UOL Notícias Internacional
 

11/08/2005

Um vislumbre adiante para a TV de alta definição, filmada por você

The New York Times
David Pogue
Colunista de tecnologia
Quando se trata da postura diante da TV de alta definição, você basicamente pode dividir o mundo em três campos. O Grupo A pensa que a TV de alta definição é a maior invenção desde as microondas, e conta as horas até que a transição da nação para a TV de alta definição esteja completa. O Grupo B pensa que a TV de alta definição é um grande encosto, uma conspiração descarada do governo e da indústria para extrair bilhões dos cidadãos.

The New York Times
The New York Times
Câmera HDR-HC1, da Sony
E o Grupo C apenas quer que alguém lhe explique o que é TV de alta definição.

Sem problema, C. A TV de alta definição (HDTV) é um novo formato de vídeo melhorado. A imagem é larga, como a da tela de cinema. E a imagem é tão nítida que praticamente dá para contar os poros dos atores. Para muitas pessoas, uma visão da imagem assombrosamente clara, realista, é suficiente para, bem, colocá-las no Grupo A.

O problema é, é claro, que a troca de sua vida para o formato HDTV envolve comprar novos aparelhos de TV, câmeras de vídeo, videocassetes e aparelhos de DVD. (Esta, é claro, é a parte que irrita o Grupo B.)

Em abril, a Sony mostrou seu interesse em ajudar na solução deste problema lançando a câmera de vídeo semiprofissional HDR-FX1 (US$ 3.300) -uma câmera cujo vídeo é tão brilhante e imaculado que as emissoras de TV e as empresas produtoras se apaixonaram imediatamente.

Infelizmente, a FX1 é grande demais para uso como câmera de vídeo doméstica; se você aparecer na peça teatral da escola com ela no ombro, as pessoas pensarão que você está filmando para a HBO. O que o mundo realmente quer -bem, o mundo dos malucos interessados em qualidade e que pensam à frente, pelo menos- é uma câmera de alta definição do tamanho, forma e preço de uma câmera de vídeo regular. É pedir muito?

Não mais. A nova HDR-HC1 da Sony é a menor e mais barata câmera de alta definição do mundo. Com 18,8 x 7,1 x 9,4 cm, ela tem cerca de um terço do tamanho dos modelos anteriores de alta definição, e é pequena o bastante para passar por uma câmera de vídeo digital comum. A US$ 1.750 (em alguns sites de comércio eletrônico dos EUA), é quase metade do preço da FX1. E como se preço e tamanho não tornassem a HC1 distinta o suficiente, aqui está a melhor notícia de todas: ela também é uma câmera excelente.

Em primeiro lugar, ela tem um desenho lindo. Ela anuncia suas diferenças de forma discreta e com bom gosto, por meio de um corpo preto reluzente e esguio. Como é a primeira câmera de alta definição que pode ser operada com apenas uma mão, a Sony inteligentemente colocou os controles mais importantes exatamente onde você espera encontrá-los.

Os conectores (como FireWire, USB e saídas de vídeo) também estão dispostos de forma conveniente, em uma linha de bom gosto na borda esquerda inferior, escondidos atrás de portas protetoras. O cilindro de lente também conta com um disco de foco-zoom manual -uma raridade em câmeras comuns- que torna possível certas filmagens que você não poderia conseguir de outra forma.

Tempos de transição pedem por câmeras de transição, e a HC1, como suas antecessoras maiores, oferece todo tipo de flexibilidade. Por exemplo, ela é uma das chamadas câmeras HDV, o que significa que ela registra toda aquela maravilha de alta definição em fitas comuns MiniDV, que você pode comprar em uma farmácia por US$ 5 cada.

Para tornar as coisas ainda mais flexíveis, essa câmera pode gravar em alta definição ou formato padrão. (O mostrador de cristal líquido de 2,7 polegadas, de abrir, tem uma forma adequada para a imagem larga da HDTV; quando você grava em formato padrão, uma imagem mais quadrada, barras pretas aparecem nas laterais.)

E como uma cortesia final, a HC1 pode exibir ambos os tipos de gravação -padrão ou alta definição- em qualquer tipo de aparelho de TV. Você não verá a clareza da HDTV em sua TV Zenith 1985, é claro, mas pelo menos você verá algo.

Mas, se você tiver um aparelho de alta definição, você verá muito mais do que algo. Você verá uma imagem espetacular em um formato que os "geeks" (entusiatas do mundo da informática) chamam de alta definição 1080i. O vídeo é tão claro e nítido que parece mais um flashback do que um filme caseiro.

