Câmera Sony6MP a partir
de R$ 498,00
TVs 29 polegadas:Encontre modelos
a partir de R$ 699