UOL Notícias Internacional
 

08/05/2005

Empresas de cabo adicionam suas vozes ao serviço de telefonia digital

The New York Times
Ken Belson
Como a maioria das outras pessoas, Jay Fields não prestava muita atenção em seu serviço telefônico. Ele pagava mais de US$ 100 por mês - sem questionar - para a Verizon Communications por um plano de ligações locais e de longa distância e um pacote de serviços como transferência de chamadas e identificador de chamadas.

Mas quando ele viu as propagandas de um novo serviço de telefone baseado em Internet que seu provedor de cabo local, a Cablevision, estava oferecendo, ele não teve receio de fazer a troca cinco meses atrás. Ele disse que sua nova conexão soa tão boa quanto seu antigo telefone, mas ele paga apenas US$ 34,95 por um número ilimitado de chamadas locais e de longa distância, assim como chamada em espera e meia dúzia de outros serviços.

"O principal motivo foi o preço", disse Fields, 34 anos, um corretor do mercado financeiro que mora em Saint James, Nova York. "E é muito simples de usar - você se conecta, e você pode dirigir a coisa de um só lugar."

O Protocolo de Voz pela Internet, ou VoIP, deixou de ser uma província exclusiva de novas empresas como a Vonage. Com seus nomes conhecidos, equipes plenamente habilitadas e pacotes com descontos, provedores de cabo estabelecidos como Cablevision e Time Warner Cable estão levando telefones digitais para as massas.

Suas incursões têm representado grandes mudanças em um setor de telefonia há muito tempo dominado pelas gigantes empresas Bell locais. Amarradas ao seus milhões de quilômetros de cabos de cobre, as Bells estão relutantes em entrar no mercado de telefonia digital por temer uma canibalização de seu produto principal. Em vez disso, eles estão tentando segurar seus clientes adicionando às suas linhas de telefone tradicionais conexões de banda larga de baixo custo, serviço de celular e programação de vídeo dos provedores de televisão por satélite.

Mas elas também estão discretamente e relutantemente desenvolvendo seus próprios serviços de telefonia baseada em Internet. A Verizon, por exemplo, vende um serviço chamado VoiceWing, e a SBC Communications provavelmente colocará no mercado o serviço CallVantage da AT&T após a fusão das duas empresas nos próximos meses.

Mas elas enfrentarão uma dura concorrência dos provedores de cabo. Até o final do primeiro trimestre, a Cablevision já tinha atraído 364 mil assinantes para seu serviço de telefonia digital, e está adicionando cerca de 1.000 novos clientes por dia. A Time Warner Cable tinha 372 mil assinantes. A Comcast e a Cox Communications contam ambas com mais de 1,2 milhão de assinantes de linhas telefônicas tradicionais e ambas estão agora introduzindo um serviço de telefonia digital.

No ritmo atual, as empresas de cabo em breve superarão a líder do mercado, a Vonage, que conta com 600 mil assinantes. Sediada em Edison, Nova Jersey, a empresa fez mais do que qualquer outra para popularizar o serviço de telefonia digital, mas ela carece de poder de fogo de marketing ou uma grande variedade de produtos para manter o setor de cabo acuado.

"Marca tem tudo a ver com isto: estabilidade a longo prazo, disposição de manter suporte ao produto, qualidade do produto", disse Steve Kirkeby, um analista de telecomunicações da J.D. Power & Associates, sobre as empresas de cabo.

Por ora, o mercado é grande o bastante para tanto a Vonage quanto as empresas de cabo prosperarem. Em todo o país, há cerca de 180 milhões de telefones fixos e outros 173 milhões de celulares. Mas mesmo os previsores mais otimistas esperam apenas 27 milhões de assinantes de telefonia digital até 2009, apenas 15% do mercado de telefones fixos.

De muitas formas, o crescimento do serviço tem um teto. Isto porque apenas cerca de 30% dos lares americanos têm a conexão de banda larga exigida pela telefonia pela Internet. Alguns clientes também se queixam da qualidade das chamadas, às vezes com bom motivo. Os clientes que usam operadoras que não controlam a conexão até suas casas correm maior risco de ter suas chamadas interrompidas.

