UOL Notícias Internacional
 

05/01/2006

Erro de comunicação provoca falso relato de 12 sobreviventes após acidente em mina

The New York Times
James Dao e Maria Newman*

Em Sago, Virgínia Ocidental
Problemas de comunicação geraram o informe enganado de que 12 dos 13 mineiros presos em uma mina de carvão na Virgínia Ocidental teriam se salvado, disse o presidente da empresa mineradora na tarde de quarta-feira (04/01). A informação errônea da noite anterior teria ocorrido devido a uma série de problemas de comunicação entre membros da equipe de resgate exaustos, depois de mais de 30 horas de buscas, e desesperados por um final feliz para uma situação trágica, disse o presidente da empresa.

Tyler Hicks/The New York Times 
Familiares e amigos dos mineiros mortos fazem vigília diante da igreja batista de Sago

"Eles estava buscando boas notícias desesperadamente e queriam compartilhá-las", disse Bennett K. Hafield, diretor executivo da International Coal Group, dona da mina. Ele lamentou que, no momento em que os corpos e o sobrevivente foram encontrados, os protocolos estritos de comunicação estabelecidos para transmitir informações corretas às famílias foram desprezados.

"Não acho que as pessoas tinham a menor idéia do dano que causariam", disse ele, com a voz entrecortada em sua apresentação. "No momento de júbilo, as regras não foram seguidas."

Ele assumiu a responsabilidade por não esclarecer as notícias por duas horas, dizendo que os funcionários da empresa e autoridades federais e estaduais queriam ter certeza de quantas pessoas de fato haviam sobrevivido à explosão, para não acrescentar mais ao pesar das famílias.

"Por cautela, permitimos que o júbilo continuasse por mais tempo que deveria", disse ele.

O corpo de um dos 13 mineiros foi encontrado mais cedo na noite de terça-feira, próximo à cena da explosão. Ele foi identificado como Terry Helms, líder da equipe de trabalho.

A empresa, porém, foi criticada o dia todo por ter avisado as famílias antes da meia-noite que todos a não ser um dos 12 homens ainda presos na mina tinham se salvado quando de fato o oposto ocorrera. Às 2h30, um funcionário da empresa de mineração, aparentando pesar, fez o anúncio das mortes a várias centenas de amigos e parentes em uma pequena igreja batista próxima.

O que se seguiu foi um pandemônio. "As pessoas que estavam agradecendo a Deus no minuto anterior começaram a xingar", disse John Casto, amigo dos mineiros em entrevista à CNN.

A fúria maior, no entanto, voltou-se contra os executivos da empresa pela informação falsa e a demora para sua retratação.

Em sua conferência com a imprensa à tarde, Hatfield descreveu os eventos. Os trabalhadores, disse ele, estavam operando a dezenas de metros da superfície e se comunicavam por telefones celulares e rádio, com máscaras de oxigênio que complicavam a clara compreensão.

Às 23h45 de terça-feira, o centro de resgate da mina recebeu um relatório que 12 mineiros estavam vivos. Às 0h18, o centro de resgate foi informado que os trabalhadores e "sobreviventes" estavam deixando a área em que foram encontrados.

"A empresa não emitiu declarações naquele momento", disse Hatfield. "Entretanto, estávamos conscientes que membros da equipe de resgate e funcionários exaltados ligaram por celular aos familiares e outros, ao receberem as informações animadoras."

Às 12h30, quando as equipes de resgate estavam em um lugar em que podiam respirar ar fresco, "o centro de comando da mina foi informado que, aparentemente, havia apenas um sobrevivente e que os outros não apresentavam sinais vitais", disse Hatfield.

"A reação imediata no centro de comando foi que essa informação, de que havia apenas um sobrevivente, poderia estar errada", disse ele.

"Muitos no centro de comando mantiveram suas esperanças" de que os outros estariam em "uma espécie de coma e poderiam reviver", disse ele.

O único sobrevivente, Randal McCloy Jr., 27, foi levado imediatamente ao hospital local. Hatfield disse que o paciente estava em condição estável na tarde de quarta-feira.

Ele disse que, à 1h38, quatro equipes de resgate adicionais foram despachadas com médicos para atender os outros mineiros. "A empresa e autoridades não acharam prudente informar às famílias ou à mídia enquanto não houvesse informações concretas quanto à situação verdadeira dos mineradores", disse ele.

Aproximadamente às 2h da manhã, disse Hatfield, "minutos depois de saber que os informes iniciais estavam incorretos, a polícia foi notificada, e pedimos que notificasse o ministro da igreja que os informes iniciais talvez tivessem sido otimistas demais."

Ele disse que apenas algumas das famílias foram contatadas pela igreja.

As equipes de resgate da mina foram entrevistadas e "as autoridades e a direção da empresa ficaram convencidas que os outros estavam mortos".

Às 2h30, a empresa decidiu anunciar as "notícias devastadoras". "Mantendo nosso compromisso, fomos primeiro à igreja, falar às famílias, e dali para o centro de mídia", disse ele. "Acreditamos que fizemos as melhores decisões com base nas informações disponíveis, trabalhando sob extremo estresse e exaustão física", disse ele. "Sinceramente sentimos a maneira como os eventos se desdobraram no início desta manhã."

Do alívio à frustração

A notícia de que 12 haviam sido resgatados e a triste correção foram o final chocante de um esforço de resgate que dominou os noticiários desde que a explosão prendeu os mineiros a 80 metros abaixo da superfície, na manhã de segunda-feira.

