UOL Notícias Internacional
 

26/07/2005

Apesar de temer atentado, americanos projetam arranha-céu de 610 metros em Chicago

The New York Times
Alexei Barrionuevo

Em Chicago
Em uma cidade conhecida por seus arranha-céus, em uma era em que prédios altos se tornaram alvos, pode um horizonte suportar mais um que expande o limite? Em Chicago, ao que parece, a resposta pode ser sim --se o arquiteto é um astro como Santiago Calatrava.

Santiago Calatrava S.A./The New York Times 
O Fordham Spire de Chicago custará US$ 500 milhões e será o maior prédio dos EUA
Calatrava, o renomado arquiteto espanhol, projetou aquele que poderá ser o prédio mais alto de Chicago. O empreendedor, Christopher T. Carley, planeja anunciar o projeto de US$ 500 milhões nesta terça-feira (26/07).

A estrutura em forma de espiral será chamada de Fordham Spire é será construída onde o Rio Chicago quase cruza com a margem do Lago Michigan. Ele terá 115 andares, com o teto chegando a 444 metros. Uma torre em forma de espiral no topo atingirá cerca de 610 metros, tornando o prédio o mais alto do país.

A Sears Tower, com 527 metros, é atualmente o prédio mais alto quando as antenas são incluídas. A Burj Tower em Dubai, em construção, planeja ter 700 metros, o que o tornaria o prédio mais alto do mundo.

Os empreendedores de Chicago tentaram nos últimos anos erguer outro grande arranha-céu para se juntar a Sears Tower, John Hancock Center e Aon Center, 3 dos 15 prédios mais altos do mundo. O fraco mercado de imóveis comerciais condenou tais esforços.

Mas Carley, um empreendedor local de caras propriedades residenciais, disse que a Fordham Spire --batizada segundo sua empresa de empreendimentos, a Fordham Company-- será uma torre de uso misto, com 200 a 250 apartamentos sobre um hotel de 20 andares.

Ele disse que o desenho singular --que lembra um pouco uma perfuratriz, uma folha de grama ou uma árvore alta, retorcida, dependendo da pessoa para quem você pergunta-- atrairá compradores de alta renda dispostos a viver em um projeto Calatrava.

Tanto o investidor quanto o arquiteto disseram estar cientes das preocupações de segurança no projeto da torre. Calatrava, em uma entrevista, disse que nunca buscou projetar o prédio mais alto, mas sim dar ao projeto a chance de acrescentar algo especial ao "perfil heróico de Chicago".

"Ninguém está dizendo que precisa ser o prédio mais alto do país", disse Calatrava na segunda-feira, de sua casa em Zurique. "A idéia era construir um prédio muito esguio, elegante, neste horizonte."

Calatrava, formado em engenharia e que recentemente deixou de projetar pontes e aeroportos para projetar prédios altos em Nova York e Malmo, Suécia, disse que a estrutura de Chicago será de concreto e terá dois conjuntos de escadarias de emergência.

Em Nova York, onde Calatrava é o arquiteto do novo eixo de transporte que está sendo construído no local do antigo World Trade Center, os projetistas da Freedom Tower cederam às preocupações de segurança do Departamento de Polícia de Nova York e redesenharam a estrutura nesta primavera, acrescentando uma base reforçada de 60 metros que será virtualmente sem janelas.

A Freedom Tower, se construída segundo sua altura atualmente projetada, será de 415 metros até o teto, e 541 metros até o topo de sua antena.

Calatrava disse não estar preocupado com a possibilidade de a torre de Chicago ser vista como alvo terrorista. Ela será residencial, não comercial, ele disse, e terá um perfil esguio que será menos atraente para potenciais agressores.

"As coisas que foram feitas na Freedom Tower foram por motivos bem particulares", ele disse. "Esta é uma situação completamente diferente."

Carley disse estar se preparando para uma luta difícil em Chicago para ter sua torre aprovada, mas não espera que seu tamanho será a principal preocupação --apesar de atualmente possuir aprovação para construção de apenas duas estruturas, de 90 metros e 150 metros.

Donald J. Trump tinha planos para um prédio de 150 andares em Chicago, mas reduziu para 90 andares logo após os ataques terroristas de 11 de setembro.

Carley descartou a decisão de Trump como tendo sido uma reação ao fraco mercado comercial, mas Trump disse que o motivo foi de segurança.

"Ninguém em seu juízo perfeito construiria um prédio de tal altura no mundo horrível de hoje", disse ele em uma entrevista por telefone, na segunda-feira.

"Eu não acho que este é um projeto real", disse Trump sobre a Fordham Spire. "É uma charada total." Mas até o momento, os políticos de Chicago estão discutindo o projeto da torre, e Carley e sua equipe de vendas disseram que astros de cinema e pelo menos um ex-executivo-chefe de uma empresa da Fortune 500 telefonaram para perguntar sobre os apartamentos.

Viver em uma torre Calatrava não sairia barato segundo os padrões de Chicago. Carley disse que espera que unidades de um dormitório serão vendidas inicialmente por pelo menos US$ 600 mil, com unidades de andar inteiro, com cerca de 668 metros quadrados, chegando a US$ 5 milhões.

Até o momento, disse Carley, ele conseguiu obter acordos de financiamento de uma empresa que representa um fundo de pensão e do Corus Bank, que apoiou outros projetos Fordham.

Alderman Burt Natarus, cuja guarda inclui o terreno proposto para a torre, disse ter ficado "surpreso" quando viu o modelo do projeto de Calatrava. "É como uma ponta de agulha", disse Natarus. "Nós temos que nos sentar e discutir a segurança, e só."

Um porta-voz do Departamento de Polícia de Chicago disse que não soube nada do projeto, e Monique Bond, a porta-voz do Escritório de Administração de Emergência e Comunicações, que lida com as questões de Segurança Interna aqui, disse também não saber de nada.

Calatrava inicialmente rejeitou pelo menos duas outras áreas antes do filho de Carley, Brian, um vice-presidente da Fordham, ter proposto a compra de 8,9 mil metros quadrados perto do Píer da Marinha, uma grande atração turística. Calatrava disse que a localização praticamente separaria ao meio as duas torres de mais destaque no horizonte, a Sears e Hancock.

O desenho retorcido, que foi testado recentemente em um túnel de vento no Canadá, dispersará os fortes ventos de Chicago, disse Carley. E Calatrava projetou o interior para que postes e colunas estejam na direção do centro da estrutura, para permitir sacadas em alguns andares e maximizar a vista do chão ao teto.

Lynn Osmond, presidente da Fundação de Arquitetura de Chicago, disse: "Toda cidade que quer ser significativa precisa ter obras de alguns dos arquitetos significativos". Calatrava, disse Osmond, projeta grandes prédios.

Os Carleys estavam cientes da celebridade de Calatrava, mas não se esquivaram de usá-la como fizeram alguns empreendedores. "Nós não temos medo do arquiteto", disse Brian Carley.

Mesmo assim, enquanto viajava para visitar o arquiteto em Zurique, Brian Carley disse que Robertina, a esposa de Calatrava, se voltou para ele e disse: "Sabe, Brian, independente do nome que você dê ao prédio, ele ainda assim será conhecido como Calatrava".

Leia mais:

Será a maior torre do país; menor apartamento custará US$ 600 mil George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,63
    3,167
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    0,87
    65.667,62
    Outras bolsas