UOL Notícias Internacional
 

14/08/2004

Bush não confirma se irá a debates com Kerry

The New York Times
Jim Rutenberg

Em Nova York
A comissão encarregada de cuidar dos debates presidenciais nos Estados Unidos escolheu a lista de moderadores para os quatro encontros que serão transmitidos pela televisão, logo antes das eleições. Agora só falta o presidente Bush concordar em comparecer.

A comissão bipartidária organizadora dos debates presidenciais declarou que os moderadores, todos de grandes redes de televisão, serão Jim Lehrer da rede de emissoras públicas PBS, Bob Schieffer da rede CBS e Charles Gibson da rede ABC.

Cada um deles irá moderar um dos três debates entre os candidatos à Casa Branca, previstos para o período entre o final de setembro e o começo de outubro. O apresentador Gwen Ifill, da rede PBS, será o moderador do debate entre os candidatos a vice-presidência.

O candidato democrata, o senador John Kerry, de Massachusetts, concordou em comparecer aos três debates, assim como seu companheiro de chapa, o senador John Edwards, do Estado da Carolina do Norte, também já confirmou sua presença no encontro entre os "vices".

Mas tanto Bush como seu companheiro republicano, o atual vice-presidente Dick Cheney, ainda terão que concordar quanto às datas e aos formatos dos programas de debates na TV.

Os democratas afirmam que têm expectativas quanto à participação de Bush, pelo que o presidente declarou no programa de Larry King, da CNN, na noite da última quinta-feira (12/08). Ele disse: "Os debates irão acontecer, ninguém precisa se preocupar com isso".

Numa videoconferência nessa sexta, repórteres perguntaram ao gerente organizador da campanha republicana, Ken Mehlman, se o presidente Bush estaria de acordo quanto aos planos da comissão organizadora dos debates. Mehlman disse que Bush e seus assessores ainda não decidiram esse assunto por estarem concentrados e mais ocupados com outro assunto- a próxima convenção republicana.

Mas o gerente republicano acrescentou: "Eu acredito que vai acontecer uma boa série de debates".

Normalmente, em todas as eleições americanas, os presidentes em exercício de mandato ficam menos entusiasmados em relação aos debates que seus desafiantes, que sempre podem ganhar mais projeção quando dividem o cenário de um debate com o presidente.

Um dos assessores mais experientes de Bush disse nessa sexta-feira que o comando republicano não via motivos para "amarrar" particularmente aos debates, nesse momento da campanha.

A comissão organizadora dos debates esse ano faz questão de anunciar seus planos com uma aura de inevitabilidade, ao afirmar que as datas e os formatos não são negociáveis, e ao adiantar a divulgação da lista de moderadores.

O comunicado da comissão atingiu a NBC, a campeã de audiência entre as três maiores redes americanas de televisão, e que foi a única delas que não conseguiu escalar seu moderador. A rede tinha planos para Tom Brokaw, esperando que o famoso apresentador do noticiário do horário nobre moderasse o último dos debates, antes de se aposentar do comando de seu telejornal, o que acontecerá logo após a eleição.

A divisão de jornalismo da NBC declarou oficialmente: "Ficamos surpresos e profundamente decepcionados porque a principal divisão de telejornalismo não teve nenhum de seus profissionais entre os escolhidos. Não nos faltam moderadores de qualidade, numa lista encabeçada por Tom Brokaw."

Janet H. Brown, uma porta-voz da comissão bipartidária, afirmou que os organizadores dos debates têm evitado usar "âncoras" famosos como moderadores desde 1988, por temerem que os apresentadores possam ofuscar o brilho dos candidatos.

"Para os moderadores é importante focar total atenção nos candidatos", disse a porta-voz. "E o simples fato dos âncoras serem celebridades, o que aliás lhes é devido e merecido, às vezes se torna uma atração à parte nos debates."

Nessa quinta-feira, um juiz federal deliberou que a Comissão da Eleição Federal não deveria ter rejeitado uma queixa apresentada em 2000, contra os organizadores do debate.

A queixa alegava que a comissão dos debates havia atuado com parcialidade em 2000 quando impediu a presença, até mesmo na platéia dos debates, dos outros candidatos além do democrata e do republicano. Entre os candidatos alternativos que não foram autorizados estavam Ralph Nader, pelo partido verde, e Patrick J. Buchanan, do partido reformista.

O juiz federal, Henry H. Kennedy Jr., disse na quinta-feira que a comissão eleitoral deveria investigar esse assunto.

Já a comissão dos debates disse na época que a presença dos outros candidatos dispersaria a atenção do público. Nenhum dos alternativos foi incluído nos debates porque eles não atingiram o padrão exigido pela comissão, que estipulava que os participantes nos debates deveriam ter pelo menos 15 por cento da intenção dos votos, segundo apuração de cinco dos institutos americanos de pesquisa eleitoral.

A mesma regra vale para esse ano, o que significa mais uma vez a ausência de Ralph Nader nos debates. A comissão que organiza os debates não quis comentar se ele será autorizado a pelo menos assistir da platéia aos próximos embates públicos entre Bush e Kerry. Participação permanece indefinida; os mediadores são anunciados Marcelo Godoy

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    11h50

    0,01
    3,168
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h54

    -0,71
    65.198,35
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host