Exclusivo para assinantes UOL

Sobreviventes e familiares de vítimas ainda buscam respostas sobre os atentados de Paris

Cécile Bouanchaud

  • François Guillot

    Sobreviventes e familiares de vítimas dos ataques 13 de novembro chegam para reunião com juízes responsáveis pela investigação, na Escola Militar, em Paris

    Sobreviventes e familiares de vítimas dos ataques 13 de novembro chegam para reunião com juízes responsáveis pela investigação, na Escola Militar, em Paris

Durante seis semanas, Claude-Emmanuel ficou preso a seu leito de hospital depois de ser atingido por tiros de kalashnikov no bar La Bonne Bière. Já Jean-François entrou para a associação “13 de Novembro: Fraternidade e Verdade”, depois de ter perdido sua filha no La Belle Equipe. Desde que foi atingida pela explosão de um homem-bomba no Stade de France, Florette não conseguiu mais voltar ao trabalho. Gauthier, sobrevivente do ataque à casa de shows Bataclan, há seis meses tem seu dia-a-dia marcado por consultas médicas.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos