UOL Notícias Internacional
 

01/10/2005

Casa Branca rejeita comentário racista de Bennett

The New York Times
David D. Kirkpatrick e Marek Fuchs*

Em Washington
A Casa Branca se distanciou nesta sexta-feira (30/09) dos comentários de um proeminente republicano, que disse em um recente programa de rádio que o índice de criminalidade do país poderia ser potencialmente reduzido com o aborto de bebês negros.

A Casa Branca chamou os comentários, feitos por William J. Bennett, um ex-secretário da Educação republicano, de terrivelmente equivocados. O porta-voz da Casa Branca, Scott McClellan, disse que o presidente Bush "acredita que os comentários foram inapropriados".

Bennett disse que os comentários foram tirados de contexto, notando que ele disse imediatamente que tais abortos seriam "repreensíveis".

O republicano, que também atuou com czar das drogas para o pai do presidente, foi atacado na quinta-feira por líderes democratas no Congresso pelos seus comentários, feitos nesta semana em seu programa de rádio, "Bill Bennett's Morning in America".

"Eu sei que é verdade que se você quisesse reduzir a criminalidade, você poderia, se este fosse seu único propósito, você poderia abortar todo bebê negro neste país e o índice de criminalidade cairia", disse Bennett na transmissão. "Isto seria uma coisa impossível, ridícula e moralmente repreensível de ser feita, mas o índice de criminalidade cairia."

Em uma transmissão de rádio na quinta-feira, Bennett considerou as críticas feitas a ele de "ridículas, estúpidas, totalmente sem mérito".

"Eu estava apontando que a oposição ao aborto não deve ocorrer por motivos econômicos, assim como ao racismo ou, da mesma forma, a escravidão ou a segregação não devem ser apoiadas ou combatidas por motivos econômicos", disse ele. "Políticas imorais são erradas porque são erradas, não por causa de um cálculo econômico. Alguém poderia simplesmente ter dito que você poderia abortar todas as crianças e prevenir todos os crimes, para mostrar o absurdo da proposta."

Bennett, que foi secretário da Educação no governo Reagan e é autor de um livro best-seller sobre moralidade, disse que estava se referindo a um debate na revista online "Slate", que discutia raça no contexto de um argumento de que abortos contribuíam para a redução do índice de criminalidade. Tal debate, envolvendo Steven D. Levitt, autor do best seller "Freakonomics", aparentemente apareceu na "Slate" seis anos atrás.

Em uma entrevista para a "Fox News", Bennett disse que os críticos distorceram seus comentários ao omitirem sua declaração de que o aborto de todos os bebês negros seria "moralmente repreensível".

"Quando isto é incluído na citação, deixa perfeitamente clara qual é a minha posição", disse Bennett. "Eles fazem parecer como se eu apoiasse tal idéia monstruosa, o que não apoio."

Os líderes democratas no Congresso, o senador Harry Raid, de Nevada, e a deputada Nancy Pelosi, da Califórnia, buscaram colocar os comentários no contexto do esforço republicano para cortejar os eleitores afro-americanos. Reid disse que os comentários de Bennett "alimentarão as chamas do racismo" e Pelosi os chamou de "palavras vergonhosas".

*Com reportagem de David D. Kirkpatrick em Washington e Marek Fuchs em New York. Republicano afirma que crimes cairiam se negros fossem abortados George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    11h39

    0,32
    3,168
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h47

    0,56
    74.857,69
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host