UOL Notícias Internacional
 

31/12/2004

Democrata vence eleição após duas recontagens

The New York Times
Sarah Kershaw

Em Seattle
Cinqüenta e oito dias após a eleição, a democrata Christine O. Gregoire foi declarada a governadora eleita do Estado de Washington (costa oeste dos EUA) nesta quinta-feira (30/12). Ela venceu a eleição --por apenas 129 votos, num universo de 2,9 milhões-- apenas na 2ª recontagem.

Longe de reconhecer a derrota e colocar um fim a esta longa eleição, seu adversário republicano, Dino Rossi --que havia vencido a eleição por 261 votos e a primeira recontagem por 42--, deixou claro que não está disposto a reconhecer que Washington tem uma governadora eleita. Ele indicou que está disposto a contestar os resultados, mas não anunciou nenhum plano específico.

Mesmo o secretário de Estado, Sam Reed, um republicano que certificou os resultados da recontagem final na quinta-feira, declarando Gregoire vencedora por 129 votos, indicou que não espera que as coisas terminem aqui. Ao ser questionado se Gregoire tomará posse como previsto em 12 de janeiro, Reed disse: "Eu não disponho de informação suficiente para poder dar algum palpite. Eu não sei o que acontecerá".

Reed disse que apesar de acreditar na precisão dos resultados eleitorais e não ter motivo para suspeitar de fraude ou conduta indevida, ele disse que também acredita que Rossi tem o direito de rever a contagem para um possível questionamento legal.

Rossi, 45 anos, um ex-senador estadual e rico corretor imobiliário, enviou para Gregoire, 57 anos, uma carta na noite de quarta-feira pedindo para que se juntasse a ele em um pedido para que o Legislativo, controlado pelos democratas, ordene uma nova votação para governador. Ela recusou, dizendo na quinta-feira que a contagem mais precisa das três realizadas foi a manual requisitada pelo Partido Democrata, após a recontagem automática ter dado a Rossi uma vantagem de apenas 42 votos.

Ela disse estar seguindo em frente como governadora eleita do Estado.

"Uma repetição para Mike e eu", disse Gregoire, se referindo ao seu marido, "é possível apenas no golfe. Nós chamamos de 'mulligan' (uma nova chance na tacada inicial, em jogos informais, quando a primeira é muito ruim). Mas isto não é golfe e não é um treino. Isto é uma eleição. Já ocorreram três contagens".

Por pouco Gregoire não pediu para Rossi reconhecer a derrota, dizendo: "Pediram-me muitas vezes para conceder a vitória. Agora cabe ao senador Rossi fazê-lo quando e se quiser".

Gregoire, a secretária estadual de Justiça, exibia um ar de governadora em torno dela na coletiva de imprensa televisionada, realizada no prédio do legislativo estadual em Olympia, enquanto parabenizava seu adversário pela campanha bem realizada, se dirigia aos repórteres pelo primeiro nome, respondia perguntas sobre o orçamento e aumento de impostos e comentava a posse no próximo mês.

"Eu estou preparada para a posse do cargo", disse ela. "Vamos nos unir pelo Estado de Washington."

Os republicanos, ou qualquer eleitor que deseje contestar os resultados de recontagem final na Justiça, terá de agora até 10 dias após a posse de Gregoire para fazê-lo dentro da lei. A menos que o Legislativo decida dar a Gregoire seu "certificado de eleição" em outra data, disse Reed, os republicanos têm até 22 de janeiro para contestar a eleição.

Segundo a lei estadual, a eleição poderá ser contestada tanto na Justiça quanto no Legislativo, mas Reed disse que historicamente no Estado de Washington, tais contestações de eleições são impetradas na Justiça.

A forte possibilidade de que esta eleição seja contestada pelo Partido Republicano e pela campanha de Rossi gerou imediatamente dúvidas sobre se Gregorie tomará posse e começará a governar o Estado, para depois ter sua vitória anulada.

A Justiça ou o Legislativo poderão ordenar uma eleição especial, uma nova votação, ou o Legislativo ou a Justiça, como fez a Suprema Corte dos Estados Unidos no caso de George W. Bush, em 2000, poderá decidir quem venceu com base nas evidências apresentadas a eles, disse Reed.

Rossi, realizando sua própria coletiva de imprensa, disse que advogados e observadores eleitorais ainda estão pesquisando as possibilidades de uma contestação legal. Mas ficou claro que os republicanos estão elaborando seu argumento para contestação da eleição, expondo uma série de problemas que disseram ter encontrado em King County, o mais populoso condado do Estado e forte reduto democrata.

O líder republicano do Senado estadual, Bill Finkbeiner, emitiu uma declaração na noite de quinta-feira dizendo que vários senadores republicanos já manifestaram seu apoio a uma nova votação e que discutirão as opções em janeiro.

"Esta eleição expôs as falhas em nosso sistema eleitoral e destruiu a confiança de muitos de nossos cidadãos nele", disse Finkbeiner.

Em sua coletiva de imprensa em Bellevue, a leste de Seattle, Rossi disse: "A maioria das pessoas não acredita --eu não acredito-- que tudo está correto nesta eleição. Nós vamos chegar ao fundo disto".

Os dois candidatos discutiram em torno de qual era mais precisa, a recontagem manual ou a recontagem mecânica.

"Se eu tivesse perdido as duas contagens mais precisas e vencido a menos precisa recontagem manual", disse Rossi, "eu não gostaria de assumir o governo com esta nuvem pairando sobre minha cabeça. Eu preferiria uma nova votação". Candidato republicano havia vencido apuração e a 1ª recontagem George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    11h49

    -0,38
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h53

    0,01
    65.284,65
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host