UOL Notícias Internacional
 

20/01/2005

"American Idol" estréia com sucesso retumbante

The New York Times
Bill Carter

Em Nova York
Todas as recentes previsões apocalípticas sobre o futuro dos "reality shows" foram convincentemente despedaçadas na noite da última terça-feira (18/01) com o retorno de "American Idol" na Fox americana, que obteve seus maiores índices de estréia. No Brasil, o programa será exibido às segundas-feiras no canal Sony.

Os resultados para a competição de cantores foram tão grandes que já levaram vários executivos das redes rivais a preverem que a Fox, que contará com mais de 40 horas de "Idol" pela frente (além do Super Bowl, a final do futebol americano), subirá do último lugar para o primeiro em um espaço de cerca de um mês nesta temporada.

A estréia de duas horas de "American Idol" superou a de todos os programas de entretenimento nesta temporada, atraindo 33,5 milhões de espectadores. Isto representa mais do que qualquer episódio da série de sucesso "Desperate Housewives", da ABC, e mais do que qualquer episódio da série de televisão mais vista, "CSI", da CBS, nas noites de quinta-feira.

"Eu nunca vi um programa apresentar uma performance como esta na minha carreira", disse Gail Berman, presidente da Fox Entertainment, que acrescentou que ninguém da rede esperava números tão altos. "É desconcertante. Não dá para acreditar no poder deste programa."

Do ponto de vista da Fox, o que mais importa é como o programa se saiu entre a faixa de público de 18 a 49 anos que a rede vende para a maioria dos anunciantes. Nesta faixa, "Idol" apresentou um número esmagador, uma audiência de 14 pontos, ou cerca de 18,2 milhões de espectadores, novamente um número muito maior do que qualquer outro programa de entretenimento nesta temporada.

Alguns executivos da TV sugeriram que o programa foi ajudado um pouco neste ano pelo frio dolorosamente intenso no Leste e no Meio-Oeste, que sempre tende a manter as pessoas dentro de casa e diante da televisão.

Seja qual for o motivo, "Idol" voltou maior do que nunca. Mais de 4 milhões de espectadores adicionais assistiram a estréia deste ano em relação ao ano passado, que atraiu 29 milhões de espectadores.

Apesar de muitos executivos de TV notarem com satisfação que isto mantém a tendência de muitas séries e programas atraindo grandes audiências neste ano --como "Desperate Housewives" e "Lost" na ABC, "Medium" na NBC, e as séries "CSI" na CBS-- os rivais da Fox expressaram muito dissabor pelo fato da rede conseguir se lançar seriamente na disputa da audiência sustentada basicamente por um único programa.

A Fox, que virtualmente não viu nada funcionar de setembro até janeiro, já apresenta audiências promissoras para a volta da série "24 Horas" e sua série jovem "The O.C." (que vão ao ar no Brasil, respectivamente, pela Fox e pelo Warner Channel).

Berman notou que "Idol" ajudará a promover as séries da Fox, especialmente "The O.C.", "House", que passa depois de "Idol" às terças-feiras, e algumas futuras comédias, incluindo uma estrelada por Pamela Anderson. Nova temporada do "reality show" musical dá recorde de audiência George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    15h49

    0,12
    3,145
    Outras moedas
  • Bovespa

    15h59

    0,40
    64.945,92
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host