UOL Notícias Internacional
 

03/02/2005

Bush defende agenda conservadora para os EUA e busca seu lugar na história

The New York Times
David E. Sanger e

Richard W. Stevenson

Em Washington
Doug Mills/The New York Times

Janet Norwood, mãe de um fuzileiro morto no Iraque, abraça Safia Taleb al-Suhil, iraquiana que votou na eleição do país; ambas são observadas pela 1ª dama Laura Bush, durante o evento
Na noite desta quarta-feira (2/2), o presidente Bush desafiou o Congresso a se juntar a ele na reinvenção do Seguro Social para o século 21, e expôs pela primeira vez os detalhes de como criará contas de investimento individuais e garantirá a saúde a longo prazo do sistema de aposentadoria.

"O Seguro Social foi um grande sucesso moral do século 20, e nós devemos honrar seus grandes propósitos neste novo século", disse ele. "Mas o sistema, em seu estado atual, está caminhando para a falência. E nós devemos nos unir para fortalecer e salvar o Seguro Social."

Fazendo seu discurso do Estado da União três dias depois de os iraquianos terem votado em sua primeira eleição livre em meio século, Bush também prometeu não abandonar a missão americana lá antes que os iraquianos sejam capazes de garantir sua própria segurança.

"Nós não estabeleceremos um prazo artificial para sair do Iraque, porque isto encorajaria os terroristas e os faria acreditar que poderiam esperar pela nossa saída", disse ele.

Ele também expandiu a promessa feita em seu discurso de posse de combate à tirania, dizendo ao povo iraniano: "Assim que vocês defenderem sua própria liberdade, a América a defenderá com vocês", e pedindo para que a Arábia Saudita e o Egito "mostrem o caminho rumo à democracia no Oriente Médio".

Ele disse que o orçamento que proporá na próxima segunda-feira (7) reduzirá substancialmente ou eliminará mais de 150 programas. "O princípio aqui é claro", disse ele. "O dólar do contribuinte deve ser gasto sabiamente, ou não ser gasto."

Doug Mills/The New York Times

Bush faz o discurso para a cúpula jurídica e política dos EUA, transmitido pelas TVs do país
Bush não enfrentará os eleitores novamente. Mas seu discurso abriu aquelas que poderão ser as duas últimas campanhas de sua carreira. Uma é convencer o Congresso e o povo americano a aderirem ao seu plano de reformar não apenas o Seguro Social, mas outras grandes áreas de política doméstica segundo as linhas conservadoras por meio de nomeações de juízes, projetos de lei e medidas executivas.

A outra é moldar seu próprio lugar na história como o líder que mais expandiu a liberdade e a democracia no mundo, lançando ao mesmo tempo o poderio militar americano para combater o que considera como sendo uma ameaça terrorista a estes valores.

O plano de Bush para o Seguro Social permitirá que os trabalhadores que completarão 55 anos neste ano ou mais jovens apliquem 4% de sua dedução em folha de pagamento para o Seguro Social em contas pessoais, que poderão investir em ações e sacar após sua aposentadoria.

Bush fez pouco para solucionar como lidará com o componente mais explosivo de sua abordagem: os cortes adicionais de benefícios que serão necessários para resolver os problemas financeiros de longo prazo do Seguro Social.

Mas pela primeira vez ele expôs algumas das opções, incluindo mudança da fórmula usada para estabelecer os benefícios iniciais, desencorajando a aposentadoria antecipada e elevando a idade para aposentadoria, atribuindo cada uma das idéias a um democrata, incluindo o ex-presidente Bill Clinton e o falecido senador Daniel Patrick Moynihan.

"Todas estas idéias estão na mesa", disse ele. "Eu sei que nenhuma destas reformas será fácil. Mas temos que seguir em frente com coragem e honestidade, porque a segurança da aposentadoria de nossos filhos é mais importante do que política partidária."

Os legisladores pararam a caminho do plenário da Câmara para mergulhar seus dedos em potes de tinta roxa, em um gesto de solidariedade aos iraquianos que foram marcados da mesma forma quando depositaram seus votos. Presidente realiza o tradicional discurso anual do Estado da União George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host