UOL Notícias Internacional
 

23/04/2005

Irmão de Hendrix canta o legado de Jimi

The New York Times
Corey Kilgannon

Em Nova York
O irmão mais novo de Jimi Hendrix, Leon Hendrix, disse que adotou a guitarra vários anos atrás, depois que uma chama púrpura desceu do céu e o possuiu na cama, revelando uma visão de seu irmão flutuando acima dele.

Frances Roberts/The New York Times

Leon Hendrix ensaia para show em Nova York: "Quando estou no palco, vejo pessoas olhando para mim e esperando por um novo Jimi"
"Eu podia ver Jimi no alto, acenando", ele lembrou. "Ele dizia: 'Vamos, irmãozinho. É hora. Você está pronto'. De lá para cá, eu me senti como se ele tivesse me autorizado a levar avante seu legado musical."

E após uma vida vivendo o "blues" --incluindo lares adotivos, vício em drogas e outras dificuldades-- Hendrix, de 56 anos, disse que finalmente tem um motivo para cantá-los: ele foi recentemente excluído da herança de seu irmão, avaliada em US$ 80 milhões.

Seu pai, Al Hendrix, morreu em 2002 e deixou a herança para sua irmã adotiva, Janie Hendrix. Em setembro de 2004, Leon perdeu sua reivindicação legal de parte dela em Seattle, a cidade da família.

Para vingar a derrota, ele disse, ele pegou a guitarra, após desperdiçar décadas em drogas, álcool e mulheres. Ele disse que invocou o espírito de seu irmão e agora está agendando apresentações em clubes, fazendo parceria com o baterista Buddy Miles, que tocou na Band of Gypsies de Jimi Hendrix.

Ele também está gravando as apresentações para possível uso em um filme para televisão que está vendendo para produtores, e completou seu segundo CD, "Keeper of the Flame".

"Foi assim que tudo começou", ele explicou durante uma recente entrevista em Nova York. "Eu estava deitado na cama, e uma chama púrpura desceu do céu e deixou todo o quarto zunindo. Meu corpo inteiro começou a tremer, e eu tinha uma guitarra velha em um canto que uma moça trocou comigo por um pouco de droga. A chama tirou toda a poeira das cordas e eu estiquei meu braço e a peguei, e de lá para cá tenho tocado como um louco possesso."

Hendrix usa óculos cheios de estilo e um chapéu de caubói sobre seus longos cabelos grisalhos. Ele disse que a perspectiva de ser comparado com seu irmão é tão intimidadora que "precisei de 50 anos para ter forças para pegar uma guitarra".

"Às vezes eu digo: 'Será que perdi o juízo? Como eu poderia ousar pegar uma guitarra depois de Jimi?'" disse ele. "Além disso, eu sempre considerei isso um sacrilégio."

Mas com a ajuda de aulas freqüentes de guitarra, ele disse, já está compondo e canalizando o espírito de seu irmão falecido em suas letras e solos de guitarra.

"Às vezes se estou tocando, eu peço ao Jimi que me ajude", disse ele. "Eu digo: 'O que eu faço agora?' E ele me diz."

Hendrix tem seis filhos e cinco netos, mas ele parece um viril astro do rock, e às vezes exibe uma semelhança impressionante com seu irmão. A visão de suas mãos tocando a guitarra, seus dedos longos adornados com anéis, é assustadoramente familiar. Como seu irmão, ele toca blues em uma Fender Stratocaster plugada em amplificadores Marshall, e durante um solo ele pode sorrir e gesticular como Jimi. (Mas diferente de Jimi, ele não é canhoto.)

Mas as semelhanças acabam quando a música começa. Hendrix admite que não tem a técnica assombrosa de seu irmão, apesar de acrescentar que está melhorando constantemente.

"Quando estou no palco, eu posso ver todas estas pessoas me olhando e esperando outro Jimi, mas eu não toco nenhuma de suas músicas", disse ele. "Às vezes quando o show está ruim, eu toco 'Red House' ou 'All Along the Watchtower' para agitar o público, mas é só."

