UOL Notícias Internacional
 

20/10/2005

iPod Video: veja tudo a respeito

The New York Times
David Pogue

Colunista de tecnologia
Chame de Paradoxo iPod: a cada versão sucessiva, o music player da Apple que já vendeu 30 milhões de unidades fica mais e mais fino, mas sua lista de funções fica maior e maior. No próximo ano, sem dúvida, o iPod funcionará como rádio, controle remoto e mexedor de café, mas será fino o suficiente para ser enrolado em um tubo.

O mais recente modelo, apresentado na semana passada, é deliciosamente fino (10,6 X 6 X cerca de 1,2 cm). Além de seu repertório habitual (executar músicas, fotos digitais, calendário, agenda de endereços e letras de música), ele pode exibir vídeo.

Bem, não existe algo como um Video iPod. O novo modelo se chama simplesmente iPod; seus antecessores mais espessos, sem capacidade de vídeo, partiram para o grande eBay no céu. Todo o debate sobre "alguém comprará um Video iPod?" se tornou repentinamente irrelevante, porque o novo modelo é o mesmo excelente music player com capacidade de vídeo.

A maior surpresa: assistir vídeo na minúscula tela de 2,5 polegadas (320 X 240 pixels) é completamente envolvente. Três fatores inesperados estão em ação. Primeiro, a imagem em si é nítida e vívida, com a ação nunca ficando borrada; a tela é notadamente mais brilhante do que a dos iPods anteriores.

Segundo, como o áudio é enviado diretamente para os fones de ouvido, ele possui uma fidelidade e presença muito maiores do que a da maioria dos aparelhos de TV das pessoas. Finalmente, lembre que uma tela de 2,5 polegadas a 30 centímetros do seu rosto preenche grande parte do seu campo de visão tanto quanto uma tela maior do outro lado da sala.

Muitas pessoas --incluindo o chefe da Apple, Steve Jobs-- previram que o vídeo no iPod nunca seria tão popular quanto a música. Um motivo crítico é que assisti-lo exige sua plena atenção. Você não pode fazer outra coisa simultaneamente, como dirigir ou trabalhar.

Na prática, estas previsões revelaram ser absolutamente precisas. (Eu estabeleci este fato por meio de teste científico prático. Compenetrado não intencionalmente em um episódio de "Lost" enquanto caminhava pelo Grand Central Terminal, eu trombei com uma viga de suporte de aço.)

Assistir iPodvision também exige uma mão livre para segurar o aparelho, o que se torna desajeitado após algum tempo. Lembre que, em espaços urbanos, onde os iPods são uns dos alvos preferidos de ladrões, você precisa segurar a coisa à plena vista. Você se sente como se estivesse usando um adesivo dizendo: "Sou um idiota. Me roube".

Mas em situações menos públicas, vídeo de bolso é um prazer; é escapismo por demanda. À espera do avião, pelo garçom ou aguardando na sala de espera do consultório médico são algumas situações que vêm à mente. Longas viagens de carro também são perfeitas (apenas passageiros, por favor).

Viagens de avião são candidatas menos indicadas para vídeo, por causa da vida da bateria ser muito pequena. O modelo de 30 gigabytes (US$ 300), que pode conter 75 horas de vídeo ou 7.500 músicas, exibe apenas pouco mais de duas horas de vídeo por carga. O modelo de 60 gigabytes (US$ 400) armazena o dobro, mas executa apenas três horas de vídeo. (A Apple diz que a vida da bateria é muito melhor quando toca música: 14 e 20 horas, um recorde do iPod.)

Com um cabo de vídeo de US$ 19, você pode conectar o iPod à TV para uma imagem maior, mas não espere alta definição. A qualidade de vídeo de 320 X 240 pixels, que parece excelente na tela do iPod, é ampliada quatro vezes na TV. O resultado é uma qualidade um tanto VHS e borrada, mal tolerável à distância do sofá.

Você carrega o novo iPod da mesma forma que carregava os antigos: o conectando a um Mac ou PC que roda o programa gratuito iTunes da Apple, que agora suporta vídeos.

E onde você consegue os vídeos no formato apropriado (H.264 ou MPEG-4)?

Você pode exportar filmes caseiros diretamente do programa de edição de vídeo iMovie da Apple. Você pode converter arquivos de vídeo existentes usando um programa como QuickTime Player Pro (US$ 30, para Mac ou Windows). Você pode até converter filmes comerciais de DVD, se você acreditar em certos sites.

Você também pode fazer o download de vídeos na iTunes Music Store, que repentinamente passou a necessitar de uma mudança de nome. E aqui é onde as coisas ficam muito, muito mais interessantes --talvez ainda mais interessantes do que o próprio video iPod.

Esta loja de música oferece podcasts de vídeo gratuitos, que são transmissões curtas de Internet, geralmente caseiras. Os desenhos de curta metragem da Pixar custam US$ 1,99 cada. Você também pode comprar qualquer um dos 2 mil videoclipes de música por US$ 1,99 cada; é claro, o preço inclui a música (que custa 99 centavos quando vendida separadamente). Há muitos locais online para assistir vídeos de música, mas a Apple montou o primeiro lugar centralizado legal para download deles.

Mas a maior notícia é que a Apple agora vende programas de TV: séries de TV conhecidas, novas e antigas.

