UOL Notícias Internacional
 

04/11/2005

Mais recente aparelho BlackBerry traz avanços

The New York Times
David Pogue

Colunista de tecnologia
Para uma pequena empresa canadense da qual a maioria dos leigos nunca ouviu falar, a Research in Motion (RIM) tem tido um impacto e tanto. Mais de 3,5 milhões de pessoas, a maioria em empregos de colarinho branco nas costas Leste e Oeste, agora seguram aparelhos de celular/e-mail BlackBerry da RIM em aviões, trens e automóveis.

Research in Motion/The New York Times 
Aparelho é tão popular que médicos usam nome para batizar lesão por uso excessivo
As pessoas se tornaram tão dependentes de estarem em constante contato corporativo que chamam estas pequenas máquinas de CrackBerries. E as pessoas passam tanto tempo teclando o minúsculo teclado Tom Thumb (pequeno polegar) do BlackBerry que a Sociedade Americana de Terapeutas da Mão emitiu um alerta ao consumidor --isto não é brincadeira-- sobre uma condição dolorosa chamada de Polegar BlackBerry.

E tudo poderá piorar ainda mais --ou melhorar, dependendo do seu ponto de vista.

Isto porque na última terça-feira (01/11), a RIM apresentou o novo BlackBerry 8700c, uma versão amplamente modernizada de um aparelho cujas tecnologias eram sólidas, mas um pouco atrasadas no tempo. Ele começará a ser vendido em 21 de novembro.

Os fãs do BlackBerry não precisam se preocupar; a nova versão ainda é um BlackBerry. Afinal, os únicos componentes mudados pela RIM foram a tela, o teclado, a bateria, o alto-falante, o processador, o software e o preço (agora US$ 300, disponível inicialmente apenas pela Cingular). O conector do fone de ouvido foi deixado em paz.

Algumas das mudanças, como a tela, chamam a atenção imediatamente. Os modelos recentes do BlackBerry têm tela colorida, mas não têm fundo iluminado. Eles podem durar uma semana com uma carga de bateria, mas você não pode usar um para ler um programa de teatro no escuro.

Mas o 8700c tem uma tela de ponta, brilhante, de alta resolução (240 pixels por 320 pixels). Seu sensor de luz ambiente até escurece a tela quando a luz da sala é baixa e desativa a iluminação das teclas quando a sala está clara.

Infelizmente, a eletricidade exigida para iluminar sua vida tem que vir de algum lugar; a nova bateria "quatro horas de conversa" do BlackBerry não dura tanto quanto a carga do antigo. Você terá que carregar esta a cada três dias, aproximadamente.

A próxima mudança mais evidente está no design do aparelho. Graças a um padrão de cor moderno, novo, ele não é só um BlackBerry (preto) mas também um GrayBerry (cinza).

Ele também está ligeiramente mais estreito e fino do que o modelo anterior (10,9 x 6,8 x 2 cm), e com 133,2 gramas, ele é tão leve que praticamente parece oco. Ainda assim, considerando quão pouco com um celular o BlackBerry se parece pressionado contra seu ouvido, qualquer grau de redução no design é bem-vindo.

As outras mudanças não são aparentes até você começar a usar o 8700c. Um processador Intel mais poderoso torna o aparelho mais ágil, e o transmissor interno Bluetooth permite que você dê telefonemas usando um fone de ouvido/microfone sem fio ou em um carro equipado com Bluetooth.

As teclas familiares para polegares, cada uma com a largura de um dente humano, ainda estão lá, apesar de estarem mais apertadas pelo fato do próprio BlackBerry estar mais estreito. Mas agora há uma tecla zero dedicada e duas proeminentes "teclas de conveniência" que você pode programar de acordo com seus caprichos.

O microfone recém posicionado oferece uma melhor qualidade de telefone, que, somado às novas teclas Send, End e Mute, deixa claro que a RIM está finalmente tratando a função de celular como uma cidadã de primeira classe em vez de um complemento.

As demais melhorias do 8700c são ajustes técnicos. O telefone agora pode ser conectado à Internet pela rede Edge da Cingular, que supostamente fornece navegação de alta velocidade na Internet para celulares. É claro, isto é alta velocidade em comparação a outros celulares, não alta velocidade em comparação a um cable modem.

Mesmo este novo BlackBerry, em uma grande cidade com conexão Edge sólida, pode levar um bom tempo carregando uma página de Internet na tela. (Felizmente, você pode esperar pulando temporariamente para outro programa, como seu calendário, teclando Alt-Esc. Este novo comando invoca uma série de ícones de aplicativos ao estilo Mac ou Windows.)