A câmera também é repleta de funções. Algumas são típicas da Sony -um mostrador de "minutos restantes" para a bateria, por exemplo, e um modo infravermelho, "óculos de visão noturna", que permite que você grave na completa escuridão.

As fotos de 2,8 megapixels são melhores do que as da maioria das câmeras de vídeo, apesar de ainda não se compararem às das câmeras fotográficas digitais. A HC1 até mesmo herdou uma versão júnior de uma função inteligente da FX1: você pode pedir para que ela memorize duas regulagens de zoom, foco e exposição, que você pode pensar como Começo e Fim. Então, ao toque de um botão, a câmera passa suavemente de uma para outra -um efeito bem profissional.

Mas se a HC1 é tão maravilhosa, quem se importaria em pagar quase o dobro pela FX1?

Os profissionais, principalmente. A FX1 tem muito mais controles manuais e funções avançadas. Mas acima de tudo, ela tem três chips -um sensor para cada cor primária de vídeo- o que permite capturar uma impressionante cor verdadeira em quase todas as condições de iluminação.

Como a maioria das câmeras de vídeo populares, a HC1 tem apenas um sensor. Sua reprodução de cor ainda supera a de qualquer outro modelo com um chip, mas em porções escuras de filmagens com baixa iluminação, o vídeo da HC1 provavelmente ficará igualmente cheio de granulações (conhecidas como ruído de vídeo).

Fora isso, você ficará empolgado com o vídeo registrado por esta câmera confortável, confiante. De fato, considerando quantas coisas a Sony colocou nesta máquina, parece quase ingratidão apontar seus defeitos.

A vida da bateria é um deles. A bateria inclusa dura apenas 45 minutos em gravação de alta definição. Você pode comprar uma bateria maior, mas então você trombará, literalmente, em outro problema: o visor não se estende para compensar a espessura adicional das baterias maiores. Quem tem um nariz um pouco maior deve tomar cuidado.

Também vale notar que o compartimento de fita da HC1 fica na parte de baixo. Esse é um desenho comum em câmeras populares, mas também significa que você não pode trocar as fitas quando a câmera está em um tripé.

A Sony novamente optou por tornar o corpo da câmera mais simples e mais limpo, relegando a maioria dos botões de controle para a tela de toque de abrir. Mas isso acarreta em inconveniências. Isso significa, por exemplo, que quando você quer passar alguns vídeos para a família na TV, você tem que manter a tela aberta, consumindo energia da bateria, pois é nela que se encontram os botões Play, Stop e Rewind.

Finalmente, mesmo em sua maior posição de zoom, quando você recuar o zoom ela o fará mais do que você provavelmente deseja (outro problema comum das câmeras populares).

Em termos fotográficos, a HC1 tem um zoom equivalente a 41-480mm; em termos humanos, você precisa recuar bastante para enquadrar o corpo inteiro de alguém. A menos que você adicione um desajeitado adaptador de lente grande-angular, se prepare para muitas imagens de pessoas da cintura para cima na mesma sala.

Mas, considerando a amplitude do feito da HC1, esses são apenas pequenos inconvenientes. Essa câmera atrairá muitos fãs -tantos, de fato, que a pergunta persistente dos entusiastas da HDTV começará a ser ouvida com mais freqüência: assim que você filmar alguns vídeos fantásticos em alta definição, como você vai exibi-los?

Você pode editá-los em um Mac ou PC, mas a maioria dos programas de edição compatíveis com alta definição é muito caro. (A exceção é o iMovie HD da Apple, que custa US$ 80 como parte de um pacote de cinco programas.) Você não poderá salvar sua obra-prima em fita, porque quem tem um videocassete de alta definição? E você não pode queimá-lo em um DVD, porque gravadores de DVD de alta definição ainda não existem.

Então, por ora, há apenas uma forma prática de exibir os momentos de sua vida em alta definição: ligando a HC1 diretamente no seu aparelho de alta definição.

Em outras palavras, comprar uma câmera de vídeo de alta definição é equivalente a pensar à frente. Ela permite que você registre hoje momentos inestimáveis, na melhor qualidade possível, apesar do restante das peças do quebra-cabeça de alta definição ainda não estarem disponíveis.

Se esse tipo de filosofia "filme agora, exiba depois" tem apelo para você, agradeça à Sony. A HC1 é um verdadeiro avanço em preço e tamanho, e traz o potencial de um vídeo assombroso de alta definição para um enorme novo público.

Bem-vindo ao futuro, Grupo A. A fila começa a se formar aqui. George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,56
    3,261
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h21

    1,28
    73.437,28
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host