UOL Notícias Internacional
 

14/08/2009

A prisão da estrela Nori-P, o caso que fascina o Japão até a cúpula de Estado

Le Monde
Philippe Mesmer
Em Tóquio (Japão)
É raro ver no Japão um representante do governo reagir a uma notícia envolvendo um ídolo da televisão. Na terça-feira (11), o porta-voz do gabinete Takeo Kawamura interveio para lembrar os perigos das drogas, e pedir aos ministérios interessados que reforcem a campanha de prevenção.

A causa dessas declarações foi a comoção suscitada pelo caso Nori-P, apelido da atriz e cantora Noriko Sakai. Acusada de porte de drogas, a bela de 38 anos foi colocada sob custódia. Sua chegada à delegacia de Shibuya, em Tóquio, foi amplamente divulgada pelas mídias. Até a séria rede pública de televisão NHK lhe dedicou um boletim especial.

Uma mania que contrasta com casos similares. Até então, uma estrela envolvida em um caso do tipo desaparecia por vários meses antes de fazer um retorno progressivo. Seu caso foi "despachado" em algumas palavras pelas mídias. "Mimadas, muitas personalidades do show-biz acreditam ter privilégios particulares", disse no sábado o jornalista especializado Masaru Nashimoto, no jornal "Mainichi".

Desta vez, o caso Nori-P foi abordado em toda parte, na imprensa escrita, na televisão, sem falar na Internet. E isso desde 3 de agosto, dia em que seu marido, Yuichi Takaso, surfista profissional, foi detido por porte de anfetaminas. Interrogado, ele envolveu sua mulher. Em uma busca no apartamento de Noriko Sakai, a polícia encontrou 0,008 grama de drogas. Um acontecimento no Japão, conhecido pela rigidez de sua legislação anti-entorpecentes. No meio tempo, a estrela desapareceu - para preparar sua defesa, alguns dizem. Ela só reapareceu no sábado (8), para se entregar à polícia.

Desde então, Masahisa Aizawa, presidente da Sun Music, gravadora dos discos de Nori-P, apareceu em público, envergonhado, para apresentar suas desculpas aos fãs. Ele pretende demiti-la caso ela seja reconhecida culpada. A montadora Toyota, por sua vez, vai retirar uma campanha publicitária que utiliza a imagem da estrela. E as revelações não param de surgir. Noriko Sakai seria a filha de um alto membro de uma gangue da Yakuza (o crime organizado). Seu irmão, detido em julho igualmente por problemas com drogas, pertenceria à máfia também. As más línguas chegam a detectar, em imagens da estrela em casas noturnas, as provas de uma "vida desregrada".

A comoção está à altura da aura de Nori-O, cuja carreira começou em 1986. Sua popularidade logo ultrapassou os limites do Japão para alcançar especialmente Taiwan, China e Coreia do Sul, países que divulgaram amplamente seu desaparecimento e sua prisão.

Casada em 1998 e mãe de um menino, ela trocou sua imagem de jovem "inocente" pela de "mama-doru", ídolo que também é uma boa mãe. O governo a escolheu para aparecer em clipes de promoção do sistema de júri popular, introduzido em maio de 2009.

Após sua prisão, a polícia recebeu vários telefonemas de fãs desesperados. "Por que vocês a prenderam?", perguntaram alguns. Outros, menos ingênuos, exigiram um controle mais rígido do consumo de drogas no show-business. Enquanto isso, no segredo mal guardado de sua custódia, o casal briga, acusando-se mutuamente de um ter forçado o outro às drogas.

Tradução: Lana Lim

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h00

    -0,26
    3,160
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h06

    0,71
    69.120,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host