UOL Notícias Internacional
 

19/05/2005

Latino vence eleição à prefeitura de Los Angeles

The New York Times
John M. Broder

Em Los Angeles
O conselheiro (vereador) Antonio Villaraigosa derrotou o prefeito James Hahn na terça-feira (18/05) à noite e tornou-se o primeiro prefeito hispânico da cidade em mais de um século, confirmando o crescente poder político dos latinos na segunda maior cidade dos Estados Unidos.

Monica Almeida/The New York Times

Forte apoio de minoria negra em LA garantiu a vitória de Villaraigosa
Depois de um mandato insosso, manchado por denúncias de corrupção na prefeitura, Hahn foi removido do cargo em favor de um ex-estudante que abandonou o colégio e mais tarde foi presidente da Assembléia da Califórnia e depois membro do Conselho Municipal de Los Angeles.

Com 99% das urnas apuradas, Villaraigosa tinha 260.721 votos, ou 59%, contra 183.749, ou 41%, de Hahn, segundo a agência Associated Press. Caminhando para o pódio em sua festa da vitória entre slogans de "Si, se puede!" (Sim, podemos!), Villaraigosa agradeceu a sua família e às pessoas que o inspiraram ao longo dos anos e prometeu "unir esta grande cidade".

"Vocês todos sabem que amo Los Angeles, mas esta noite eu realmente amo Los Angeles", disse um exuberante Villaraigosa a seus eleitores.

Os dois candidatos eram um exemplo de contrastes. Hahn, filho de um dos políticos mais populares da região, Kenneth J. Hahn, que serviu durante 40 anos como supervisor municipal, foi muito desinteressante. Ele reconheceu que é um caso de "distúrbio de déficit de carisma", mas disse estar interessado em fazer coisas, e não em elogiar suas conquistas.

Villaraigosa, que é tão extrovertido quanto Hahn é tímido, foi criado na zona leste latina por uma mãe solteira imigrante. Ele abandonou o colégio durante algum tempo, depois se esforçou para chegar à Universidade da Califórnia em Los Angeles, tornou-se sindicalista e depois presidente da Assembléia Legislativa estadual. Ele é membro do conselho municipal de Los Angeles desde 2003.

A disputa foi uma repetição da corrida à prefeitura de 2001, que Hahn ganhou por sete pontos percentuais depois de ficar atrás de Villaraigosa na maior parte da campanha. Essa disputa teve diversos ataques de Hahn, que criticou repetidamente Villaraigosa por causa de uma carta que ele escreveu pedindo clemência para um traficante de cocaína condenado.

A campanha de Hahn foi igualmente negativa desta vez, usando até o mesmo slogan, "Los Angeles não pode confiar em Villaraigosa". Hahn acusou seu adversário, um ex-presidente local da União Americana pelas Liberdades Civis (Aclu), de ser brando com o crime.

Ele também comentou que Villaraigosa tinha aceitado milhares de dólares em doações de campanha de empresários de outros Estados que participavam de licitações na cidade.

Villaraigosa, que superou Hahn na eleição primária do Partido Democrata por 33% contra 24%, de modo geral fez uma campanha de vencedor. Embora algumas de suas publicidades citassem a investigação federal de possível corrupção nos contratos da prefeitura sob Hahn, salientou o que ele chamou de sua capacidade de unir as diversas comunidades geográficas, étnicas e raciais de Los Angeles.

Nisso ele foi ajudado pelos atos mais significativos de Hahn como prefeito. Em 2002, ele arquitetou a saída do chefe de polícia da cidade, Bernard Parks, um afro-americano, o que afastou muitos eleitores negros que o haviam apoiado em 2001.

Hahn também fez uma vigorosa campanha para derrotar uma iniciativa de residentes do Vale de San Fernando para separar-se da cidade de Los Angeles, o que enfureceu uma parte da cidade que tinha fornecido uma grande parcela de sua margem de vitória contra Villaraigosa quatro anos antes.

Villaraigosa será o primeiro prefeito latino de Los Angeles desde 1872, mas conquistou o cargo com mais votos que o volume de latinos da cidade --estes formam quase a metade da população local, mas apenas um quarto do eleitorado.

"Se você olhar para Antonio, ele seria um candidato verossímil de qualquer grupo étnico", disse Harry Pachon, diretor do Instituto de Políticas Tomas Rivera da Universidade do Sul da Califórnia, que estuda tendências em políticas latinas.

"Ele tem um passado liberal, é ex-presidente da Aclu do sul da Califórnia, tem credenciais sindicais, foi presidente da Assembléia. Ele marcou sua trajetória em muitos lugares."

Pachon disse que Villaraigosa também é capaz de dividir o voto afro-americano, que esteve solidamente do lado de Hahn em 2001. Foi a primeira vez que um candidato à prefeitura de Los Angeles conseguiu formar uma coalizão latina-negra para conquistar o cargo, ele disse.

"Eu nunca vou esquecer de onde venho. E sempre acreditarei no povo de Los Angeles", disse Villaraigosa na terça-feira à noite. Villaraigosa obteve adesão de minoriais raciais da 2ª cidade do país Luiz Roberto Mendes Gonçalves

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h14

    0,02
    75.991,62
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host