O presidente Bush expressou suas condolências pelas vítimas e seus entes queridos, na manhã de quarta-feira. Ele também elogiou o governador da Virgínia Ocidental, o democrata Joe Manchin III, que tinha se unido ao júbilo na igreja, "por sua compaixão", e os envolvidos no resgate, por sua coragem, mas não fez menção às informações errôneas.

O governador Manchin também tentou enfatizar a intensidade do esforço de resgate, em vez dos enganos que acrescentaram drama à tragédia. "Posso apenas dizer que ninguém fez nada intencionalmente, além de arriscar a vida para salvar seus entes queridos", disse ele em entrevista na televisão.

A explosão foi o desastre de mineração mais mortífero desde 1968, quando um acidente matou 78 homens, inclusive um tio do governador Manchin. Dramas nas profundezas e vigílias tensas na superfície fazem parte da história da região apalache. Quatro anos atrás, nove mineradores de carvão foram resgatados na Pensilvânia depois de passarem 77 horas presos em uma mina inundada.

O governador Manchin não conseguiu explicar pela manhã como a falsa informação tinha sido disseminada.

"Claramente houve algum erro de interpretação, algum problema de comunicação", disse Manchin em entrevista à MSNBC.

Ele disse que estava em uma sala ao lado de onde os membros das famílias estavam reunidos, em uma igreja próxima, quando ouviu os gritos de alegria. Foi então que lhe disseram que todos os mineradores tinham sido encontrados com vida. Os sinos tocaram, e ele foi levado pelo mar de pessoas. "Todo mundo estava eufórico", disse ele.

De acordo com assessores de Manchin, no caminho até o centro de comando o governador foi questionado: "Será um milagre?" e respondeu: "Sim, milagres podem acontecer."

Os amigos e parentes das vítimas que estavam presentes na noite de terça-feira disseram que o governador tinha sido parte da confusão, mas não dirigiram sua raiva abundante a ele.

A cena foi de euforia. "É um milagre", disse Loretta Ables, cujo noivo, Fred Ware, estava entre os mineradores. "Todo mundo estava nos dizendo que provavelmente estariam mortos."

Terry Goff, amigo de um dos mineradores, disse que tinha praticamente perdido as esperanças, depois que amostras de ar tiradas de dentro da mina revelaram a presença de monóxido de carbono extremamente tóxico, provável subproduto da explosão.

"Quando eles encontraram o corpo e disseram que os níveis de monóxido de carbono eram altos, duvidei da minha fé", disse ele, "mas agora temos 12 homens saindo da montanha".

Casto disse que um homem veio correndo à igreja. Subitamente as pessoas começaram a gritar que havia acontecido um milagre e que os 12 estavam vivos.

Logo chegaram mais detalhes que deram maior credibilidade ao boato, disse Casto. "Alguém disse que as ambulâncias iam trazer os homens à igreja", disse ele e que poderiam falar com seus parentes antes de serem levados ao hospital.

Algumas testemunhas disseram à Associated Press que a ambulância que removeu McCloy parecia confirmar as boas notícias.

Os ânimos continuaram elevados, mesmo com o tempo passando e a demora dos mineiros, disse Casto.

"Esperamos e esperamos", disse ele. "As famílias e entes queridos ficaram na varanda, embrulhados em cobertores esperando seus pais ou irmãos chegarem."

Depois, um grupo de funcionários da mina veio ao local junto com a polícia, disse Casto. Um homem da empresa de mineração subiu a um pódio na igreja. "Eu disse a vocês que ia falar a verdade e vou falar a verdade agora. Há um sobrevivente", disse ele, lembra-se Casto.

Manchin disse que depois do primeiro informe ele perguntou várias vezes aos funcionários se a informação tinha sido confirmada e foi ao centro de comando em busca de maiores informações. "Quando chegamos ao centro de comando, eles também estavam eufóricos", disse à CNN.

Ele disse que o erro pode ter sido resultado do fato de várias equipes entrarem e saírem da mina, já que suas atividades eram limitadas, por razões de segurança.

"Sabíamos desde o início que as chances eram poucas", disse Manchin. "Estávamos esperando 13 milagres e agora estamos nos atendo a um milagre."

No informe matinal à imprensa, Hatfield disse que os mineradores que morreram tinham seguido o "livro texto" em seu esforço de para sobreviver. Eles fizeram uma barricada no final do corredor em que estavam presos, usando lençóis laminados para tentar criar um escudo e evitar o ar envenenado.

Na tarde de quarta-feira, Lawrence Roberts, médico que está tratando de McCloy no Hospital Memorial Ruby, da Universidade de Virgínia do Oeste em Morgantown, disse que o minerador tinha saído brevemente da sedação e reagido a sua esposa. Um pulmão que tinha colapsado tinha voltado a se expandir, disse o médico, mas por causa dos efeitos da desidratação os rins não estavam funcionando adequadamente e ele será submetido à diálise.

"Em muitos aspectos, acho que está fazendo os progressos esperados", disse Roberts. "Desde o último relatório foram apenas algumas horas, mas acho que houve progresso na direção certa."

Nesta manhã na Donut Shop em Buckhannon, ali perto, uma garçonete, Brenda McCormick disse: "As pessoas estão para baixo, muito tristes."

Desde a explosão que o cartaz da loja dizia: "Preces e desejos para nossos mineradores e suas famílias."

No amanhecer de hoje, foi mudado para: "Apenas um milagre."

*Colaboraram John O'Neil, de Nova York; Brenda Goodman, de Altanta (Geórgia), e Gardiner Harris de Washington. Alívio efêmero ampliou frustração da perda em parentes de vítimas Deborah Weinberg

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host