UOL Notícias Internacional
 

25/08/2009

No Japão, candidatos destoam da paisagem política tradicional

Le Monde
Philippe Mesmer
Em Tóquio (Japão)
Cerca de 1.374 candidatos concorrem às eleições legislativas japonesas do domingo (30). Além dos representantes dos partidos tradicionais - o Partido Liberal Democrata (PLD) no poder, o Partido Democrata do Japão (PDJ) que poderá tomá-lo dele, ou ainda o Partido Comunista - diversos movimentos e personalidades terão a chance de se fazerem ouvir. Para o bem ou para o mal, e com um ponto em comum: destoam da paisagem política tradicional.

Nessa esfera se encontram políticos da velha guarda, como Tamisuke Watanuki, que deixou o PLD em 2005 para fundar o Novo Partido do Povo; ou como o ex-ministro Yoshimi Watanabe, também "renegado" do PLD e criador do Seu Partido.

Mas há coisas mais surpreendentes. Na noite de sexta-feira (21), perto da movimentada estação de Shibuya, em Tóquio, um personagem todo vestido de branco saiu de uma limusine com chofer para subir em uma caminhonete com o teto transformado em palanque eleitoral. De lá, ele se dirigiu à multidão com uma voz lancinante, ligeiramente rouca, soltando argumentos pontuados por recorrentes "Yes, you can".

Esse personagem de cuidadosa teatralidade é o Dr. NakaMats, apelido de Yoshiro Nakamatsu. Inventor prolífico, ele é conhecido por ter inventado o disquete. Político engajado, costuma se candidatar às eleições locais ou nacionais. Até agora, sem sucesso.

Antes sem filiação, desta vez ele conduz campanha para o Partido da Realização da Felicidade (PRF), um partido ligado à Ciência da Felicidade, seita criada em 1986 por Ryuho Okawa, da universidade de Tóquio, autor de quase 500 obras e sobretudo reencarnação autoproclamada de Buda.

Seu movimento representa 347 candidatos, mais que o Partido Liberal Democrata no poder, o PLD. Os meios aplicados estão à altura das promessas feitas.

O PRF quer fazer do Japão a principal potência econômica mundial, elevar sua população a 300 milhões de pessoas (hoje são 127 milhões) trazendo 100 milhões de imigrantes, tudo isso até 2030. Ryuho Okawa, que se diz inspirado pelos espíritos, também quer munir o país de capacidades de defesa que possam suscitar o respeito da China e da Coreia do Norte.

"Smile Therapy"
Mais leve, Mac Akasaka propõe lutar contra a crise com o sorriso. Presidente da Smile Therapy Association Foundation, ele faz comícios no centro de Tóquio usando trajes extravagantes, geralmente cor-de-rosa, rebolando em um Rolls-Royce. Ele propõe distribuir auxílios financeiros em massa aos "salary men" (executivos de cargos mais baixos, assalariados), aos comerciantes ou ainda aos desempregados. Ele também defende o recurso à smile therapy para curar a depressão.

Longe de toda essa agitação, o Partido das Pessoas Idosas continua estritamente virtual. Ele existe somente na Internet, onde oferece um espaço para debates. Seu fundador, o octogenário escritor progressista Nadai Nada, o criou por estar cansado de ver os políticos ignorando as verdadeiras expectativas do povo, especialmente das pessoas idosas. Ele quer "incitar as pessoas a se comportarem livremente".

A adesão a seu partido é gratuita. Basta se declarar membro. No site, os visitantes são convidados a se expressarem na "sala de Nada". Ainda que não seja um fervoroso partidário do PDJ, ele reconhece que sua chegada ao poder permitiria ao Japão viver uma alternância e se tornar "finalmente uma verdadeira democracia".

Tradução: Lana Lim

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h49

    0,50
    3,145
    Outras moedas
  • Bovespa

    16h55

    -0,66
    75.503,63
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host