UOL Notícias Internacional
 

18/06/2005

GM aumenta as vendas com estratégia agressiva

The New York Times
Jeremy W. Peters

Em Detroit, Michigan
A mais recente tentativa da General Motors (GM) visando a reconquistar partes do mercado e a recuperar as suas vendas, que vinham registrando fortes quedas, parece estar funcionando, segundo indica uma análise independente das recentes estatísticas de vendas que foram publicadas pela montadora.

A GM, que começou a oferecer os descontos que ela concedia aos seus empregados para todos os seus clientes a partir de 1º de junho, viu a sua parte do mercado automotivo americano dar um salto para cima, passando para 30,3%, segundo apurou a pesquisa realizada pela firma J.D. Power & Associates.

Este resultado, que corresponde ao mais alto nível que a montadora alcança nos últimos nove meses, constitui uma evolução significativa para a companhia, cuja participação no mercado vinha se mantendo estagnada em 25% desde o início deste ano.

A promoção da GM, que permite aos seus clientes adquirirem veículos a preços com descontos de centenas de dólares abaixo do preço da fatura, não passou despercebida entre os seus concorrentes, principalmente na Ford e na Chrysler, também instaladas em Detroit. Nesta semana, estas duas companhias também iniciaram campanhas de vendas parecidas.

A análise da firma J.D. Power acrescenta que, apenas nos primeiros 12 dias de junho, a parte de mercado da GM registrou um aumento de 8 pontos percentuais em relação ao mês anterior.

Durante este mesmo período, segunda constatou a J.D. Power, as partes de mercado tanto da Ford como da Chrysler diminuíram em mais de dois pontos percentuais. Por sua vez, a Toyota também perdeu terreno neste mês, precisa o relatório, perdendo mais de um ponto percentual.

"Para a General Motors, estes resultados positivos são muito importantes, uma vez que eles representam basicamente uma reversão de tendência, e põem fim a uma série de meses negativos em termos de desempenho das vendas", explicou Tom Libby, o diretor geral de análise da atividades industrial da J.D. Power.

"Além disso, este sucesso constitui um elemento de publicidade positiva da qual esta firma estava precisando".

Uma porta-voz da GM afirmou que os números apurados pela J.D. Power parecem confirmar os relatórios parciais que as concessionárias espalhadas por todo o país vinham transmitindo para a matriz.

"A campanha está obtendo claramente os efeitos desejados", disse esta porta-voz, Deborah Silverman. No mês passado, a GM havia anunciado que as suas vendas haviam diminuído de 5.4% em relação a maio de 2004.

Nestes últimos dias, a Ford e a Chrysler, que vem a ser a filial americana da montadora alemã DaimlerChrysler, começaram a se mostrar mais agressivas em relação às suas próprias campanhas de vendas, na adoção de novas estratégias de marketing.

Na quarta-feira (15/06), a Ford informou aos seus assalariados e ex-empregados aposentados de que eles poderiam receber bônus em valores acima de US$ 1.000 (R$ 2.500) em dinheiro ao transferirem seus descontos especiais para pessoas que adquirirem veículos da Ford.

Assim como a GM e a Chrysler, a Ford autoriza os seus empregados a compartilharem seu desconto com amigos e membros da sua família.

Além disso, nesta quinta-feira (16), a Chrysler deu início a uma campanha publicitária impressa de vários milhões de dólares, na qual a montadora pergunta aos leitores:

"Você acha que está fazendo um ótimo negócio? Então verifique os dados".

O texto do anúncio enumera então uma série de veículos da Chrysler que aparecem como menos caros que aqueles fabricados pela GM e por outras montadoras de automóveis. Um porta-voz da Chrysler, Jason Vines, explicou que esta campanha de anúncios representa uma maneira de "acabar com certas idéias falsas".

Enquanto a promoção de vendas da GM está resultando num aumento das vendas, ao menos neste período, os analistas estão alertando para o fato de que este aumento será provavelmente temporário.

"É evidente que este número de vendas não é sustentável", comentou Joe Phillippi, o presidente da firma de consultoria especializada AutoTrends Consulting, em Short Hills, Nova Jersey.

"Toda vez que surgem promoções desse tipo, fica claro que os clientes analisam a proposta em profundidade e fazem invariavelmente o seguinte raciocínio: `Este é um fenômeno de curta duração. Se eu quiser agir, preciso fazer isso imediatamente"'.

Deborah Silverman, a porta-voz da GM, não quis fazer nenhum comentário a respeito da possibilidade de a companhia estar considerando estender o programa da ampliação para os seus clientes do desconto para os empregados além do prazo, ou seja, 5 de julho, quando a campanha deverá chegar ao fim.

"É absolutamente impossível antecipar neste momento o que nós poderíamos fazer no próximo mês", comentou Silverman. Bom resultado faz concorrentes lançarem campanhas semelhantes Jean-Yves de Neufville

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host