UOL Notícias Internacional
 

17/04/2010

No Reino Unido, o liberal Nick Clegg seduz os telespectadores no primeiro debate eleitoral

Le Monde
Virginie Malingre
Em Londres (Reino Unido)
  • (Da esq. para a dir.) O liberal democrata Nick Clegg, o conservador David Cameron e o primeiro-ministro, o trabalhista Gordon Brown, durante o primeiro debate televisionado no Reino Unido

    (Da esq. para a dir.) O liberal democrata Nick Clegg, o conservador David Cameron e o primeiro-ministro, o trabalhista Gordon Brown, durante o primeiro debate televisionado no Reino Unido

Pela primeira vez na história da política britânica, os principais candidatos a uma eleição geral participaram, na quinta-feira (15), de um debate eleitoral pela TV. Gordon Brown, o primeiro-ministro trabalhista, usava uma gravata rosa, a cor do Labour Party. David Cameron, líder dos “tories”, se manteve fiel ao azul conservador. Já Nick Clegg, à frente dos liberais-democratas, decidiu iluminar o palco com amarelo.

Segundo uma pesquisa de opinião realizada ao vivo pela rede ITV, que organizava o evento, Nick Clegg foi o preferido dos telespectadores. É preciso dizer que ele tem a vantagem da novidade, uma vez que os liberais-democratas nunca governaram a Grã-Bretanha. E, com 20% das intenções de voto, eles não correm o risco de conquistar a Downing Street n°10 em um futuro próximo. “Há uma alternativa para os dois velhos partidos que nos governam há décadas”, insistiu Clegg, “não somos todos os mesmos políticos”.

Em matéria de imigração, criminalidade, educação, defesa ou ainda vida política, o líder dos liberais-democratas tentou se diferenciar. Sobre todos os temas, ele não ficou nem do lado dos conservadores nem dos trabalhistas, que vêm se alternando no poder.

Em nenhum momento ele iniciou a menor aproximação na direção de seus concorrentes, que poderão ter de se voltar a ele depois das eleições do dia 6 de maio, na tentativa de formar um governo. Pois ainda que as pesquisas deem Cameron como vencedor, elas não lhe garantem uma maioria parlamentar absoluta. E isso quando não preveem mais parlamentares trabalhistas, dado um sistema eleitoral muito favorável ao Partido Trabalhista.

Candidato do crescimento

Brown bem que tentou, pelo menos três vezes, dizer a Clegg que apoiava seus projetos de reforma do sistema eleitoral. Sem sucesso, embora sempre tenha militado nesse sentido, como lhe lembrou o candidato liberal-democrata. “Quero que os deputados desse país sejam eleitos com no mínimo 50% dos votos”, disse o primeiro-ministro, sendo que os deputados hoje são eleitos quando chegam à frente no fim de um único turno. Brown também indicou que queria reformar a Câmara dos Lordes, elegendo seus membros e reduzindo o número pela metade. “Por que não fez isso nos treze últimos anos?”, respondeu Clegg.

Quanto ao resto, o primeiro-ministro quis convencer os britânicos de que ele é o candidato do crescimento e dos serviços públicos. “Nós continuaremos a investir nas escolas, no policiamento e no sistema de saúde”, repetiu, enquanto Cameron só falou em proteger o National Health Service (NHS). E “nós continuaremos a sustentar a economia este ano” para não colocar “a retomada do crescimento em perigo” com cortes orçamentários muito rápidos, como defendem os conservadores.

Cameron respondeu que se trata de “economizar 6 bilhões de libras esterlinas no ano fiscal em curso”, sendo que o déficit orçamentário em 2009-2010 atingiu 167 bilhões de libras, ou seja, 11,8% do produto interno bruto. E Cameron compara: “Ou seja, uma libra para cada 100 que o Estado gasta. Qualquer cidadão já teve de fazer esse esforço”.

Tradução: Lana Lim

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h30

    0,09
    3,268
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h38

    -0,62
    63.687,24
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host