Incrivelmente, a Apple persuadiu a Disney, que é dona da ABC, a disponibilizar todos os episódios de cinco séries de TV, incluindo "Lost", "Desperate Housewives" e "That's So Raven". Cada episódio custa US$ 1,99 --uma compra simples por impulso quando você perde um episódio.

Eles são exibidos belamente, sem logotipo do canal no canto, sem espera de um ano pelo DVD e sem comerciais. (O download de uma "hora" de TV, 43 minutos, leva 12 minutos com cable modem, e cerca de dois minutos para transferir ao iPod pelo cabo USB 2.0. Os programas de TV, vídeos de música e curtas apresentam leve proteção contra cópias: você pode rodá-los em até cinco computadores e em um número ilimitado de iPods, mas não pode queimá-los em um CD ou DVD.)

Vender programas um dia depois da exibição pode parecer uma forma óbvia de recuperar dinheiro para as redes de TV. Mas até agora, os estúdios de TV e cinema continuam apavorados com a possibilidade de distribuição pela Internet; seus executivos ainda acordam suando frio após terem pesadelos de adolescentes trocando arquivos. O fato de Jobs ter persuadido a Disney a colocar o dedo nestas águas é um feito impressionante --e um sinal muito promissor.

Agora, a novo iPod é o video player de bolso menor, mais simples e mais bonito, mas certas pessoas devem ficar longe dele. Não compre o iPod se você quiser comprar música em lojas online além da loja da Apple; suas músicas não tocarão nele.

Também não compre o iPod se você estiver convencido de que vídeo exige uma tela maior; Archos, Creative Technology, iRiver e Samsung fazem players de música/vídeo com telas de 3,8 a 7 polegadas e melhor vida de bateria. Como bônus, a maioria dos players Archos pode gravar diretamente de um DVD, TiVo ou conversor de TV a cabo, e você pode carregar as outras marcas com programas gravados de um TiVo.

Mas esta não é uma comparação correta. Tais players são mais caros, muito maiores, precisam ser segurados com as duas mãos e não cabem no bolso a menos que você seja um canguru. (O Archos GMini 402 é apenas ligeiramente maior que o iPod e também custa US$ 300 --mas oferece uma tela menor e um disco rígido de menor capacidade.) E carregá-los com programas de TV é um procedimento infinitamente mais técnico e desajeitado do que o procedimento quase sem esforço, com um clique, da Apple.

É claro, a maioria das pessoas não se sentirá atraída pela variedade do catálogo da Apple no momento. Apenas cinco séries de TV? Só Estados Unidos? Grande coisa, não é?

Novamente, a própria iTunes Music Store já foi uma experiência igualmente minúscula (só para Macintosh, só para os Estados Unidos). Hoje, ela é um fenômeno internacional altamente bem-sucedido.

Aqui há a esperança de que a experiência de vídeo da Apple seja igualmente bem-sucedida --não para o bem da Apple, mas de fãs de cinema e TV. Se for, o novo iPod com capacidade de vídeo poderá ser a chave para um problema antes insolúvel: como fornecer filmes e séries de TV de forma barata, rápida, conveniente, economicamente viável, resistente à pirataria, baseados em Internet, por demanda às massas.

O iMac ganha um espaço na sala de estar

Quando a Apple apresentou seu computador branco reluzente iMac G5 em peça única, sua semelhança com o branco reluzente iPod era indisfarçável.

O iMac G5 atualizado, apresentado na semana passada em tamanhos de tela de 17 e 20 polegadas (US$ 1.300 e US$ 1.700), leva tal semelhança um passo além: ele agora vem com um controle remoto branco reluzente, com botões em um desenho circular ao estilo do iPod.

O botão Menu abre um grande "menu" tridimensional que permite que você toque suas coleções de música, vídeo ou fotos --ou controle a execução de um DVD comercial-- do outro lado da sala, sem um teclado ou mouse. O iMac sempre foi bonito o bastante para ficar em áreas públicas da casa; este novo modo de tela grande, voltado ao entretenimento, ganha um espaço em frente ao seu sofá.

O efeito é semelhante ao do programa Media Center PC da Microsoft, apesar do iMac carecer das funções de rádio e gravação de TV do Media Center. Por outro lado, a versão iMac é mais simples e mais enxuta; o controle remoto da Apple tem apenas seis botões, em comparação aos 41 da Microsoft. (O mesmo controle pode controlar a execução básica em modelos "dockable" (atracável) do iPod se você comprar a nova base de carga de US$ 40.)

Professores de sala de aula que tremem com a idéia de alunos de sétima série travessos empunhando controles remotos, atenção: cada iMac pode ser "casado" a um controle remoto em particular, ou pode ser programado para ignorar o controle remoto.

O iMac também tem uma câmera de vídeo embutida em sua frente. Você pode usá-la com o programa de bate-papo Mac OS X para realizar bate-papos por vídeo em tela plena, de qualidade extremamente alta. Ela também pode tirar sua foto -a tela inteira do iMac pisca em branco para servir como "flash". (Algumas amostras estão na página www.nytimes.com/circuits.)

O sistema operacional enxuto, livre de vírus, livre de spyware do iMac ajuda tudo isto a funcionar perfeitamente e rapidamente. E apesar de haver espaço para melhoria no departamento de TV, o novo iMac é outro indício de que a Apple Computer está se transformando rapidamente na Apple Entertainment. Antecessor sem capacidade de vídeo já foi ao grande eBay no céu George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    0,31
    3,232
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h20

    -0,44
    74.157,38
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host