UOL Notícias Internacional
 

09/03/2010

China está longe de modificar sua política cambial

Le Monde
Wei Gu
  • Apesar de sinais de que o yuan poderia ser valorizado, divisa deverá ficar estável em 2010

    Apesar de sinais de que o yuan poderia ser valorizado, divisa deverá ficar estável em 2010

O presidente do banco central da China acaba de emitir o que constitui até agora o sinal mais claro de que o yuan poderá ser valorizado. No entanto, senhores investidores, não se empolguem. Em Pequim, aparentemente ainda não há maturidade para agir.

Depois das declarações feitas por Zhou Xiaochuan, o yuan disparou na segunda-feira (8). Fazia cinco semanas que ele não se mostrava tão forte frente ao dólar nos mercados de “futuros”. Entretanto, o primeiro-ministro Wen Jiabao havia declarado na véspera que a divisa chinesa permaneceria estável em 2010.

A China naturalmente se preocupa em desencorajar as antecipações de uma valorização do yuan, temendo que elas atraiam especuladores. É certamente à palavra do primeiro-ministro que os investidores devem dar mais importância. O relatório anual do governo, na realidade um verdadeiro guia, afirma que esse ano a prioridade será dada às exportações. Antes, era mais uma questão de corrigir o desequilíbrio das trocas comerciais. Um dos objetivos demonstrados em 2008, a flexibilização do regime das taxas de câmbio, sumiu do relatório de 2009.

O Banco Popular da China quer que o yuan seja mais flexível a longo prazo, mas em matéria de política cambial, é Pequim que tem a última palavra. Tudo se decide no nível do Conselho dos Assuntos de Estado, que deve levar em conta outras instâncias governamentais como o ministério do Comércio, mais preocupado com a saúde das exportações. O ministro do Comércio não se privou de responder secamente à intervenção do presidente do banco central ao declarar que qualquer reforma do regime cambial só poderia ser operada de maneira progressiva e contida.

Sinais dissonantes
Como interpretar todos esses sinais dissonantes? Na verdade, é provável que Pequim ainda não tenha conseguido chegar a um consenso sobre a abordagem a adotar. A valorização deve demorar.

O próprio governador se manteve muito vago quanto a um possível cronograma. Ele ressaltou que a escolha de atrelar o yuan ao dólar durante todo o ano de 2009 havia sido uma forma de a China enfrentar a recessão econômica, sem, no entanto, definir o que poderia constituir a saída da crise. O primeiro-ministro Wen Jiabao anunciou que 2010 seria um ano “complicado” de administrar. É bem difícil imaginar que o poder central se apressará em mexer na política cambial antes que a situação se torne um pouco mais clara.

Tradução: Lana Lim

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host