O novo comando Enhance também é uma invenção esperta. Quando alguém lhe envia uma foto ou uma apresentação PowerPoint, uma versão 320 x 240 pixels baixa rapidamente. Mas e se você quiser ver uma parte dele em close? Você pode ampliar, mas de forma borrada. Mas com o comando Enhance o BlackBerry extrai mais da imagem original da fonte na Internet, deixando a imagem ampliada mais clara e nítida. No geral, o comando Enhance lembra as cenas inverossímeis de filme nas quais algum técnico congela uma imagem de fita de câmera de segurança, dá um zoom no bandido, então consegue atender ao pedido do detetive: "Você pode deixá-la mais clara?"

Em muitos outros aspectos, o novo BlackBerry trabalha igual ao antigo -no que isto tem de bom e mau. Você ainda o opera girando um disco clicável na borda direita para acentuar os menus e ícones na tela -uma técnica que pode soar menos eficiente do que tocar uma tela de toque, mas que permite que você faça tudo com uma só mão.

O BlackBerry ainda está cheio da criatividade de programadores espertos, cujos atalhos de conveniência retiram parte do incômodo de usar um teclado minúsculo. Por exemplo, você pode tornar uma letra maiúscula pressionando a tecla por meio segundo a mais. Quando você está lendo uma mensagem, apertar T ou B a rola para cima (top) ou para baixo (bottom), e R abre uma resposta. Mesmo letras acentuadas são fáceis de digitar: você apenas mantém a letra pressionada e gira o disco passando pelos diferentes acentos.

E o BlackBerry ainda brilha na realização daquilo que o colocou no mapa: receber seu e-mail, não a cada 15 minutos, mas em tempo real, à medida que as mensagens são enviadas. E se o seu mestre corporativo investiu em algo chamado servidor BlackBerry, então seu aparelho de bolso é um espelho fantástico, sem fio, para o programa de e-mail utilizado no computador no trabalho. Responda uma mensagem e você verá a resposta em sua pasta de mensagens enviadas no escritório.

Por outro lado, muitas das deficiências do BlackBerry ainda estão presentes no 8700c. Por exemplo, se você tem uma conta regular de e-mail, você não pode desfrutar do efeito de espelho em tempo real; se você apagar uma mensagem em seu BlackBerry, você terá que apagá-la de novo quando voltar ao seu computador. Ainda não há player de música, nenhuma câmera integrada e nenhuma função de vídeo.

Sim, estas limitações reforçam a missão do BlackBerry de ferramenta para corporações, não para indivíduos. (Você sabe que está em território corporativo quando o livreto de licença de software de 56 páginas é 75% mais longo do que o manual do usuário.) Mas será que funcionários de corporações não são seres humanos? Será que não gostam de tirar fotos e escutar música como pessoas normais?

Talvez este seja o motivo para o rival do BlackBerry, o Treo 650, também ter se tornado altamente popular. Ele toca música, tira fotos, parece mais sólido e confortável na mão, roda milhares de programas Palm e está disponível para todas as grandes provedoras de telefonia celular. (A restrição apenas para Cingular será um fator impeditivo para milhares de compradores potenciais do 8700c.)

Também há outro motivo para pausa: a nuvem escura legal que paira sobre a RIM.

Há dois anos, uma minúscula empresa detentora de patente chamada NTP ganhou um processo de violação de patente contra a RIM. O tribunal concedeu à NTP uma bolada de dinheiro, mais uma injunção proibindo a RIM de vender BlackBerries nos Estados Unidos -ou mesmo fornecer o serviço BlackBerry. A proibição foi suspensa enquanto a RIM apelava da decisão. Mas ela também perdeu esta rodada legal e uma tentativa de acordo fora do tribunal fracassou. Todos os fanáticos por CrackBerry temem uma situação de pesadelo de sofrer uma crise de abstinência quando a NTP voltar ao tribunal para reativar a injunção.

É verdade que um apagão de BlackBerry não é provável; a RIM já anunciou que tem uma alternativa para a tecnologia disputada. Enquanto isso, quanto aos méritos de design e funções, o 8700c é um avanço bem-vindo e merece se tornar o novo modelo padrão.

Se você puder tolerar a vida mais curta da bateria e se a Cingular é o serviço que usa ou lhe interessa, você considerará o novo BlackBerry um comunicador sólido, rápido e brilhante que viciará mais do que nunca. Misto de celular e e-mail chegará ao mercado em 21 de novembro George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host