UOL Notícias Internacional
 

11/01/2005

Los Angeles se transforma na capital da tatuagem

The New York Times
Angela Frucci

Em Pomona, Califórnia
Dentro de um lotado centro de convenções daqui, Chuco Caballero, vestindo apenas um calção azul de boxe, estava no centro de uma multidão que o admirava. Era o último dia da Body Art Expo 2005, um encontro de aficionados por tatuagem, e o zumbido dos aparelhos de tatuagem, parecido com o de uma praga de gafanhotos, preenchia o salão.

O corpo de 53 anos de Caballero parecia coberto de retratos: Susan Hayward, Robert De Niro, a Estátua da Liberdade sob uma axila e alguns gângsteres ameaçadores logo acima de seu tornozelo. Chuco, como ele é chamado, é uma tela ambulante do que é conhecido como "preto e cinza", um estilo de Los Angeles que surgiu da cultura chicana (mexicana-americana) da cidade, e é altamente popular aqui.

Isto pode ser comprovado pela grande presença de praticantes e fãs no centro Fairplex, nesta cidade a cerca de 48 quilômetros a leste de Los Angeles, que está despontando como a mais recente capital da tatuagem.

"O novo milênio está começando a ser Los Angeles", disse Baba, da Vintage Tattoo Art Parlor, em Los Angeles, e um dos patrocinadores da convenção de três dias, que terminou no domingo. Agora é novamente a vez da cidade: nos anos 70, Los Angeles era o local para se fazer tatuagem, nos anos 80 foi a vez de Nova York ser a capital, e San Francisco foi nos anos 90.

"O que está ocorrendo em Los Angeles é uma sobreposição; esta é a forma mais fácil de descrever", continuou Baba (no mundo da tatuagem, nomes com uma só palavra são a norma).

"Você tem americanos fazendo belas coisas nipo-americanas; você tem pessoas misturando coisas "hot rod" (carros envenenados) com chicano; você tem pessoas misturando coisas tradicionais com nova escola. Quero dizer, assim como a mistura de pessoas nesta cidade no momento, é assim que o mundo da tatuagem está agora. Você tem os mestres, os tatuadores reis de Los Angeles, e eles estão liderando a turma e promovendo a inovação."

Enquanto ele falava, Baba realizava uma modificação na barriga de uma jovem chamada Sabrina. Enquanto ela se deitava na mesa diante dele, lágrimas rolavam de seu cílios com pintura carregada. Originalmente, Sabrina tinha uma tatuagem de cruz com o nome de seu avô, mas ela queria algo novo. "Seja forte", Baba disse a ela.

O estilo monocromático preto e cinza, como muitas das imagens que decoram a pele de Chuco, freqüentemente refletem temas culturais, religiosos e de prisão. O estilo foi popularizado por figuras bem conhecidas da tatuagem como Jack Rudy, Freddy Negrete e Ed Hardy.

"Jack Rudy estava crescendo em Los Angeles quando o estilo preto e cinza começou a sair das prisões", explicou Lucky, que estava atendendo no estande da Good Time Charlie's Tattooland, de Anaheim. "As pessoas o queriam", acrescentou Lucky, deixando de lado os desenhos mais simples inspirados em motoqueiros, como caveiras.

"Eu cresci nos anos 60", disse Chuco, que estava posando na frente do estande, "quando você só podia ter uma tatuagem se fosse membro de uma gangue, um viciado em drogas ou estivesse na prisão. Agora, celebridades e astros do cinema tornaram a tatuagem popular". Seus desenhos em preto e cinza, a maioria retratos realizados a traço, são preenchidos com sombreados.

A poucos estandes dali, estava Bill Salmon do Diamond Club Tattoo Parlor, de San Francisco. Seu artista de tatuagem convidado era Hori Zakura, que cria tatuagens tradicionais japonesas. Em vez de agulhas, Zakura cria gradações nas escamas de uma carpa tatuada rolando um rolo com pontas de um lado para o outro na pele de seu cliente. O processo parecia mais meditativo tanto para o tatuador quanto para o tatuado e menos doloroso do que o método de máquina de agulhas, que inflama a pele.

A espera por uma tatuagem de um artista que está em alta pode ser de meses até um ano. "Eu esperei para conseguir uma tatuagem do Bugs por muito tempo", disse Kyle Straton sobre um artista nascido na França que é, segundo sua própria confissão, um forasteiro no setor.

Bugs, que trabalha na Tabu Tattoo, no Oeste de Los Angeles, estudou artes plásticas na França. Seu estilo é incomum, apoiado altamente no cubismo. Durante as duas horas em que Straton ficou sentado serenamente enquanto Bugs trabalhava, um Jesus com coroa de espinhos foi lentamente ganhando forma na sua nuca. Os transeuntes paravam, alguns parecendo confusos diante da arte de Bugs.

"É muito simples, agulhas e pele, dor e muito sangue", disse Bugs, limpando as gotículas de sangue das costas de seu cliente com um sabão antibacteriano. "Eu nunca usei o desenho de outra pessoa. As pessoas me dão um tema, e eu desenvolvo meu próprio desenho."

A vários passos dali, Ron Earhart estava dando os toques finais em uma tatuagem em seu estilo biomecânico. "Eu estou na zona; não dói", disse seu cliente, cujo nó céltico verde despontava da carne rasgada de seu braço. O Newskool Tattoo Studio de Earhart, em San Jose, é especializado na fusão de carne e máquinas: engrenagens, chaves e maquinários. O estilo lembra muito o de "Alien - O 8º Passageiro", ele disse, e a criatura insectóide criada por H.R. Giger.

No início da noite de sábado, começou o julgamento da melhor tatuagem "Preta e Cinza, Grande" do dia. Mando, que pesa cerca de 170 quilos, caminhou diante de uma fileira de juízes, parando brevemente para permitir que cada um examinasse suas costas. A grande área estava coberta por uma enorme caveira, feita no estilo Tiki, ou ilha. Ela levou 12 seções --variando de 1 hora e meia até 6 horas cada-- para ser concluída. Mando, que é chicano, disse que recebeu a tatuagem para "demonstrar apreço pela arte".

Ele perdeu para um grande Elvis preto e cinza. Arte advém da fusão de elementos culturais dos EUA e mexicanos George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,31
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,60
    62.662,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host