UOL Notícias Internacional
 

09/11/2005

Democrata Tim Kaine vence a disputa na Virgínia

The New York Times
James Dao

Em Richmond, Virgínia
O vice-governador Timothy M. Kaine, um democrata, venceu a disputa pelo governo da Virginia na terça-feira (09/11), conquistando uma grande vitória política para seu mentor, o governador Mark Warner, e transmitindo uma mensagem poderosa de que a posição política do presidente Bush caiu neste Estado republicano.

Com 93% dos votos contados, Kaine tinha 52% dos votos contra 46% de seu oponente republicano, Jerry W. Kilgore, um ex-secretário de Justiça. Um candidato independente, o senador estadual H. Russell Potts Jr., um republicano, tinha 2%.

A vitória de Kaine, que esteve atrás durante grande parte da campanha, deu um grande impulso a Warner, que indicou Kaine como seu sucessor e que agora está considerando concorrer à presidência em 2008.

O governador, que conta com um índice de aprovação de mais de 70% na Virgínia --mas que era proibido pela lei estadual a concorrer à reeleição-- está tentando se lançar como um democrata centrista, pragmático, capaz de vencer no Sul, e a vitória de Kaine claramente reforçou tal imagem.

Igualmente importante, a vitória de Kaine foi um duro golpe para Bush, que fez campanha para Kilgore na noite de segunda-feira apesar de seu índice de aprovação ter caído abaixo de 50% na Virgínia.

Os assessores de Kilgore disseram que a aparição de Bush foi crucial para mobilizar o comparecimento dos eleitores republicanos, mas democratas e analistas políticos disseram que a visita de Bush pode ter estimulado um número igual ou maior de eleitores democratas e independentes a votarem em Kaine.

Agora os democratas provavelmente anunciarão a vitória de Kaine como evidência de que Bush se tornou prejudicial para os candidatos republicanos locais e estaduais antes das eleições para o Congresso do próximo ano.

Mas Kilgore também pode ter prejudicado a si mesmo ao exibir propagandas altamente negativas, atacando as posições de Kaine sobre pena de morte, impostos e imigração ilegal. Segundo analistas políticos e algumas pesquisas, tais propagandas afastaram muitos eleitores independentes.

Kaine, 47 anos, é advogado e ex-prefeito de Richmond, capital do Estado. Sua esposa, Anne Holton, é uma juíza estadual e filha do ex-governador Linwood Holton, um republicano, que fez campanha por Kaine.

Era difícil na noite de terça-feira avaliar qual candidato foi mais prejudicado pela candidatura de Potts. Muitos analistas esperavam que ele tiraria muitos votos de Kaine, que precisava ganhar um grande número de votos independentes neste Estado altamente republicano.

Com céu limpo e tempo incomumente quente, ambos os lados informaram um bom comparecimento de eleitores nas áreas em que precisavam ganhar: para Kaine, Norfolk, Richmond e o os arredores de Washington; para Kilgore, as regiões semi-rurais do norte, os subúrbios de Richmond, o sudoeste rural e a área de Virginia Beach, com sua concentração de famílias militares.

O campo de Kaine considerou seu esforço de mobilizar eleitores como sendo o maior de um democrata na história do Estado, dizendo que mobilizaram 4.800 voluntários para darem 600 mil telefonemas e baterem em 800 mil portas desde sexta-feira. O campo de Kilgore se recusou a fornecer detalhes sobre seu esforço de mobilização, mas alegou que foi maior do que o de Kaine.

Apesar do comparecimento dos eleitores fiéis ter sido crucial para ambos os lados, ele parecia particularmente importante para Kilgore, que perdeu apoio entre os eleitores independentes nas últimas semanas, como mostraram as pesquisas.

"Tudo se resumirá ao comparecimento", disse Kilgore aos repórteres na manhã de terça-feira.

