UOL Notícias Internacional
 

15/09/2005

Ophelia segue para a costa da Carolina enquanto chuva e vento cortam eletricidade

The New York Times
John DeSantis*

Em Surf City, Carolina do Norte
Após ficar parado no mar por uma semana, o furacão Ophelia avançou lentamente na direção da costa do Estado da Carolina do Norte na quarta-feira (14/09), provocando rajadas de vento ofuscantes à frente de seu olho, que inundou as comunidades litorâneas e deixou milhares no interior sem energia. A tempestade, classificada como sendo de categoria 1 pelo Serviço Nacional de Meteorologia, com ventos sustentados de 128 km/h, deverá atingir da costa de Cape Fear até Outer Banks na quinta-feira, onde um curso no sentido nordeste poderá levá-lo para o mar.

As autoridades disseram que as evacuações voluntárias foram tranqüilas e que às 15 horas de quarta-feira, 519 pessoas já tinham se refugiado em abrigos.

Moradores e autoridades disseram que os efeitos cataclísmicos do furacão Katrina em Nova Orleans e na Costa do Golfo do México não afetaram a forma como responderam à tempestade.

"Nós sentimos que estamos o mais preparados que podemos", disse o prefeito de Wilmington, Spence Broadhurst. "O Katrina não teve nenhuma influência no processo. Nós temos um plano bem claro."

Ainda assim, ele acrescentou, "eu não seria humano se os efeitos daquela tempestade não tivessem nenhum efeito na minha forma de pensar".

As autoridades estaduais concordaram.

"Infelizmente, nós temos um histórico com furacões", disse o tenente Everett Clendenin, um porta-voz do Departamento de Controle de Crime e Segurança Pública da Carolina do Norte. "Nós temos um processo operacional padrão."

Mas Stephen Barnett, diretor executivo da divisão de Cape Fear da Cruz Vermelha Americana, disse achar que o Katrina teve algum peso sobre as decisões tomadas por indivíduos e famílias.

"Eu acho que o simples fato de tantos indivíduos não terem se preparado adequadamente em Nova Orleans fez com que as pessoas tomassem precauções adicionais", disse ele sobre os moradores daqui. "Eu acho que elas planejaram melhor e levaram a tempestade mais a sério. As pessoas tanto aumentaram o estoque de suprimentos quanto partiram mais cedo."

Às 15 horas de quarta-feira, 519 pessoas já tinham se refugiado em oito abrigos nos condados costeiros de Brunswick, New Hanover e Pender.

Pelo menos duas árvores caíram sobre casas em Wilmington, uma cidade pitoresca ensanduichada entre o Canal Intracosteiro Atlântico e o Rio Cape Fear, perto do extremo sudeste da Carolina do Norte. Um antigo carvalho gigante foi visto tombado de lado na Market Street, uma importante via pública.

Comunidades litorâneas como Topsail Island, Carolina Beach e Wrightsville Beach foram duramente atingidas e deverão experimentar forte erosão na praia. Carolina Beach informou inundações de até 30 centímetros em alguns bairros.

As ruas ficaram inundadas em alguns setores de Surf City, um resort ao norte de Wilmington. Rajadas de chuva atingiam na diagonal sua área de passeio. A praia de areia branca não podia ser vista por causa da arrebentação pesada, uma massa trovejante de cristas de onda que batiam continuamente contra a praia enquanto a noite caía e o Ophelia se aproximava da costa.

As comunidades no interior se preparavam para os ventos fortes, mas informaram poucos danos iniciais. A principal preocupação no rural Duplin County era a safra de milho pronta para a colheita. Os agricultores se esforçavam para colher o que podiam antes do início das chuvas mais fortes.

Em resorts como Wrightsville Beach, alguns turistas encerraram suas férias enquanto outros decidiram enfrentar a tempestade, não impressionados com sua classificação de categoria 1.

A cerca de 24 quilômetros da costa de Topsail Island, onde fortes ventos uivavam e as ondas surravam a praia, David Paul permanecia do lado de fora do restaurante de cachorro-quente que leva o nome de sua família há três gerações, vendo os sicômoros se curvarem do outro lado da estrada deserta.

"Estava tedioso antes dela chegar aqui", disse ele. "Nós temos assistido esta tempestade a semana toda." No posto do Corpo de Bombeiros Voluntário de Sloop Point, perto de Surf City, os bombeiros aguardavam pela chegada iminente da tempestade na noite de quarta-feira, que colocaria um fim a uma semana de leve tensão e nervosismo pela espera do Ophelia, que parava e avançava lentamente ao sul da linha do Estado.

"É como uma criança no Natal, aguardando para saber o que vai ganhar", disse o chefe assistente Scott Bradshaw. "Mas assim que a tempestade estiver aqui, tal sensação vai definitivamente passar. Você simplesmente ficará feliz por ela ter ido embora."

*James Dao contribuiu com reportagem em Washington. Furacão não deverá provocar as mortes e a destruição do Katrina George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h29

    -0,35
    3,271
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h32

    0,46
    63.515,85
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host