UOL Notícias Internacional
 

20/08/2009

Pequenos partidos protestam contra sua exclusão das eleições alemãs

Le Monde
Marie de Vergès Em Berlim (Alemanha)
Certamente alguns gostarão de ter um pouco de agitação em uma campanha completamente monótona... Na Alemanha, a revolta aumenta entre diversos pequenos partidos excluídos da batalha das eleições legislativas de 27 de setembro. Furiosos com esse banimento da comissão eleitoral, o órgão federal encarregado de validar as candidaturas, dois deles entraram com um recurso de urgência diante da Corte Constitucional de Karlsruhe, na terça-feira (18).

Dessa forma, Die Partei (O Partido) protesta contra uma decisão que ele considera "ilegal". Esse partido, entretanto, fundado há cinco anos pelo jornalista satírico Martin Sonneborn, havia sido confirmado para as eleições legislativas de 2005. Mesmo excluído, O Partido encontra uma grande repercussão na mídia por causa de suas ideias no mínimo iconoclastas. Sua palavra de ordem: a divisão definitiva da Alemanha.

Ao afirmar que a reunificação é um fracasso, vinte anos após a queda do Muro de Berlim, Sonneborn propõe, por exemplo, transformar os Estados da ex-Alemanha Oriental em reserva natural... Para ilustrar suas propostas, ele supervisionou em 2005 a construção de um pedaço de muro de cinco metros de comprimento na fronteira entre Hesse, a oeste, e Turíngia, a leste. Oficialmente, no entanto, não foi por causa de seu programa que Die Partei foi excluído das eleições. A comissão diz não ter recebido da devida forma todos os documentos necessários para uma aprovação.

Franco-atirador

Outras vítimas, os "eleitores livres" da Baviera, também esperam a aprovação dos juízes de toga escarlate de Karlsruhe. Motivo de sua exclusão: a presidente do partido, Gabriele Pauli, não anexou sua assinatura abaixo do pedido de candidatura.

A terrível bávara, dissidente da União Cristã-Social (CSU), não se conforma de perder sua chance de entrar no Parlamento. Ela, que se tornou célebre em 2007 ao propor a instauração do casamento de duração determinada, acusou "os partidos estabelecidos" de quererem "manter à distância os pequenos partidos do processo de decisão democrática".

A ruiva Pauli comemorou o anúncio do envio de uma missão da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) durante as eleições. Convidados por Berlim, os doze observadores chegarão em meados de setembro na Alemanha para ficar três semanas. A interdição dos pequenos partidos poderá ser "um dos vários aspectos" da missão, segundo a OSCE. "Certamente haverá muito a fazer", se apressou a responder Pauli. Além dos cinco grandes partidos (CDU-CSU, SPD, FDP, Verde, Die Linke), 52 partidos marginais quiseram participar das eleições, um recorde. A comissão eleitoral recusou 31.

Franco-atirador, o comediante Hape Kerkeling também entrou na batalha eleitoral... nas telas. Em um filme que estreia nos cinemas na quinta-feira (20), "Isch kandidiere" ("Sou candidato"), seu personagem promete um salário mínimo de 2.500 euros desde o nascimento e a cobertura total de cirurgias plásticas. Segundo uma pesquisa do Instituto Forsa, seu partido fictício obteria 18% dos votos.

Acordo sobre a lei que acompanha o Tratado de Lisboa

Os partidos da grande coalizão alemã, CDU-CSU e SPD, entraram em um acordo, na terça-feira (18), sobre os ajustes necessários para a ratificação do Tratado de Lisboa.

No fim de junho, a Corte Constitucional interrompeu o processo, pedindo pela adoção de uma nova legislação que garanta as prerrogativas do Parlamento alemão. A CSU, irmã mais nova bávara da União Cristã-Democrata de Angela Merkel, complicou as negociações ao pedir para limitar ainda mais os poderes de Bruxelas. Em vão. O acordo prevê que o Parlamento seja consultado sobre todas as decisões intergovernamentais dentro da União Europeia, sem que sua opinião seja restritiva. Uma votação está prevista para 8 de setembro no Bundestag [câmara baixa do parlamento] e para 18 de setembro no Bundesrat [câmara alta do parlamento].

Tradução: Lana Lim

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host