UOL Mídia GlobalUOL Mídia Global
UOL BUSCA

RECEBA O BOLETIM
UOL MÍDIA GLOBAL


15/09/2007
Até que ponto a gratuidade dos museus pode ampliar o seu público?

Nathaniel Herzberg

Ela havia sido prometida por Nicolas Sarkozy. Ela havia sido anunciada por Christine Albanel, a ministra da cultura. A experiência acaba de ser aprovada. Em 1º de janeiro, um pequeno número de museus nacionais tornarão gratuito o acesso à sua coleção permanente.

Os serviços da Rua de Valois (do ministério da cultura) transmitiram para Matignon (sede do primeiro-ministro) uma primeira lista de nove estabelecimentos: em Paris, o Museu das Artes Asiáticas Guimet e o Museu da Idade-Média, situado no Hotel de Cluny; o Museu Nacional de Arqueologia em Saint-Germain-en-Laye (Yvelines, região parisiense); o Museu Nacional do Renascimento no castelo de Ecouen (Val-d'Oise); o palácio Jacques-Coeur, em Bourges; o Museu da Porcelana em Limoges; o Museu Magnin em Dijon; o palácio do Tau em Reims; as coleções contemporâneas do castelo de Oiron (Deux-Sèvres).

Jack Dabaghian/Reuters - 26.ago.2004 
Visitantes saem do Louvre, museu que não está na lista daqueles que terão entrada gratuita

A esta lista poderiam acrescentar-se um ou dois outros estabelecimentos que dependem de outras administrações, seja do ministério da defesa ou da educação nacional. Sobretudo, deverá se juntar a este um segundo grupo de museus, que terá a função de testar uma série de medidas mais específicas. Alguns deles estenderão para a população de 18 a 25 anos a gratuidade já oferecida aos menores de 18 anos nos museus nacionais. Outros poderiam oferecer o acesso livre todos os domingos, em vez de limitá-lo ao primeiro domingo de cada mês.

Em todo caso, os sete primeiros estabelecimentos escolhidos receberam a notícia de maneira diversa. Após ter sido informado dela na manhã de quarta-feira, Paul-Hervé Parsy, o administrador do castelo de Oiron, comemorou a novidade. "Nós temos uma freqüência de visitações modesta, de cerca de 20.000 pessoas por ano, e uma coleção muito bonita. Em termos de receitas, portanto, os valores em jogo são reduzidos, mas em termos de imagem, a inovação é muito importante. A escolha me parece ser muito coerente".

A mesma satisfação foi manifestada no Museu de Arqueologia de Saint-Germain-en-Laye. O castelo já conta 70% de visitas gratuitas, sobretudo escolares. "Aos domingos, em contrapartida, nós vemos muitas famílias que fazem passeios no domínio de Saint-Germain desistirem da visita quando descobrem que é preciso pagar (4,5 euros - cerca de R$ 12 - por adulto)", sublinha Patrick Périn, o diretor. "Incentivar essas pessoas a se aproximarem da arqueologia apresentaria um real interesse".

No Museu Guimet, ao contrário, a decisão não foi muito apreciada. Recentemente, o seu presidente, Jean-François Jarrige, havia argumentado junto ao ministério da cultura que ele considerava o seu museu como "pouco representativo" para uma operação desse tipo. "Eu não sou contra esse teste, nem contra a eventual gratuidade dos museus", acrescenta. "Mas, se uma experiência como esta for implementada, é preciso que ela seja conduzida com o máximo de sinceridade. Além disso, nessas condições, teria sido necessário colocar algum museu realmente importante, do tipo do Beaubourg, na balança".

Além de tudo, Jean-François Jarrige diz temer as conseqüências da experiência sobre as receitas de bilheteria (300.000 visitantes), obviamente, mas também sobre a imagem do museu e, portanto, sobre o mecenato que lhe permite organizar as exposições temporárias.

Estes são alguns dos elementos que deverão ser avaliados com uma lupa, ao longo dos seis primeiros meses do ano de 2008, em previsão de uma eventual generalização em 2009. Uma concorrência pública deverá ser aberta nos próximos meses junto a organismos de pesquisas, cuja missão será de medir o impacto dos dispositivos testados. "Ao abranger Paris, a região parisiense e a província, e ao incluir grandes e pequenos museus, nós vamos poder contar com uma amostragem bastante diversificada que nos permitirá observar o comportamento dos públicos", precisa um responsável em Matignon. "A quem beneficia a medida? Em relação a qual museu? Para qual tipo de público?"

Pois é evidentemente esta a pergunta a ser feita. Na Grã-Bretanha, as coleções permanentes foram tornadas gratuitas em 2001. Os museus municipais parisienses suprimiram os ingressos pagos em 2002. Em todos os casos, a medida aumentou o número de visitações, embora com duas ressalvas: "Nós observamos um efeito lua-de-mel no início; depois disso, o número de visitações volta a diminuir", sublinha Anne Gombault, a responsável do departamento de artes, cultura e administração na Escola de Administração de Bordeaux. Se a avaliação for feita em relação a um período de seis meses, será que não corremos o risco de medir apenas este pico? Acima de tudo, os grandes beneficiados pela gratuidade são... os freqüentadores habituais do museu. "As pessoas retornam, e se mostram mais descontraídas", insiste Catherine Hubault, a subdiretora do Patrimônio da Cidade de Paris. "A imagem do museu mudou. Mas não a idade, nem o perfil sociológico dos visitantes".

Diante disso, seria mesmo o caso de incluir na conta dos impostos as visitas repetidas dos aficionados, ou ainda aquelas dos milhões de turistas estrangeiros que pagam sem qualquer problema os 9 euros (cerca de R$ 24) do ingresso no Louvre? No ministério, ninguém sabe responder. Mas, nem o Louvre, nem o Museu d'Orsay, nem o Centro Pompidou foram inscritos entre os que serão submetidos a esta experiência.

Tradução: Jean-Yves de Neufville

ÍNDICE DE NOTÍCIAS  IMPRIMIR  ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA





Shopping UOL

Gravadores Externosde DVD a partir
de R$ 255,00
Câmera Sony6MP a partir
de R$ 498,00
TVs 29 polegadas:Encontre modelos
a partir de R$ 699