UOL Notícias Internacional
 

10/01/2005

Hotéis de 5 estrelas proliferam em países pobres

The New York Times
Stuart Emmrich

Em Nova York
Há algum lugar na Terra que ainda não tenha dado as boas vindas aos hotéis de luxo? Talvez o Camboja? Não, o Amansara, antiga casa de hóspedes do rei Norodom Sihanouk foi reformada para se tornar um resort de luxo, com 12 suítes, a 10 minutos da entrada de Angkor. Os preços dos quartos para casal no Amanresorts começam em US$ 775 (em torno de R$ 2.300) por noite.

O Mar Vermelho? O resort Hurghada, no Egito, há muito é reconhecido, nas palavras de uma revista de viagens, como um destino "espetacularmente sem charme" para pacotes. Mas isso foi antes da chegada, há dois anos, do Oberoi Sahl Hasheesh, um hotel de 102 suítes. Os preços das "grandes suítes" -que têm piscina própria e jardim privado- começam em US$ 720 (em torno de R$ 2.160) por noite, na alta estação.

A floresta tropical australiana? Por aproximadamente US$ 218 (em torno de R$ 650) por noite, o Fur 'n' Feathers, 617-409) 653-64,www.rainforesttreehouses.com.au , dá ao cliente sua própria casa de luxo nas árvores (completa, com acesso à Internet) no meio de um santuário da vida selvagem de 40 alqueires no norte de Queensland, habitado por cangurus e aves tropicais. ("Sem mosquitos, moscas ou crocodilos", promete a empresa.)

E, em 2005, os hotéis de luxo continuarão ocupando os quatro cantos do mundo, chegando em locais ainda intocados por lençóis Frette e televisores de plasma.

Talvez nenhum lugar na Terra tenha incorporado tão bem os excessos do luxo quanto Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. O Golfo Persa abriga o tão fotografado (e auto-proclamado 7 estrelas) Burj al Arab e continua a atrair novos hotéis de luxo. Entre as inaugurações recentes estão o ornado Al Qasr Hotel, construído no estilo de uma antiga cidadela árabe, e uma segunda filial do Shangri-La. Ainda por vir: Atlantis, The Palm, uma incorporação de luxo com 2.000 quartos, um hotel submarino e um enorme shopping, que abrigará uma pista de esqui coberta por uma abóbada de vidro. Ali perto, em Abu Dhabi, o Emirates Palace -um hotel de 394 quartos construído ao estilo de um palácio oriental, com 114 domos cobertos com mosaicos de vidro, abrirá no início de 2005. Na vizinha Doha, o Four Seasons, (800) 819-5053, www.fourseasons.com, inaugurará sua primeira propriedade no Golfo Persa no final do ano.

Nos últimos anos, o Vietnã vem se transformando. De um lugar visitado pela geração do "baby-boom" procurando exorcizar seus demônios está se tornando um jardim de prazeres sem culpa, cheio de resorts de cinco estrelas e campos de golfe de primeira classe. Neste mês inaugura o Sila Evason Hideaway, em Ana Mandara, no Ninh Van Bay, com chalés de praia de luxo com piscinas, deques e adegas privadas. Os quartos saem a partir de US$ 700 (em torno de R$ 2.100) por noite na alta estação; (66-77) 245-678; www.sixsenses.com/hideaway-samui/index.php.

A Ásia, de fato, é local do momento para o turismo cinco estrelas. Na Tailândia, China Mai -famosa durante anos como paraíso dos mochileiros- está decididamente tornando-se elegante com a chegada de um Mandarin Oriental. Espalhado em 24 alqueires, o Mandarin Oriental Dhara Dhevi (66-53) 888-888, www.mandarinoriental.com, oferece um spa de 2.900 metros quadrados, quadras de tênis e squash, uma escola de culinária tailandesa e residências de mais de 180 metros quadrados (a partir de US$ 1.200, ou cerca de R$ 3.600 por noite), com piscina própria e sala de estar com vista para os campos de arroz.

Enquanto isso, o Four Seasons está abrindo um hotel de luxo neste ano em Langkawi, um arquipélago de 99 ilhas que se estende pelo Mar de Andaman, na Malásia. A empresa de bens de luxo Bulgari,(800) 285-4274, www.bulgarihotels.com, depois do sucesso de seu primeiro hotel, em Milão, abre outro neste ano em Bali. (Infelizmente, entre os locais que aguardavam algumas das mais esperadas inaugurações de hotéis estava o Sri Lanka, que, antes de ser devastado pela recente tsunami, emergia como destino turístico depois de anos de guerra civil.)

O Mandarin Oriental também está chegando ao México, na Riviera Maya, abrindo 128 chalés no final do ano, ao sul de Cancun. (Outro hotel que deve inaugurar na área em fevereiro é o Essência, de 29 quartos, em um terreno de 20 alqueires, na Playa Xpu-Há. Os preços começam em US$ 375, em torno de R$ 1.125 por noite.)

Enquanto isso, One&Only, a empresa de resorts caros (Royal Mirage, em Dubai, e Le Touessrok, em Maurício) recentemente incorporou o Palmilla, em Los Cabos, México, (866) 829-2977, www.oneandonlyresorts.com/oao/palmilla/ (a partir de US$ 425, ou R$ 1.275) a sua lista de propriedades. Além deste, está desenvolvendo um resort de luxo em Marrakesh -um destino que voltou a ser visitado por viajantes bem rodados (particularmente os que procuram uma alternativa ao Mamounian).

No Caribe, grande parte das novidades está nas ilhas Turks e Caicos, onde o Palms, um resort de 72 suítes na praia de Grace Bay, vai abrir no final do mês. Também o Amanyara deve inaugurar no final de 2005 a primeira propriedade do Amanresorts no Caribe.

Um dos destinos mais quentes na Europa atualmente é Tallinn, capital da Estônia. Mas, até recentemente, era difícil encontrar um hotel de estilo na cidade. Isso terminou com a chegada do Three Sisters, (372-6) 306-300, www.threesistershotel.com, o primeiro hotel butique da cidade, com 23 quartos em prédios do século 14 (a partir de US$ 367, ou R$ 1.100) e um bar de vinhos, Cloud Seven, que promete se tornar famoso na cidade.

Em Lisboa, Portugal, a área da moda agora é o Bairro Alto, onde o hotel chamado adequadamente de Bairro Alto deve abrir na primavera. A mais recente propriedade da hoteleira Grace Leo-Andrieu (do Montelambert em Paris), com 55 quartos, (351) 21-340-8288; www.hotelbairroalto.com, foi instalada em uma construção do século 18 e terá um ginásio com vista para o Rio Tagus.

Mais perto de casa, o St. Regis está abrindo hotéis em San Francisco (a partir de US$ 600, ou R$ 1.800) e Fort Lauderdale (a partir de US$ 550, ou R$ 1.650). Em Miami Beach, o novo Victor Hotel (91 quartos, a partir de US$ 475 ou R$ 1.425 por noite) tentará aquecer novamente a Ocean Drive, epicentro original do renascimento de South Beach. Camboja, Estônia e Riviera Maya abrigam estabelecimentos de luxo Deborah Weinberg

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,235
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h20

    -0,10
    74.518,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host