A aparição de última hora de Bush visava claramente estimular os trabalhadores de campanha leais, que executaram a operação 72 horas dos republicanos, assim chamada porque entrou em ação no último fim de semana da campanha, para pedir repetidas vezes o voto em Kilgore não apenas dos republicanos dedicados, mas também dos casuais.

Em um discurso para milhares de republicanos no aeroporto de Richmond, na noite de segunda-feira, Bush elogiou Kilgore como um filho da Virgínia rural, um homem "que não tem um ar extravagante" e que era um guardião dos valores conservadores.

"Eu espero que vocês se esforcem amanhã para telefonar para seus amigos e vizinhos", disse Bush. "Digam a eles que se quiserem um bom governo --um bom e sólido governo conservador-- que então coloquem este homem na cadeira do governador em Richmond."

Mark Rozell, um professor de política pública da Universidade George Mason, disse que foi uma medida de "alto risco" tanto para Bush quanto para Kilgore contar com a participação do presidente na campanha na Virgínia, em um momento em que seu índice de aprovação está abaixo de 50% e a capacidade de Kilgore de vencer estava em dúvida. A aparição de Bush, disse Rozell, pode ter causado o "efeito contrário", mobilizando eleitores democratas e independentes "revoltados contra Bush".

"Meu palpite é que o pessoal de Kilgore viu os números das pesquisas contra eles e então viu a necessidade real de mobilizar os eleitores fiéis", disse Rozell.

Kaine disse ter ficado satisfeito com a entrada de Bush na disputa. "Alguém pode me dizer para onde enviar o cartão de agradecimento?" disse Mo Elleithee, o diretor de comunicações de Kaine. "O presidente incendiou nossa base."

Mas Tucker Martin, um porta-voz da campanha de Kilgore, apontou que o campo de Kaine fez o senador John Kerry escrever uma carta aos democratas no final da campanha." Eles terminaram com John Kerry, nós terminamos com o presidente", disse ele. "Nós ficamos com o melhor."

A disputa deste ano permaneceu apertada por meses, em parte porque nenhum candidato estabeleceu uma personalidade pública predominante ou articulou um tema político definidor para conquistar a imaginação dos eleitores.

Em comparação, as últimas três disputas pelo governo estadual, todas decididas por grandes margens, se concentraram em peso em um único tema: George F. Allen, um republicano, destacou a alta criminalidade e buscou colocar um fim à liberdade condicional em 1993; James F. Gilmore III, um republicano, prometeu colocar um fim ao impopular imposto sobre veículos em 1997; e o democrata Warner disse que sua perícia administrativa ajudaria a tirar o Estado da crise orçamentária, em 2001.

Kilgore tentou transformar caráter e ideologia em temas centrais, se retratando como sendo alguém de idéias claras, "que não precisa de uma pesquisa para se decidir", atacando Kaine como sendo "instintivamente liberal".

"Nos últimos dias, se resumirá à confiança", disse Kilgore na manhã de terça-feira após votar perto de sua casa, em um subúrbio de Richmond. "Os eleitores da Virgínia podem não concordar comigo em todas as questões, mas sabem qual é minha posição."

As últimas propagandas de campanha de Kilgore reforçaram sua promessa de aumentar a verba para as escolas, combater impostos maiores e realizar melhorias nas estradas, ao mesmo tempo em que atacava Kaine como sendo um liberal que "fala mais do que a boca" e quer aumentar os impostos.

Kaine tentou desenvolver sua campanha em torno de questões de estilo administrativo e bipartidarismo, afirmando que Warner e ele tinham --com a ajuda republicana-- tornado o governo do Estado mais eficiente. Mas ele também questionou a honestidade de Kilgore, acusando-o de planejar a proibição do aborto caso a decisão Roe versus Wade seja revogada pela Suprema Corte dos Estados Unidos.

Sem causar surpresa, as duas últimas propagandas de televisão que Kaine manteve no ar no dia da eleição exibiam Warner. Eleição alavanca pré-candidatura do atual governador à presidência George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h16

    -0,05
    3,173
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h23

    1,12
    65.403,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host