UOL Notícias Internacional
 

01/01/2006

Auxílio para ressaca: além de olhos de carneiro

The New York Times
Alex Williams
Da última vez que Nan Anane, um designer gráfico de San Francisco, tomou cerveja demais durante uma noitada com os amigos, sua primeira parada na manhã seguinte foi na sua taqueria mexicana local, onde pediu uma tostada feita com ceviche, um peixe cru temperado com limão. "Isto realmente me tira a dor de cabeça e a dor no corpo", disse ele. "Há algo em peixe quase cru que realmente lhe devolve a vida."

Dizem que mongóis do interior se banqueteiam com olhos de carneiro conservados em suco de tomate. Laçadores de gado no Velho Oeste supostamente tomavam chá de infusão de fezes de coelho. Os russos são conhecidos por despejar vodca em gordura de chouriço em um copo e então bebê-la. Muito antes dos antigos egípcios começarem a oferecer cerveja em homenagem ao deus Osíris, os seres humanos já estavam em busca de um alívio para a ressaca, e no Ano Novo, quando as pessoas acordarem grogues de outra festa da virada, haverá dezenas de curas para escolher além do tradicional Alka-Seltzer.

A Internet possibilitou para qualquer um compartilhar curas secretas, incluindo waffles, Geladinho Pedialyte e café amargo. Isto também permite que pequenos herbanários e distribuidores de vitaminas comercializem uma série de remédios prontos com ingredientes como extrato da alcachofra, raiz de salsaparrilha e opúncia. Há também algo chamado Tratamento de Banho Wasabi para Ressaca feito com sulfato de magnésio e mostarda orgânica, que visa fazer você transpirar as toxinas.

Apesar de haver limitadas pesquisas médicas sobre a eficácia de tais curas, a explosão de novos produtos levou pesquisadores britânicos e holandeses a revisarem a pesquisa de medicamentos populares e produtos para ressaca. Os resultados, publicados em dezembro passado pela "BMJ", a revista médica britânica, revelou que "não existe evidência conclusiva que sugira que qualquer intervenção convencional ou complementar seja eficaz na prevenção e tratamento da ressaca alcóolica" (apesar dos pesquisadores terem notado "resultados encorajadores" para borragem, assim como para o ácido tolfenâmico, um analgésico).

Mas cabeças nebulosas não estão bem equipadas para processar dados científicos, e a maioria daqueles que se encontram com náusea e joelhos cambaleantes após uma bebedeira épica simplesmente fará o que eles e seus antepassados sempre fizeram: reunir uma receita de remédios caseiros testados e que talvez funcionem, geralmente pesados em gordura, sal e fé cega. Nenhum artigo dúbio abalará sua devoção na cura milagrosa preferida e altamente específica pessoal -digamos, pizza seguida por uma dose de Fernet-Branca, uma ginger ale, uma multivitamina e dois Advils, o tônico preferido de Michelle Idziorek, 33 anos, uma recrutadora técnica de San Francisco.

"Eu acho que comer qualquer coisa que absorva o álcool é uma boa opção", ela explicou. "Mas parece que não consigo fazer meus amigos comerem algo saudável, como uma torrada de pão integral, quando estão realmente bêbados."

Frank Kelly Rich, editor da "Modern Drunkard" (beberrão moderno), uma revista humorística mensal em Denver, disse que durante seus anos como ranger do Exército no início dos anos 80, ele costumava procurar os médicos para sais intravenosos, que, ele argumenta, provocavam uma recuperação instantânea da energia. De lá para cá, ele disse, ele se voltou para a Propel Fitness Water, que ele explicou que "contém muita vitamina B e desce mais fácil que água".

Alguns remédios para ressaca envolvem passos múltiplos e específicos. Casey Cunniffe, 35 anos, um gerente de produção da Time Warner Inc., que mora em Norwalk, Connecticut, geralmente encerra a noite de indulgência com um sanduíche de ovo frito, então acorda e toma um milkshake de baunilha -e um copo de cerveja misturado com 7-Up ("hair of the dog) para os casos mais agudos, disse ele.

"O 'hair of the dog' para ressaca realmente funciona, desde que você não vá a lugar nenhum", disse Cunniffe. "O milkshake ajuda a refrescar."

Histórias sobre curas milagrosas disponíveis no refrigerador sobreviveram à era da nanotecnologia em parte porque os médicos nem mesmo conseguem entrar em um acordo sobre o que precisamente causa a ressaca, disse o dr. Jason D. Rosenberg, diretor da clínica de dor de cabeça da Universidade Johns Hopkins.

