UOL Notícias Internacional
 

12/08/2004

Bush segue Kerry em campanha no sudoeste

The New York Times
Carl Hulse

Em Albuquerque, Novo México
Nesta quarta-feira (11/08) o presidente Bush se aventurou em um Estado no qual, em 2000, perdeu por uma margem mínima. Ele criticou a proposta do seu adversário democrata de redução das tropas no Iraque durante um percurso por uma região que está se transformando em um campo de batalha eleitoral intensamente visitado pelos candidatos.

Bush disse que o comentário feito pelo senador John Kerry na última segunda-feira --"Acredito que dentro de um ano poderemos reduzir significativamente a forças norte-americanas no Iraque"-- foi um erro porque tal medida seria interpretada como evidência de falta de determinação.

"Todos queremos que a missão seja completada o mais rapidamente possível", disse Bush. "Mas todos queremos que a missão seja realmente completada". Ele acrescentou: "A missão não será concluída o mais rapidamente possível se o inimigo achar que retiraremos um número substancial de soldados dentro de seis meses".

Bush falou em um fórum sobre pequenos negócios em um hangar de fabricação de aeronaves em Albuquerque que procurava mostrar como a política econômica do governo ajudou os empresários.

Admitindo que perdeu para Al Gore no Novo México por menos de 400 votos, Bush pediu aos que o apóiam que compareçam às urnas em novembro, dizendo que muitos deles ficaram em casa em 2000.

"Desta vez faremos com que eles saiam para votar", disse Bush, que discursou ao lado da maquete de um avião a jato para seis passageiros que está sendo construído na área de Albuquerque.

Kerry fez campanha no Estado há apenas alguns dias e os seus assessores disseram que o fato de Bush se concentrar no sudoeste evidencia o quanto Kerry é competitivo na região.

Em uma entrevista por telefone a jornalistas, Tad Devine, assessor de campanha de Kerry, disse que o comitê do candidato está otimista quanto às suas chances no Novo México, Arizona e Nevada --Estados que Bush visita neste momento-- , assim como no Colorado.

Devine afirmou acreditar que a campanha de Bush provavelmente não antecipou que teria que brigar tão arduamente por esses votos, e acrescentou: "Acreditamos estar em excelente forma para o outono".

Os assessores de Bush admitiram que o Novo México e outros Estados do oeste que fazem parte do itinerário do presidente serão muito concorridos. Scott Stanzel, porta-voz de campanha, observou que a derrota do presidente no Estado por 366 votos em 2000 equivale a menos de um terço de voto por jurisdição eleitoral.

"Foi por isso que nos empenhamos tanto e montamos uma forte organização de base e é esse o motivo pelo qual o presidente está hoje aqui", afirmou Stanzel.

O presidente valorizou os empregos criados pelos fabricantes do jato Eclipse 500, bem como o sucesso de outros donos de pequenos negócios. Ele também fez propaganda dos seus esforços para limitar os processos judiciais, afirmando que as alegações de erro médico têm afetado a oferta de serviços de saúde.

"Não creio que alguém possa ser ao mesmo tempo pró-paciente, pró-médico e pró-advogado", disse Bush, em uma insinuação sarcástica ao senador John Edwards, ex-advogado de tribunais que é o companheiro de chapa de Kerry. "O meu oponente fez a sua escolha, e a colocou na sua chapa".

Phil Singer, um porta-voz de Kerry, disse que os comentários de Bush sobre o Iraque se constituem em uma tentativa de "evitar uma discussão sobre a sua política fracassada".

"Algo que sabemos com certeza é que, sob o comando de Bush, as nossas tropas permaneceriam no Iraque por muito mais tempo que sob um governo Kerry", afirmou Singer.

"Após dezoito meses nessa guerra, George Bush ainda não apresentou um plano para conquistar a paz, as forças armadas estão dispersas por frentes extensas, e os Estados Unidos são menos respeitados no mundo".

As opiniões divergentes foram manifestadas em um dia em que o comitê de Bush lançou uma propaganda centrada na questão da segurança nacional. "O meu dever mais solene é liderar a nossa nação para nos proteger", diz Bush na propaganda.

"Não posso imaginar a enorme agonia de uma mãe ou de um pai que precisa decidir que filho salvar primeiro em 11 de setembro. Não podemos hesitar. Não podemos ceder. Precisamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para levar o inimigo à justiça antes que ele nos atinja novamente".

A propaganda de 30 segundos será exibida em 19 Estados. Enquanto Bush continuava a sua caravana de cinco dias por oito Estados, que começou na última terça-feira, o comitê de Kerry acusava o presidente de estar seguindo os passos do democrata pelo país, lembrando que Kerry acabou de visitar Novo México, Arizona e Nevada e está seguindo para Califórnia e Oregon --dois Estados que Bush também visitará nesta semana.

"George W. Bush está mais uma vez brincando de seguir o líder", disseram em um comunicado à imprensa os assessores de Kerry. Presidente vai a Estados onde o democrata esteve esta semana Danilo Fonseca

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    -0,22
    3,175
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h23

    1,12
    65.403,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host