UOL Notícias Internacional
 

06/12/2008

República Democrática do Congo: governo e rebeldes devem "formalizar cessar-fogo"

Le Monde
Depois de três meses de combates violentos entre os rebeldes liderados por Laurent Nkunda e as forças governamentais, a situação de Kivu do Norte, província oriental da República Democrática do Congo, pode estar em vias de melhorar na quarta-feira, 5 de dezembro.

"Deve acontecer um encontro entre os representantes do governo, do RDC e do CNDP [Congresso Nacional pra a Defesa do Povo, dirigido por M.
Nkunda] sob a supervisão da ONU e do mediador [o antigo presidente nigeriano Olusegum Obasanjo] no dia 8 de dezembro em Nairobi, no Quênia", declarou o ministro de relações exteriores congolês, Alexis Thambwe Mwamba, ao ler um comunicado conjunto à imprensa divulgado na ocasião de um encontro com sua colega ruandesa Rosemary Museminale.

Esse encontro visa "formalizar o cessar-fogo" decretado unilateralmente pelos rebeldes no final de outubro, acrescentou.

O governo e o CNDP indicaram várias vezes que desejavam o diálogo, mas fracassaram até agora quanto ao estilo que dariam às negociações.
Laurent Nkunda demandava negociações diretas, enquanto Kinshasa desejava incluir na discussão todos os grupos armados da região.


RDC e Ruanda em vias de reconciliação

Thambwe e Museminali, que se encontraram na quinta e sexta-feira em Goma, capital da província de Kivu do Norte, anunciaram ter aprovado um "plano militar" contra os rebeldes hutus ruandeses presentes no leste da República do Congo. "As duas delegações definiram um plano de operações detalhado contra as ex-FAR [Forças Armadas Ruandesas], a Interhamwe, e as FDLR [Forças Democráticas de Libertação de Ruanda]", declararam os dois ministros.

Desde o começo da rebelião no Congo, Kinshasa acusa Ruanda de apoiar Laurent Nkunda, um ex-general tutsi congolês, o que Kigali desmente.
Por sua vez, Ruanda exige há anos o desarmamento das FDLR. Essa questão envenena as relações bilaterais há anos, mas os países restabeleceram as relações quando os combates foram retomados em grande escala em Kivu do Norte. Thambwe rendeu-se a Kigali em 28 de outubro, iniciando uma série de encontros bilaterais. Eloise De Vylder

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host