UOL Notícias Internacional
 

02/06/2005

Hormônio pode aumentar confiança em estranhos

The New York Times
Benedict Carey

Em Nova York
Em uma descoberta que poderá algum dia beneficiar os manipuladores ou as pessoas que têm dificuldades sociais, pesquisadores suíços concluíram que o uso de doses de um hormônio natural aumentou significativamente o nível de confiança que as pessoas tinham em estranhos que lidavam com seu dinheiro.

Os pesquisadores há muito sabem que o hormônio usado no estudo --oxitocina, que circula no corpo da mulher durante o parto e a lactação-- provoca relações calorosas e o cruzamento entre mamíferos.

Mesmo assim, eles dizem que o estudo suíço, que aparece na edição desta quinta-feira (02/06) da revista "Nature", é o primeiro a mostrar que a simples administração de um hormônio em humanos pode alterar consistentemente algo tão sensível socialmente quanto a confiança.

A nova descoberta pode ajudar os pesquisadores não apenas a compreender o sistema biológico subjacente a conceitos sociais, mas talvez a corrigi-los quando dão errado, gerando condições como a fobia social ou o autismo, dizem os cientistas.

No estudo, os voluntários participaram de um jogo de investimento com parceiros anônimos. Os que receberam a oxitocina investiram mais dinheiro com os sócios desconhecidos do que os que não receberam o hormônio, segundo os pesquisadores.

Ernst Fehr, professor de economia da Universidade de Zurique e autor do artigo, disse: "A maior parte dos especialistas era pessimista"; eles achavam que o estudo não ia encontrar nada de significativo.

No entanto, Fehr disse que os resultados claros devem "induzir uma nova onda de pesquisa de oxitocina em humanos".

"Tenho esperanças de que essa pesquisa leve a aplicações clínicas em distúrbios psiquiátricos associados com a falta de confiança", disse Fehr.

Neurocientistas que não participaram do estudo disseram que era prematuro temer o abuso da substância ou nutrir esperanças para novos tratamentos.

"Um resultado assim deve ser repetido. Entendemos muito pouco o funcionamento do sistema da oxitocina. Esta descoberta, entretanto, é muito elegante, simples e plausível e é significativa, porque une processos cognitivos a um regulamento biológico", disse o professor de neurologia da Universidade de Iowa, Dr. Antonio Damásio, que escreveu o editorial da revista.

O spray de oxitocina nasal usado no estudo ainda não está disponível nos EUA. Ele é receitado na Europa e em outros países para induzir contrações ou estimular a lactação, de acordo com a Novartis, fabricante do produto.

No estudo, pesquisadores suíços pediram que 178 estudantes universitários participassem de um simples jogo investimento. Os investidores começavam o jogo com 12 unidades monetárias, das quais eles podiam enviar 12, 8, 4 ou nenhuma ao administrador anônimo. A quantia era triplicada antes de ser transferida ao administrador, que então escolhia quanto dessa renda compartilhar com seu investidor.

Em experimentos prévios com o mesmo jogo, economistas mostraram que os investidores seguram seu dinheiro a princípio, até terem evidências de que seu parceiro é confiável. O estudo de oxitocina não permitiu esse ajuste: os investidores sabiam que negociariam apenas uma vez com quatro parceiros diferentes.

Mesmo assim, quem inalou a oxitocina antes do jogo investiu em média 10 unidades monetárias, 17% a mais do que os jogadores que receberam um spray placebo. No grupo da oxitocina, 45% investiu todo seu dinheiro, comparados com 21% do grupo placebo.

Neurocientistas, inclusive pesquisadores suíços, alegam que a oxitocina não é bem um soro de confiança, mas uma espécie de mensageiro ao cérebro que leva animais a superarem sua aversão natural aos outros. Ela permite o que eles chamam de "comportamento de abordagem", que leva uma pessoa a encontrar um estranho e cumprimentá-lo.

Isso pode ser uma capacidade especialmente importante em pessoas com autismo.

Não está claro se a oxitocina ou outros hormônios podem afetar esse comportamento, mas o estudo sugere que vale a pena investigar.

"Para resumir: acredito que a oxitocina pode ajudar as pessoas que têm um nível de confiança patologicamente baixo. Mas não dá para induzir um excesso patológico em pessoas normais dando-lhes o hormônio", disse Fehr em mensagem de e-mail.

"Se eu abusar da sua confiança uma ou duas vezes, você não vai acreditar em mim na terceira, mesmo que eu te dê uma alta dosagem de oxitocina", disse ele.

A possibilidade de um vendedor de carros colocar oxitocina no ar para aumentar suas vendas parece exagerada, disse Fehr. "A meia vida da oxitocina no ar (em spray) é de apenas dois ou três minutos. Seria preciso ter uma chuva permanente. Parece impossível para mim". Oxitocina poderá ajudar pessoas sem autoconfiança, diz professor Deborah Weinberg

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h00

    0,09
    3,268
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h08

    -0,57
    63.719,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host