UOL Notícias Internacional
 

12/01/2006

Produtos da Apple superam prazos e Wall Street

The New York Times
Vikas Bajaj, em Nova York, e

Laurie J. Flynn em San Francisco
A Apple Computer lançou nesta terça-feira (10/01) seus primeiros computadores Macintosh com chips da Intel, vários meses antes do previsto.

Steve Jobs, o executivo-chefe da Apple, apresentou um novo computador iMac e um novo computador notebook chamado MacBook Pro na MacWorld Expo, um evento anual altamente aguardado no qual a empresa costuma expor novos produtos e iniciativas.

Jobs também revelou que a receita da Apple para o trimestre encerrado em 31 de dezembro saltou 63%, para US$ 5,7 bilhões. O número supera em muito as expectativas de Wall Street, já que as vendas do music player portátil iPod mais que triplicaram em comparação ao trimestre de festas em 2004. A receita naquele trimestre foi de US$ 3,5 bilhões.

Jobs disse que a empresa vendeu 14 milhões de iPods durante o trimestre das festas, em comparação a 4,5 milhões no mesmo período em 2004. Talvez mais surpreendente tenha sido a notícia de que a Apple vendeu 1,25 milhão de computadores Macintosh no trimestre, em comparação a 1,05 milhão em 2004, apesar das preocupações de alguns analistas de que os consumidores adiariam suas compras. As vendas nas lojas de varejo da Apple aumentaram para cerca de US$ 1 bilhão, disse Jobs.

O anúncio financeiro antecipado representa algo diferente para a Apple, que é considerada uma das empresas mais fechadas do Vale do Silício. A empresa deverá anunciar os ganhos do trimestre na segunda-feira.

As ações da Apple subiram mais de 6% na terça-feira, ou US$ 4,81, fechando a US$ 80,86. As ações já subiram 12,5% neste ano, após subirem 127% em 2005.

A decisão da Apple de incorporar chips Intel meses antes do prazo anunciado foi uma surpresa. Em junho passado, a empresa anunciou que abandonaria a linha de processadores Power PC da IBM, que usava há 14 anos, assim como os chips de outra grande fornecedora, a Freescale Semiconductor. A ação foi considerada uma divisora de águas em uma indústria que há muito considerava a Intel uma aliada da Microsoft, a rival gigante da Apple.

Jobs disse que os chips da Intel permitiriam à Apple produzir computadores e dispositivos de mídia mais rápidos e versáteis do que poderia com seus fornecedores anteriores de chips. "O iMac já é elogiado como o padrão ouro dos PCs desktop, então esperamos que os consumidores realmente amem o novo iMac, que é até duas vezes mais rápido", disse Jobs.

Jobs também lançou uma atualização da suíte iLife da Apple de programas que visam tornar mais fácil a criação, edição e distribuição online de fotos, filmes, podcasts e outros conteúdos digitais. A empresa também introduziu um novo dispositivo para permitir que os usuários do iPod escutem estações de FM.

Os anúncios estavam de acordo com a estratégia mais ampla da Apple de explorar o sucesso do iPod com novos serviços e hardware para o reino crescente da mídia digital.

Em outubro, a Apple lançou um iPod capaz de exibir vídeo e começou a vender programas de televisão e videoclipes em sua loja online iTunes por US$ 1,99 cada.

Jobs disse que a Apple vendeu 8 milhões de vídeos e programas de televisão de lá para cá. A Apple também tem oferecido um controle remoto com os novos iMacs que permite aos clientes operarem os computadores como fariam com uma televisão ou aparelho de DVD.

Jobs disse que toda a linha Macintosh será convertida para chips Intel até o final deste ano, uma ação que os analistas disseram que ajudará a tomar uma fatia de mercado dos computadores pessoais baseados em Windows. "Isto dá para a Apple um futuro mais promissor", disse Tim Bajarin, presidente da Creative Strategies, uma firma de consultoria. "Eu acho que o chip da Intel chamará a atenção dos consumidores."

Em uma entrevista na terça-feira, Jobs disse que a Apple aumentou sua participação no mercado de computadores em 2005 de 3% para cerca de 4%. "Tudo o que precisamos fazer é com que 4% ou 5% dos usuários do Windows façam a mudança, então estaremos em grande forma", disse Jobs.

Bob O'Donnell, um analista da IDC, uma empresa de pesquisa de mercado, disse que os novos Macs baseados em Intel permitirão pela primeira vez que os consumidores comparem diretamente os Macs com os PCs, já que os microprocessadores e outras partes internas serão os mesmos. Mas isto poderá funcionar contra a Apple, já que a empresa ainda cobra mais caro por seus sistemas, disse O'Donnell. "Eles estão jogando em um campo totalmente novo agora", ele disse.

Os chips da Intel são baseados em tecnologia dual-core (dois núcleos), na qual dois processadores residem em uma única pastilha de silício. O resultado é uma performance mais rápida, economia de energia e menos calor.

"A Intel tem um chip muito melhor", disse Jobs.

Jobs estava acompanhado de Paul S. Otellini, o executivo-chefe da Intel, que vestia um uniforme branco de laboratório no palco como os usados pelos funcionários da Intel em salas limpas. Otellini disse que sua empresa dedicou mais de mil funcionários para o desenvolvimento do chip para a Apple.

Em uma entrevista, Otellini disse que o relacionamento ajudará a empresa a expandir para o mercado da Apple, que está crescendo mais rapidamente do que o mercado baseado em Windows, em parte devido ao iPod. "É um bom novo mercado para nós com um bom crescimento", disse ele.

Jobs disse que espera que alguns usuários venham a rodar o Windows nos novos Macs, o que poderá tornar os computadores da Apple uma alternativa atraente para PCs que rodam apenas Windows. "Eu não farei nada para impedir isto", ele disse.

Os Macs baseados em Intel rodarão a mais recente versão do sistema operacional da Apple juntamente com aplicativos da Microsoft e outros. Jobs tentou mitigar os temores entre os consumidores demonstrando a compatibilidade entre os novos sistemas e o programas existentes para Mac.

A mudança para chips da Intel é considerada um passo significativo, porque exige que os desenvolvedores de software modifiquem seus programas, um processo que Jobs disse estar em andamento.

"Muitas pessoas temiam que a transição para a plataforma Intel não seria suave", disse Bajarin. "A Apple provou hoje que não está sendo apenas suave, está sendo quase imperceptível."

O novo iMac já está disponível, enquanto o MacBook Pro, que visa substituir mais adiante o PowerBook, estará disponível em fevereiro. O preço do iMac deverá permanecer inalterado em US$ 1.299 para os modelos com monitores de 17 polegadas e US$ 1.699 para os com monitores de 20 polegadas; o preço do MacBook será de US$ 1.999 e US$ 2.499 dependendo da velocidade do chip. Ambos os modelos terão uma tela de 15,4 polegadas. A decisão da Apple de incorporar chips Intel meses antes do prazo anunciado foi uma surpresa. A ação foi considerada uma divisora de águas em uma indústria que há muito considerava a Intel uma aliada da Microsoft, a rival gigante da Apple. George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host