UOL Notícias Internacional
 

29/07/2005

Num golpe, podcasting chega ao grande público

The New York Times
David Pogue
Colunista de tecnologia do NYT
Desde que Steve Jobs voltou para a Apple Computer em 1997, após uma ausência de 12 anos, sua empresa tem prosperado ao executar a mesma fórmula essencial repetidas vezes: encontrar uma nova tecnologia empolgante cuja complexidade e custo a mantenham distante da vida da pessoa comum. Aprimorar, popularizar, eliminar as opções para os geeks. Assumir o crédito.

Até agora, a Apple tem realizado esta mágica na edição de vídeo digital, redes sem fio, venda de música online, alimentação RSS (um tipo de assinatura de site) e outras tecnologias. Mas sua última tentativa será música para muitos ouvidos. Com seu lançamento do software gratuito iTunes 4.9 para Mac e Windows, a Apple acabou de disponibilizar o podcasting para o grande público.

Um podcast, como qualquer pessoa com menos de 25 anos pode lhe dizer, é uma gravação de áudio postada online, semelhante a um curto programa de rádio. ("Podcasting" é um trocadilho com "broadcasting", transmissão, implicando, é claro, que você pode ouvi-la em seu iPod ou outro music player.)

A beleza de um podcast é que é gratuito e você escuta quando quiser. E há mais de 7 mil podcasts "no ar" no momento, sobre cada assunto concebível. A quantidade e variedade deles já ultrapassa em muito o que você pode encontrar no rádio.

O que torna o podcasting uma conversa de jantar atualmente é o fato de qualquer um poder fazê-lo. Você só precisa de um microfone, um programa de gravação de som e os tutoriais que já aparecem em muitos lugares na Internet, incluindo no apple.com/podcasting.

Sim, algumas são transmissões corporativas, programas de rádio tradicionais reformatados. Mas a verdadeira graça é encontrar os caseiros, as tentativas amadoras feitas no porão de alguém com um laptop e um microfone. Estes podem ser mal acabados e excêntricos, com muitos tempos mortos e "huns", mas aí está o charme deles. Os podcasts, em outras palavras, são a versão em áudio dos blogs --os diários de Internet, ou postagens diárias de texto, que foram o assunto das conversas de jantar do ano passado.

Até a Apple botar suas mãos no podcasting, encontrar, copiar e gerenciar os arquivos de áudio de podcast exigia tempo e não estava concentrado em um mesmo lugar. Primeiro você tinha que encontrar um podcast digno de ser escutado, usar diretórios como www.podcast.net ou www.podcastalley.com. Então você tinha que encontrar, fazer o download e (em alguns casos) pagar por um programa de gerenciamento de podcast como iPodder (para Mac, Windows ou Linux).

Três coisas dão ao iTunes 4.9 peso suficiente para levar o podcast ao povo. Primeiro, ele gerencia toda a cadeia de comando do podcasting -encontrar podcasts, assiná-los e transferi-los para seu iPod- de forma bela e simples. Segundo, ele é gratuito. Terceiro, ele já conta com um vasto grupo de seguidores; milhões de pessoas já usam o iTunes para administrar suas coleções de música e iPods. Acrescentar podcasts a tal fluxo de trabalho parece uma evolução natural.

Para chegar à tela de seleção de podcast, você abre o iTunes e clica o ícone Music Store. (Estranhamente, você não clica o novo ícone Podcasts. Fazê-lo lhe mostrará a lista de podcasts que você já assinou, de forma que está vazio na primeira vez que você tenta isto.)

Aqui você pode ver ícones para novos podcasts falados, podcasts de música, podcasts independentes e assim por diante. Também há uma lista de categorias de podcast, uma caixa de busca (que funciona tanto pelo nome do programa quanto pelo nome do podcaster), e uma lista Top 20 de podcasts.

Esta é uma lista cobiçada para se estar. Assim que você entra para a lista Top 20 ou até mesmo para a lista Top 100, sua popularidade se beneficia de um ciclo delicioso, porque outras milhares de pessoas encontrarão seu programa e terão curiosidade de escutá-lo. A lista Top 20 geralmente inclui a programação profissional da Rádio Pública Nacional e da CNN, programas de tecnologia como Leo Laporte's TWIT (This Week in Tech) e, inevitavelmente, o ocasional programa de sexo. (Oh, sim --podcasts podem ser impróprios. Centenas deles são rotulados de "explícitos" no iTunes, e estes são apenas os episódios que a Apple percebeu ou que foi informada pelos usuários.)