"Eles me ofereceram 20 mil por noite para tocar em Vegas, mas eles queriam 'Purple Haze' e 'Foxy Lady'", disse ele. "Mas não posso tocar isso."

Jimi Hendrix morreu em 1970, em Londres, aos 27 anos. Sua herança ficou para Al Hendrix, que criou um testamento destinando 24% para seu outro filho, Leon. Al Hendrix alterou o testamento em 1997 para excluir Leon, que não recebeu nada, exceto um disco de ouro como souvenir.

Declarando que Janie Hendrix tinha se aproveitado da doença do pai para deserdar a ele e sua família, Leon a processou, mas em setembro um juiz do Tribunal Superior de Kings County rejeitou sua alegação, notando que seu pai excluiu Leon do testamento devido em grande parte ao seus problemas recorrentes com drogas e desemprego, e seus contínuos pedidos de dinheiro e ameaças de processar para obtê-lo.

Janie Hendrix, 43 anos, a irmã adotiva de Jimi e Leon, formou uma empresa multimilionária chamada Experience Hendrix. Ela chama Leon de um aproveitador instável.

Leon disse que ele é essencialmente a única verdadeira família de Jimi. A mãe deles morreu quando ambos eram pequenos, e Al Hendrix freqüentemente deixava Jimi cuidando de Leon, que era quase cinco anos mais novo.

"Ele era meu irmão mais velho, meu melhor amigo, meu pai substituto", disse ele. "Ele estava encarregado de mim: me alimentar, me levar para a escola, me ensinar esportes."

Leon lembra de ter assistido seu irmão progredir de um cavaquinho de uma corda para um velho violão e posteriormente para uma guitarra Sears de US$ 40. Apesar de Jimi nunca ter ensinado guitarra para Leon, ele disse, ele adormecia toda noite escutando Jimi praticando incessantemente, e o acompanhava nos ensaios de banda, apresentações e, posteriormente, nas turnês.

E Leon perde poucas oportunidades de explorar esta ligação entre irmãos. Muitos dos títulos de suas canções e letras são referências diretas. Ele tocou "Keeper of the Flame" na semana passada no apartamento em Greenwich Village de um amigo, Mike Quashie, e cantou junto com a primeira faixa, "Jimi and Me" (Jimi e Eu), um blues com jeito de heavy metal.

"Vou contar uma pequena história, sobre dois irmãos nascidos", ele cantou de forma áspera. "Um abençoaria a terra com canção. O outro, que seja advertido."

"Minha mãe disse, 'Sua vez chegará'", ele cantou. "Deixe seu irmão ir antes, ele abrirá todas as portas."

Recostado em uma poltrona no apartamento, Leon balançou a cabeça para a música e, pouco antes do começo do solo de guitarra, ele cantou de forma improvisada com a gravação --"Vamos, Jimi. Me ajude"-- e tocou uma guitarra invisível, estremecendo juntamente com seus licks de blues simples mas robustos.

"Oh, Jimi, você pode me ouvir?" ele cantou. "Eu sempre ouço seu nome. Eu posso sentir seu espírito na minha canção esta noite."

"Minha banda e eu fizemos trabalhos estranhos para conseguir o dinheiro para gravar isto", ele disse posteriormente. "Eu estou juntando migalhas. Tudo o que tenho é uma guitarra e seis cordas."

Ele estava bebendo vinho tinto e fumando cigarros Merit. Após fumar um até a metade, ele guardou a metade não fumada no maço para mais tarde. Um colecionador trouxe algumas guitarras e passou várias Stratocasters para Leon experimentar. Leon dedilhou uma e disse: "Eu odeio quando pessoas me passam guitarras desafinadas, porque não sei afiná-las".

O colecionador se ofereceu para comprar uma certa Stratocaster azul de Leon, que respondeu: "A azul? Está na loja de penhores no momento". As pessoas começaram a rir, e Leon disse: "Ei, Jimi fez isso também". Leon iniciou sua carreira musical após uma aparição tê-lo possuído George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host