UOL Notícias Internacional
 

17/09/2005

Eleição não traz alívio na violência do Afeganistão

The New York Times
Somini Sengupta

Em Kandahar, Afeganistão
Apesar de faltarem apenas dois dias para as eleições parlamentares no Afeganistão, não houve alívio na violência. Um sétimo candidato foi morto nesta sexta-feira (16/09) no agitado sul do país. Na quinta-feira, uma bomba caseira improvisada matou um intérprete afegão que trabalhava para os militares americanos e outra feriu dois soldados da paz canadenses em patrulha.

O candidato assassinado, Abdul Hadi da província de Helmand, a oeste daqui, foi acordado no início da manhã com alguém batendo em sua porta, no distrito remoto de Hazajoft, perto da fronteira com o Paquistão. Ele morreu na porta de casa, disse um policial por telefone.

Seus assassinos fugiram pelos campos de milho e ninguém foi preso, disse o coronel Muhammad Ayub, subchefe de polícia da província. Ainda não se sabe se o candidato foi morto por combatentes do Taleban, que prometeram atrapalhar as eleições, por rivais políticos ou por inimigos pessoais, disse Ayub.

Sua morte ocorreu horas depois do fim oficial da campanha, à meia-noite de quinta-feira. A justiça eleitoral impôs uma moratória de 48 horas na campanha para permitir que os eleitores refletissem sobre suas escolhas para o parlamento de 249 membros e para os conselhos das províncias, antes de irem às urnas no domingo (18).

Cerca de 12 milhões de eleitores estão registrados para essas eleições, que tem 5.800 candidatos. O período que antecedeu a eleição foi perturbado pela violência e discussões sobre a candidatura de senhores de guerra que continuam a ter considerável influência sobre os afegãos ordinários.

Até o momento, 47 candidatos foram desqualificados, a maior parte por laços com grupos armados ilegais. Em um relatório divulgado nesta semana, o grupo Human Rights Watch advertiu sobre o que chamou de "clima subjacente de medo".

Na província de Ghazni, na quinta-feira, um veículo militar americano foi atingido por uma bomba caseira, matando um intérprete afegão e ferindo dois soldados americanos, disseram os militares em declaração na sexta-feira.

Na capital, Cabul, dois soldados da paz em patrulha pela Força de Assistência de Segurança Internacional da Otan foram levemente feridos, na quinta-feira à noite, por uma bomba caseira. As tropas canadenses estão se preparando para ocupar uma nova base aqui em Kandahar depois das eleições. O governo do Canadá advertiu que a mudança deve aumentar o nível de risco para seus soldados. "Senhores da guerra" estão entre os candidatos da inédita votação Deborah Weinberg

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host