Mas o primeiro lugar geralmente é ocupado por algo chamado iTunes New Music Tuesday, um programa produzido pela Apple cujo DJ apresenta e toca o que há de mais novo na música pop. É um chamado "enhanced podcast", um formato que exibe gráficos semelhantes a um show de slides em pontos relevantes do áudio. Estas imagens aparecem corretamente no iTunes (na área de arte da capa) e mesmo no próprio iPod, se tiver tela colorida. Geeks alegres já se apossaram desta característica para criar, por exemplo, podcasts que o conduzem por várias etapas da cirurgia do PC, com fotos aparecendo para acompanhar as instruções faladas.

Para copiar um podcast no iTunes, você clica o nome dele. Uma nova tela aparece, listando os episódios mais recentes. Para tocá-lo basta clicar duas vezes. Se gostar do que está ouvindo, você pode clicar Get Episode para copiar o arquivo de áudio para o seu computador, onde você pode escutá-lo ou transferi-lo automaticamente para seu iPod ou iPod Mini. (Se você tiver um iPod Shuffle ou outra marca de music player, a transferência não é automática; você precisa arrastar toda vez os podcasts até o ícone do player.)

E se você realmente gostar do que ouviu, você pode clicar Subscribe. Agora seu iPod carregará sempre o episódio mais recente, sem qualquer trabalho da sua parte. Há muito toques agradáveis: por exemplo, o iPod lembra onde você parou de escutar cada podcast, de forma que você pode retomar mais tarde. E se você continuar transferindo uma certa série de podcast ao iPod sem nunca escutá-la, o iTunes notifica educadamente e convida você a cancelar a assinatura.

A Apple claramente considera o podcasting um novo e importante formato de áudio -tão importante, de fato, que você não pode nem mesmo esconder o ícone Podcasts na lista de fonte de música do iTunes (como é possível com os ícones Music Store, Radio e Party Shuffle).

Os executivos da empresa devem estar extáticos com o fato das massas terem adotado o termo "podcasting", evocando o nome do produto mais popular da Apple cada vez que é pronunciado. (Os fabricantes dos players rivais, por outro lado, devem estar rangendo os dentes. Segundo um artigo do "The Seattle Post-Intelligencer", de fato, os funcionários da Microsoft estão notadamente usando o termo insosso "blogcast", para que não tenham que dizer ou digitar a palavra Pod.)

A grande pergunta é, por que a Apple está se esforçando tanto para reivindicar o fenômeno do podcast como sendo seu? Afinal, a empresa não ganha nenhum dinheiro quando você escuta ou assina um podcast. A coluna "Preço" no iTunes diz Gratuito para cada podcast, e a Apple não tem a intenção de mudar isto.

Claramente, a motivação por trás do programa de podcasting da Apple é vender mais iPods. Você certamente recebe podcasts em outros music players, mas não de forma tão fácil e automatizada como no sistema iTunes-iPod.

Em outras palavras, estes podcasts gratuitos são apenas outra pena no cocar do iPod. Como observou astutamente um editorial no daringfireball.net, a Apple está virando do avesso o plano de negócios tradicional. Dando de graça as lâminas, mas vendendo um número imenso de aparelhos de barbear.

Mas nem todos estão felizes com o ecossistema de podcasting da Apple. Os geeks reclamaram que, diferente de outros programas podcast, o iTunes não acelera os downloads usando truques de alta tecnologia com nomes como ETags, compressão e informações de "ultima modificação". Os podcasters mais antigos se queixam da crescente presença de podcasts corporativos, alegando que estão arruinando o espírito popular, poder para o povo, dos podcasts originais.

E, é claro, há a reclamação perpétua daqueles que odeiam o iPod, que se sentem sufocados pelo surpreendente vagalhão iPod. Eles só podem se ressentir do sucesso da Apple em levar o podcasting para as massas com seu próprio selo estampado em toda parte.

Mas tudo isto é chorar o leite derramado. Da noite para o dia, o iTunes 4.9 já se tornou o programa mais popular de gerenciamento de podcast do planeta; a Apple disse que 48 horas após seu lançamento, as pessoas já assinaram mais de um milhão de podcasts.

Alguns bolsões da população podem não desfrutar da transformação do podcasting em um fenômeno da cultura pop, comercial, mas agora é tarde demais. O povo já falou, ou melhor, já escutou. Os podcasts, em outras palavras, são a versão em áudio dos blogs George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h49

    0,31
    3,137
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h54

    -0,50
    75.013,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host