UOL Notícias Internacional
 

27/04/2005

Brasil é "potência emergente e notável na região", diz Condoleezza Rice

The New York Times
Joel Brinkley

Em Brasília
Leia também:
  • Editorial do FT - Reconstruindo a confiança e a estabilidade na região

    A secretária de Estado dos Estados Unidos, Condoleezza Rice, iniciou uma viagem de boa vontade pelas capitais da América Latina nesta terça-feira (26/04), cheia de palavras calorosas para os líderes de governo que encontrará, mas ao mesmo tempo incapaz de escapar das controvérsias que definem seu trabalho.

    Falando aos repórteres em seu avião, ela congratulou os líderes do Brasil, Colômbia, Chile e El Salvador --seus destinos nesta semana-- por liderarem democracias vibrantes, descrevendo o Brasil, sua primeira parada, como "uma potência emergente e notável na região".

    Ela reiterou grande parte do elogio durante a coletiva de imprensa conjunta com Celso Amorim, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, na noite de terça-feira, mas então se viu em conflito diante das respectivas abordagens dos dois países em relação à Venezuela.

    Hugo Chávez, o presidente da Venezuela, tem se tornado um crítico cada vez mais beligerante de Washington e se aproximado cada vez mais de Cuba. No fim de semana, ele encerrou um programa de treinamento militar conjunto com os Estados Unidos que estava em vigor há 35 anos.

    Como já fez no passado, Rice pediu à Venezuela que viva à altura dos princípios democráticos da carta constitucional da Organização dos Estados Americanos. Mas Amorim destacou que o Brasil "sempre, é claro, observará a soberania da Venezuela", acrescentando que "em qualquer sociedade, se existem problemas, eles devem ser resolvidos pelo povo do próprio país".

    Falando anteriormente aos repórteres, Rice disse: "Nós nos preocupamos com o comportamento do regime venezuelano em termos de seu próprio desenvolvimento doméstico" e "em termos das relações com seus vizinhos".

    Nesta semana, Chávez viajará para Cuba para encontros com Fidel Castro. E na terça-feira, Chávez se queixou de que Washington estava considerando conceder asilo político para um imigrante cubano, Luis Posada Carriles, que é acusado de atos terroristas no Panamá e na Venezuela.

    "Vamos ver se um país que invade outros, que bombardeia cidades no Iraque e no Afeganistão, concederá asilo para este terrorista", ele teria dito segundo a agência de notícias "France-Presse".

    Um alto funcionário do governo, que está viajando com Rice, disse que um motivo para a viagem dela é demonstrar o interesse americano nestes países, após vários anos em que as questões latino-americanas pareceram despertar pouco interesse em Washington. Secretária de Estado americana inicia viagem pela América Latina George El Khouri Andolfato
  • Siga UOL Notícias

    Tempo

    No Brasil
    No exterior

    Trânsito

    Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,73
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,00
    65.010,57
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host