Os sintomas são bem familiares: dor de cabeça, náusea e a tontura. A maioria das autoridades, ele disse, concorda que parecer ser causada por uma combinação de fatores resultantes da intoxicação por álcool, incluindo desidratação, dilatação dos vasos sangüíneos ao redor do cérebro, mudanças de certas substâncias químicas no corpo e alteração no ciclo do sono.

Mas ninguém sabe exatamente qual o tamanho do papel de cada um destas fatores, o que significa que ninguém sabe ao certo como tratá-los, disse Rosenberg. Além disso, ele acrescentou, certos aspectos da arte da administração da ressaca realmente têm alguma base em ciência. Alimentos salgados, por exemplo, não são uma má idéia, nem bebidas com açúcar. "Você precisa de água e sal para permanecer hidratado", ele disse. "Mas eu não beberia água do mar." Os eletrólitos -os sais- em bebidas esportivas como Gatorade podem ser de ajuda, ele disse.

Mas outros alívios favoritos para ressaca parecem inúteis, ele disse. Ovos, que muitos sofredores de ressaca juram que funcionam, são ricos em proteínas e colesterol, mas nenhum deles parece ter algo a ver com ressaca. Alimentos com temperos fortes apenas farão seu "hálito ficar bem interessante", acrescentou Rosenberg. Quanto ao peixe cru usado por Anante, ele aparentemente não tem valor nenhum, "a menos que você seja um urso polar realmente bêbado".

O "hair of the dog" apenas prolonga a desidratação e devolve toxinas ao corpo. Quanto a alimentos gordurosos, eles são "um erro, porque o fígado não poderá processar todas estas coisas ao mesmo tempo", disse o dr. Marc K. Siegel, o especialista em medicina interna da Escola de Medicina da Universidade de Nova York. "Você está bombardeando seu fígado com toxina, depois o bombardeando com gordura."

Para ele, a melhor aposta é uma xícara de café, Mylanta e muita água. "Não é sexy", disse Siegel, "mas estas coisas funcionam".

Quanto aos vários novos produtos para ressaca que estão no mercado, muitos são feitos por pequenas empresas e vendidos basicamente pela Internet, disse Mark Blumenthal, o diretor executivo do Conselho Botânico Americano, uma organização sem fins lucrativos em Austin, Texas, dedicada ao ensino de medicina fitoterápica. Segundo um estudo britânico, muitos deste medicamentos de ervas não passaram por testes medicinais rigorosos.

Mike Pearson, um programador de uma empresa aeroespacial em Los Angeles, assumiu a tarefa em 2003 com um site chamado www.hangoverreview.com. No site, ele e seus amigos começaram a testar uma série de remédios comerciais disponíveis na época. De lá para cá, disse Pearson, tantos remédios novos chegaram ao mercado que ele tem tido dificuldade para se manter atualizado.

"Desde que estourou o mercado para cura de ressaca", ele escreveu em uma mensagem por e-mail, "quase todos os fabricantes de vitaminas acrescentaram alguma cura para ressaca em sua lista". Ele disse que muitas curas podem ter algum valor porque "o princípio básico de fornecer mais das vitaminas que seu corpo precisa para processar o álcool provavelmente ajudará em certo grau".

Apesar da maioria dos médicos concordar que a única cura real para ressaca é se abster do álcool, alguns reconhecem que o melhor remédio caseiro para aqueles que sucumbem à tentação pode ser qualquer um deles, isto é, aquele que o indivíduo acha que funciona.

Edward L. Burlingame, um executivo editorial aposentado que mora no subúrbio de Nova York, disse que tem usado o mesmo remédio da manhã seguinte há anos -uma mistura de consommé de carne, molho Worcestershire e vodca conhecida como "bull shot"- mas reconhece que a fé pode ser seu ingrediente mais potente.

"Há a verdade e há a verdade maior", disse ele. "A verdade é que provavelmente não funciona. A verdade maior é que se achar que funciona, isto faz toda a diferença."

Ou, nas palavras de Rosenberg, "se uma pessoa acha que algo vai funcionar, ela provavelmente vai melhorar".

Mas há outra escola de pensamento. Como disse Christopher Israel, o gerente geral do Ginger Man, um bar de Manhattan, talvez a melhor forma de lidar com a ressaca é da forma mais honrada pelo tempo, o sofrimento prolongado.

"Eu afundo nas minhas ressacas", explicou Israel. "Se você não sofre a ressaca, você não se divertiu." George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host