"Pela primeira vez em mais ou menos um ano, nós tivemos problemas com pessoas não nos ouvindo, ou presença de chiado no som da voz", disse Sowmya Parthasarathy, que é assinante da Vonage há quase dois anos e "costumava passar horas no telefone" com os operadores da empresa. "Mas eles realmente parecem ter consertado o problema."

Mas a maioria dos operadores de cabo controla a reta final até os lares dos consumidores, e eles dizem que seus clientes enfrentam menos interrupções. Eles também estão vendendo no-breaks com bateria para serem usados durante falta de energia elétrica e permitindo que os clientes disquem serviços de emergência.

E estão acentuando seus preços, que são mais baixos do que os das linhas telefônicas tradicionais em parte devido aos serviços digitais, pelo menos por ora, estarem isentos de alguns impostos aplicados sobre as linhas comuns.

Mas os preços mais baixos, apesar de significativos, não os únicos atrativos. Além de serviços como chamadas ilimitadas nos Estados Unidos e Canadá, Fields recebe gravação de mensagem de voz, chamada em espera, identificador de chamadas e chamada a três, tudo gratuito. Ele também checa suas mensagens de voz no trabalho acessando um site dedicado na Internet, e, quando telefona para a central de assistência, ele entra em contato com um operador, e não com uma voz gerada por computador.

"Eu gosto de novos aparelhos, mas sou o sujeito que não lê o manual", disse ele. "Se tivesse problemas, eu o cancelaria."

Apesar do serviço de telefonia digital ainda estar em sua infância, os executivos da indústria já estão planejando os próximos passos. Muitos esperam que os telefones digitais sejam integrados na televisão de forma que, por exemplo, os clientes possam monitorar suas chamadas na tela.

Outros vêem o futuro em aparelhos sem fio que permitirão aos clientes usarem as redes de celulares quando estiverem na rua e conexões de Internet sem fio quando estiverem em casa. As chamadas seriam enviadas para antenas ligadas a modems de banda larga, e então transmitidos como chamadas baseadas em Internet. Isto permitiria aos clientes economizar seus minutos de telefonia móvel.

"Os clientes devem dispor da capacidade de usar o mesmo celular com sua rede de banda larga quando estiverem em casa", disse Jeff Hallock, o vice-presidente de venda de produto ao consumidor da Sprint, que fornece para as empresas de cabo a infra-estrutura para oferecer serviços de telefonia baseados em Internet e vende serviços de telefonia digital para clientes corporativos (mas não para o varejo). "Um cliente não precisa saber se é um serviço de Internet ou não. Ele só precisa saber que quando estiver em casa, ele funciona em casa."

Por ora, as empresas estão gastando mais tempo ensinando aos clientes sobre as características básicas do serviço de telefonia digital. Em uma pesquisa realizada pela SunRocket, uma provedora de telefonia baseada em Viena, Virgínia, 85% dos mais de 2.200 clientes pesquisados disseram que ouviram falar de serviço de telefonia pela Internet. Mas apenas metade dos pesquisados sabia que chamadas telefônicas baseadas em Internet podiam ser feitas por um telefone comum e número de telefone regular, ou que as chamadas não precisam passar por um computador.

"Nós precisamos ajustar nossa mensagem", disse Jeffrey Citron, fundador e executivo-chefe da Vonage. "No começo, nosso pessoal estava promovendo a tecnologia. Agora eles querem fazê-lo de uma forma mais simples."

Para tranqüilizar os clientes, muitas empresas de cabo enviam técnicos para instalar os adaptadores. A AT&T desenvolveu um guia faça você mesmo para seu serviço CallVantage. Muitas empresas agora contam com atendimento ao cliente 24 horas.

Se Fields servir como indicação, a mensagem parece estar chegando aos clientes. "Eu gostaria de ter economizado este dinheiro há mais tempo", disse ele. George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host