UOL Notícias Internacional
 

24/02/2010

População norte-coreana passa pelo primeiro recenseamento desde 1993

Le Monde
Philippe Pons
Em Tóquio (Japão)

A República Popular Democrática da Coreia (RPDC), fechada e econômica em estatísticas, continua a ser um dos raros países para os quais devemos recorrer a estimativas feitas no exterior (principalmente na Coreia do Sul) para obter alguns dados de base.

O recenseamento efetuado pela Coreia do Norte, em cooperação com o Fundo das Nações Unidas para a População (Fnuap), disponível na internet (em especial no site North Korea Economy Watch), revela algumas coisas. A assistência das Nações Unidas, que enviou ao local cinco equipes de especialistas, confere aos resultados uma certa credibilidade.

  • AP/Korean Central

    Crianças norte-coreanas em Pyongyang (Coreia do Norte) durante cerimônia em comemoração aos 68 anos do ditador Kim Jong-il, ditador que comanda o país há vários anos

Esse primeiro recenseamento desde 1993 diz respeito aos quinze anos seguintes, ou seja, até 2008. Ele passa a imagem de um país cuja população cresce ligeiramente mas envelhece, e cujo estado de saúde se deteriora. No decorrer desses anos – marcados por um período de fome (1995-1998) que fez quase 1 milhão de mortos - , a população cresceu no ritmo anual de 0,85%. Ela contava 24 milhões em 2008, contra 21,2 milhões em 1993.

Em compensação, a Coreia do Norte tem menos crianças e o número de idosos aumentou. A proporção das crianças com menos de 15 anos caiu (24%), ao passo que a dos maiores de 65 anos aumentou (8,7%). A taxa de natalidade continua em torno de 2 por mil.

Mas a mortalidade infantil, que era de 14,1 por mil em 1993, passou para 19,3 por mil em 2008. O número de mortes de mães no parto passou de 54 para 77 por 100 mil. A expectativa de vida foi reduzida em 3,4 anos: 69,3 anos contra 72,7 anos em 1993.

A Coreia do Norte possui 5,9 milhões de famílias compostas por 3,9 pessoas. As moradias são em média de 50 a 75 m2, sendo que 85% têm acesso a água corrente e 58% dispõem de banheiros com descarga. Dos 24 milhões de habitantes, 3,2 milhões vivem na capital, Pyongyang. 21% da população vive em apartamentos, dos quais 4% dispõem de aquecimento central. O carvão é a principal fonte de energia na cidade, mas no campo é a lenha.

Quadro impreciso

O recenseamento fornece indicações sobre a distribuição da população por ocupação: 4,4 milhões (36%) trabalham no setor da agricultura e da pesca, com uma maior proporção de mulheres do que de homens. Em seguida vêm os setores da indústria (24%) e da educação. O índice de alfabetização entre os maiores de 10 anos “se aproxima dos 100%”. Um em cada sete garotos vai à universidade, enquanto a proporção de meninas é de uma em cada doze. O número de funcionários no “setor da administração e da defesa” chega a 720 mil (segundo Washington, o exército norte-coreano tem mais de 1 milhão de homens).

Desde 1967 a Coreia do Norte praticamente não publica mais estatísticas econômicas. Os únicos dados dos quais se dispõem são as estimativas anuais do Banco da Coreia (Seul). Portanto, o recenseamento 2008 representa em si um ligeiro progresso. Mas ele se limita – em conformidade com os objetivos desse tipo de exercício – a dados quantitativos, a partir dos quais são necessárias pesquisas complementares, para se ter um quadro um pouco mais preciso da situação. Ele omite, entre outras coisas, as consequências da escassez alimentar sobre o estado de saúde da população, exceto pela mortalidade infantil e redução da expectativa de vida.

Outras questões surgem: por exemplo, em quais condições qualitativas funciona um sistema educativo que reivindica um índice de alfabetização de 100%? O que significa a porcentagem de famílias que dispõem de água corrente em um país onde a falta de eletricidade paralisa as bombas? Quais são as consequências, em termos de desflorestamento, da utilização maciça de lenha como fonte de energia no campo...?


 

Tradução: Lana Lim

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host