UOL Notícias Internacional
 

17/08/2004

Polícia intimida eleitores negros para ajudar Bush

The New York Times
Bob Herbert

Colunista do NYTimes
A principal notícia vinda da Flórida no último fim de semana foi a devastação trágica causada pelo furacão Charley. Mas há uma outra história oriunda daquele Estado que merece a nossa atenção.

Policiais estaduais foram às casas de cidadãos negros idosos em Orlando, como parte de uma estranha "investigação" que assustou vários eleitores, intimidou os voluntários idosos, e complicou os esforços para contar com a participação do eleitorado negro em novembro.

Os policiais, do Departamento de Manutenção da Lei da Flórida, subordinado ao governador Jeb Bush (irmão do presidente), disseram que estavam investigando denúncias de fraudes eleitorais supostamente ocorridas na eleição para a prefeitura de Orlando em março.

Eles se recusaram a informar detalhes sobre a investigação, tendo dito apenas que ela dizia respeito ao voto à distância (geralmente feito pelo correio). Os policiais disseram não ter idéia de quando a investigação terminará, e admitiram que ela pode continuar durante a eleição presidencial.

"Fizemos uma análise preliminar dessas denúncias e concluímos que há evidências suficientes para que seja realizada uma investigação criminal", diz Geo Morales, porta-voz do Departamento de Manutenção da Lei.

Os policiais, armados e uniformizados, interrogaram dezenas de eleitores nas suas casas. Alguns dos cidadãos interrogados eram voluntários de campanhas a favor do voto à distância.

Perguntei a Morales por telefone que atividade criminosa ocorrera.

"Não posso falar sobre isso", respondeu.

Indaguei se todas as pessoas interrogadas eram negras.

"Bom, estávamos em um bairro predominantemente negro. Sim", disse ele.

"Eles eram, em sua maioria, pessoas idosas", acrescentou.

Quando lhe perguntei por que esse grupo, especificamente, foi alvo da operação, ele disse: "São apenas pessoas que selecionamos aleatoriamente para entrevistá-las".

Nos velhos e maus tempos, há algumas décadas, quando os brancos sulistas lançavam mão de todos os tipos de artifícios para impedir que os negros votassem, estes muitas vezes resistiam, criando associações de eleitores, que eram organizações para auxiliar a registrar, educar e encorajar os eleitores negros. Isso virou uma tradição que continua em vários locais, incluindo a Flórida.

Não é de se surpreender que vários eleitores negros idosos que se viram frente a frente com policiais estaduais em Orlando sejam membros da Liga de Eleitores de Orlando, que teve sucesso em mobilizar os votos negros na cidade.

O presidente da Liga de Eleitores de Orlando é Ezzie Thomas, de 73 anos. Com a sua comprovada capacidade para mobilizar os eleitores negros de Orlando, Thomas é um alvo tentador para os correligionários de George W. Bush, em um Estado no qual o voto negro pode significar a diferença entre vitória e derrota.

Há o odor vil da supressão de votos nessa chamada investigação, conduzida pelo Departamento de Manutenção da Lei da Flórida.

Joseph Egan, um advogado de Orlando que representa Thomas, disse: "A liga de eleitores possui integrantes que vão às comunidades para registrar eleitores, conduzir as pessoas até as urnas e ajudar a viabilizar o voto à distância. São em sua maioria mulheres idosas. Elas recebem US$ 100 por um trabalho de quatro ou cinco meses, apenas para ajudar com pequenas despesas. Para elas essa atividade política é uma contribuição importante para a sua comunidade. Alguns dos membros da comunidade jamais haviam depositado um voto na urna antes de uma integrante da liga aparecer à sua porta e encorajá-los a votar".

Agora, diz Egan, o medo gerado pelos policiais estaduais que vão até as casas sob a alegação de estarem conduzindo uma investigação criminal relacionada às eleições ameaça neutralizar grande parte do trabalho feito pela liga. "Uma mulher me perguntou se iria para a cadeia porque votou à distância", conta Egan.

"Pessoas que votaram por correio durante anos estão se recusando a permitir que membros da liga as visitem nas suas casas. E voluntários que participaram por vários anos de trabalhos assistenciais, especialmente aos idosos e inválidos, estão assustados e não querem se arriscar a serem alvo de uma investigação criminal".

A Flórida é muito importante para a eleição presidencial. Algumas pesquisas realizadas no Estado indicam que Kerry está na dianteira. Uma investigação truculenta da polícia estadual, que lança um manto de medo sobre milhares de eleitores negros, só pode ajudar o presidente Bush.

A antiga e vergonhosa tradição de suprimir os votos negros está viva e próspera na Flórida. Grande maioria de afroamericanos da Flórida vota em democratas Danilo Fonseca

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,56
    3,261
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h21

    1,28
    73.437,28
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host