UOL Notícias Internacional
 

30/09/2005

Incêndio engole 6,5 mil hectares na região de LA

The New York Times
John M. Broder

Em Oak Park, Califórnia
Uma nuvem de fumaça marrom de 3,22 quilômetros de altura, causada por um violento incêndio florestal, pairava sobre esta comunidade na extremidade ocidental de Los Angeles, na quinta-feira (29/09), em um sinal incontestável de que a temporada anual de incêndios chegou ao sul da Califórnia.

Um incêndio florestal que já queimou mais de 6,5 mil hectares e ameaçou centenas de residências caras estava saindo de controle. Mas as autoridades estavam confiantes em que as labaredas poderiam ser contidas antes que se espalhassem para as áreas residenciais. O fogo começou na tarde da quarta-feira, mas a sua causa é ainda desconhecida. Na noite de quinta-feira, ele havia destruído uma casa e cinco outras estruturas.

J. Emilio Flores/The New York Times 
Helicóptero despeja água no fogo, que avança por região nobre da periferia de Los Angeles

Um bombeiro do Departamento de Incêndios de Los Angeles foi ferido no final da quarta-feira pela queda de uma rocha, mas não houve registro de outros casos de morte ou ferimento.

O fogo foi alimentado por arbustos densos que brotaram após as pesadas chuvas do inverno passado, embora a maior parte dos moradores da área tenha dado atenção às advertências para que retirassem os arbustos para proteger as suas casas de incêndios inevitáveis.

As elevadas temperaturas e a baixíssima umidade fizeram com que o perigo aumentasse, embora os fortes ventos Santa Ana que avivaram as chamas na quarta-feira tivessem, em grande parte, desaparecido na quinta-feira. Temperaturas mais amenas e brisas oceânicas foram previstas pela meteorologia para a sexta-feira e final de semana, o que são boas novas para os bombeiros.

Ainda assim, isso pouco confortou os moradores que viam as chamas varrer as colinas próximas às suas casas, enquanto dez helicópteros despejavam sobre a área aquilo que parecia ser uma quantidade ínfima de água.

Roy Gottlieb, um radiologista que mora em King James Court, em Oak Park, uma comunidade de casas de um milhão de dólares na fronteira entre os condados de Ventura e Los Angeles, tirou fotos do incêndio com o seu telefone celular, sentado nos degraus da entrada da sua casa. Atendendo aos apelos das autoridades, ele e a sua família deixaram a residência e foram para um hotel em Camarillo na noite de quarta-feira. Ele retornou brevemente na quinta-feira para pegar objetos de valor, fotos da família e documentos de seguro.

Gottlieb disse que o seu nível de ansiedade era de "sete, em uma escala de zero a dez". "Me disseram para não entrar em pânico", contou Gottlieb. "Se tivesse entrado em pânico, não estaria aqui agora".

Mais de 3.000 bombeiros de agências municipais, estaduais e federais combateram as chamas, embora as suas mangueiras dificilmente alcançassem as encostas pontiagudas das montanhas ao longo da extremidade ocidental do condado de Los Angeles.

Várias centenas de moradores foram obrigadas a evacuar o local. Muitos levaram os seus animais, embora alguns tenham recebido ordens de deixarem as suas casas sem levarem os bichos de estimação. A Cruz Vermelha anunciou que cerca de 500 pessoas ocupavam cinco abrigos na quinta-feira. A cidade de Los Angeles informou que 215 animais, incluindo cavalos, lhamas, cabras, mulas, um porco e uma tartaruga do deserto foram recolhidos em dois abrigos.

"Estamos cautelosamente otimistas. Se o tempo cooperar, se a população continuar cooperando como tem feito até agora, tudo isso poderá ter um bom final para todos nós", afirmou Zev Yaroslavsky, um supervisor do condado de Los Angeles. "Mas o tempo é imprevisível nestes locais e todos precisam estar alertas".

A Fema (sigla em ingês de Agência Federal de Gerenciamento de Emergências), criticada devido à forma como reagiu ao furacão Katrina, concordou em fornecer assistência horas após receber um pedido do Estado. A ação permitiu ao Estado recuperar até 75% dos custos do combate ao incêndio, disse em uma declaração R. David Paulison, o diretor em exercício da agência.

Jeff e Carole Ebert, que moram em um canyon isolado no condado de Ventura, próximo à área atingida pelo incêndio, foram informados na quarta-feira que não poderiam retornar à sua residência para resgatar os seus cães, Zoomer e Tawny, que não haviam sido alimentados desde a manhã daquele dia. O casal dormiu na casa de um parente na noite de quarta-feira e ficou instalado em uma instalação dos bombeiros em Chatsworth, que funcionava como posto de comando.

Jeff Ebert disse na quinta-feira que tinha certeza que a sua casa nada sofreu, em parte porque o fogo parecia estar rumando para a direção oposta ao seu canyon, e também porque ele passou várias horas durante o verão retirando os arbustos em volta da residência.

Enquanto falava, um sargento de polícia chegou e lhe disse que não poderia retornar à casa, e que não sabia quando seria seguro voltar.

"Estamos novamente presos ao velho jogo de espera", lamentou Ebert. Tempo quente e seco alimenta o fogo, que ameaça área abastada Danilo Fonseca

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host